3 03America/Bahia outubro 03America/Bahia 2015 – Brechando

Sabia que Natal é a quarta capital mais violenta do país?

O Fórum Brasileiro de Segurança Pública divulgou, nesta semana, os dados sobre a violência urbana nas capitais brasileiras. Natal é a quarta cidade mais violenta do país, perdendo apenas para Fortaleza, Maceió e São Luís. Em 2014, a capital potiguar registrou a quarta maior taxa de homicídios do país. A cada grupo de 100 mil habitantes, 65,9 pessoas foram assassinadas.

De acordo com o anuário, houve 15.932 mortes decorrentes de crimes violentos intencionais, que incluem homicídios dolosos, lesões corporais seguidas de morte e latrocínios, nas 27 capitais no ano passado. Em Natal, por exemplo, a média desses crimes foi 33 para cada 100 mil habitantes. Eles também apontaram que 536 pessoas foram vítimas de homicídio doloso.

São Paulo foi a capital que menos registrou homicídios em 2014, com taxa de 11,4 mortes para cada 100 mil habitantes.

Apesar dos resultados, a Secretaria de Estado da Segurança Pública e Defesa Social (Sesed), apontou que, neste ano, os assassinatos em Natal reduziram 15,6% em relação ao mesmo período do ano passado em decorrência da ampliação do policiamento ostensivo.

O encontro aconteceu na cidade do Rio de Janeiro, em julho deste ano e os dados mais completos serão divulgados apenas no dia 7 de outubro. Foi a primeira vez que o fórum realiza um levantamento focado nas capitais brasileiras. Os dados foram obtidos por meio de solicitações às secretariais estaduais da Segurança Pública com base na Lei de Acesso à Informação.

Cine Papai agora é o Cine França

Em meados dos anos de 2010, um grupo resolveu abrir um cinema na Rua Vigário Bartolomeu, no bairro de Cidade Alta, há poucos passos da sede da Prefeitura do Natal. Como o Brechando não tem preconceitos e é favor da liberdade sexual,  nós vamos falar deste cinema sim, que atraí curiosos para quem passa naquela via, bastante frequentada na região central da cidade.

Este é conhecido como o Cine França (ex-cine Papai), cujo público mais famoso são os gays, apesar de ter inúmeras fotos de mulheres peladas na porta do estabelecimento. O local, apesar de parecer um clube de striptease se você circular a noite por lá. Na porta da entrada diz logo que os ingressos custam dois reais. A entrada diz logo que eles funcionam das 12 às 21 horas, todos os dias.

A pergunta quem passa naquele canto é a mesma: “Quem vai para esse lugar?”, “Alguém vai para esse lugar?”. O mais engraçado que o local tem duas unidades, sendo que a segunda fica do lado do Instituto Histórico e Geográfico do Rio Grande do Norte (IGHRN), próximo da Praça João Maria.  A segunda unidade é a que tem mais gente, tinha um amontoado de diversas pessoas na calçada, todos desconfiados a cada carro que passava.

O nome não é por causa que eles gostam da França, mas um dos proprietários é conhecido por este nome, que possui um perfil no Facebook com fotos mostrando que é um cara alto astral e está se ferrando para que os outros pensam (Se ele quiser topar uma entrevista, nós estamos disponíveis rs).  Sem contar que o cara adora se exibir e é totalmente ostentação.

Eles têm até fanpage no Facebook. Lendo a fanpage deste estabelecimento, o local possui uma filial em João Pessoa (quase um Cinemark do Pornô).

Achei matérias em diversos fóruns e sites especializados no público LGBT falando um pouco melhor deste cinema. Mas o blog Calango Tango chegou a entrevistar um dos proprietários quando o cinema ainda era Cine Papai, no qual pode ser conferido neste link.

Antigamente para ver filmes não recomendado para 18 anos, os natalenses mais antigos utilizavam o cine Panorama, no bairro das Rocas. O local era bastante conhecido por exibir por pornô, porém o estabelecimento fechou e virou uma igreja evangélica. Não sabemos em que período exatamente o mesmo fechou.

Muitos cinemas localizados no centro da cidade, no auge de sua decadência, tiveram que exibir pornô para não falir. Um deles foi o Cinema Nordeste, no Centro da Cidade, também teve que usar estas artimanhas para atrair o público até o seu fechamento em 2003.

O que são os mártires de Uruaçu e Cunhaú?

Hoje é feriado, apesar de ser sábado. É o dia de homenagear os mártires de Uruaçu e Cunhaú, um dos crimes mais brutais acontecidos durante a invasão holandesa no Brasil Colonial. O feriado foi decretado por uma lei estadual em 2006. Vamos contar um pouco da história do Rio Grande do Norte.

Os mártires se refere à dois massacres, que aconteceram em 1645. Um foi na cidade de Canguaretama e outro foi em São Gonçalo do Amarante.

Na época, o Rio Grande era dominado pelo alemão, que estava servindo a Holanda, Jacob Rabbi. O primeiro crime aconteceu no dia 16 de julho, no Engenho Cunhaú. Rabbi era conhecido pelos moradores do engenho, pois ele já havia passado por lá e sempre destruía os locais que andava e por estar escoltado por índios Tapuias.

No dia do massacre, Jacob Rabbi fixou um aviso na porta da igreja Nossa Senhora das Candeias em que haveria algumas questões a serem debatidas após a missa. Quando o padre André de Soveral levantou a hóstia, as portas da igreja foram fechadas e os holandeses invadiram o local e mataram os 70 fiéis e o sacerdote.

Três meses depois, em 03 de outubro de 1645, aconteceu um novo massacre, sendo na comunidade de Uruaçu, feitos de forma similar ao que aconteceu em Canguaretama.  O padre Ambrósio Francisco Ferro foi torturado pelos holandeses e o fiel, Mateus Moreira, teve o seu coração arrancado. Mais 78 pessoas também morreram.

Alguns historiadores afirmam que os holandeses só realizaram essas chacinas por motivos religiosos, visto que a população das duas comunidades era católica e os europeus eram protestantes. No dia 5 de março de 2000, os padres e mais 27 pessoas foram beatificados pelo Papa João Paulo II. O processo de beatificação foi aberto em 15 de maio de 1988.

Invasão Holandesa

Neste período, Portugal estava sendo administrada pelo rei Filipe II da Espanha e esse período ficou conhecido como União Ibérica. Logo, Portugal e Espanha pertenciam ao mesmo império.

A Holanda era uma das principais compradoras do açúcar do Brasil, antiga colônia lusa. Devido ao desafeto com a Espanha, o país neerlandês rompeu a sua parceria com Portugal. Por causa disso, criou a Companhia das Índias Ocidentais e foram para diversos países, incluindo este país.

Os holandeses chegaram ao nordeste brasileiro e conquistaram Pernambuco. Entretanto, a Holanda queria conquistar mais terras brasileiras e em 1633, após uma tentativa fracassada, conseguiu invadir a capitania do Rio Grande.