Slider – Brechando

Cinco desenhos que assisti nos anos 90

Vamos deixar o fim de semana em clima de nostalgia, relembrando de coisas legais do passado enquanto as novas ainda não vêm. Então, que tal falar dos desenhos que deixaram saudade? Aqui segue uma lista dos desenhos que os nascidos dos anos 90 vão se identificar bastante. Confira:

O Fantástico Mundo de Bobby

Alguém viu este desenho no SBT? A série trata do cotidiano e dos pensamentos de Bobby, um garoto que tem uma imaginação fértil. Sua família é composta por seu pai, Howard; sua mãe, Martha; e seus dois irmãos, Derek e Kelly. Também aparece constantemente o seu Tio Ted, e todo mundo que viu o desenho passou a querer um parente tão legal quanto ele. Passava direto no SBT e toda criança se identificava com o Bobby. Não lembra do desenho, confira a abertura:

 

Cavaleiros dos Zodíacos

 

A série d’Os Cavaleiros do Zodíaco foi um sucesso na TV Manchete, o enredo se concentra em um órfão chamado Seiya, forçado a ir ao Santuário na Grécia para obter a Armadura de Bronze de Pégaso, uma veste usada pelos 88 guerreiros da deusa grega Athena, conhecidos como Cavaleiros. Após despertar o poder dos Cavaleiros, uma essência espiritual chamada de Cosmo (que se originou com o Big Bang), Seiya rapidamente se torna o Cavaleiro de Pégaso e retorna ao Japão para encontrar sua irmã mais velha, pois ela havia desaparecido no mesmo dia em que ele foi ao Santuário.

O anime estreou no Brasil em 1 de setembro de 1994 pela Rede Manchete e permaneceu na programação do canal até 1997, sua exibição foi possível graças a uma permuta com a fabricante de brinquedos Samtoy, que produziu os bonecos da série, em troca da exibição dos comerciais da empresa, o canal exibiu o anime sem nenhum custo, a versão dublada foi feita pelo extinto estúdio de dublagem Gota Mágica.

Apesar de muita gente não saber ou lembrar que a voz que cantava “Faça elevar, o cosmo do seu coração…” é de Edu Falaschi, é impossível que esquecer da abertura da TV Manchete:

Guerreiras Mágicas

Pouca gente se lembra deste anime, mas ele passava no SBT. O nome completo do desenho é Guerreiras Mágicas de Rayearth e teve 50 episódios divididos em duas fases, sendo a primeira com 20 episódios e a segunda com 29 episódios. Mostra a história de três estudantes japonesas que foram convocadas por uma princesa para serem guerreiras e protegerem um reino mágico. No Brasil, as duas primeiras fases do anime foram exibidas pelo SBT no auge do sucesso de Os Cavaleiros do Zodíaco, estreou em 5 de maio de 1996 às 10:30h da manhã no bloco ”Domingo Ação”, depois foi para às 7 da manhã de sábado no bloco ”Sábado Animado”, com várias mudanças de horários, depois de segunda a sexta às 10 da manhã com horário exclusivo e a partir de 1997 passou fixamente no ”Eliana&Cia”, às 8 da manhã. A exibição brasileira foi de 1996 a 1999.

Lembro que minha mãe teve a audácia de me fornecer uma bonequinha da Lucy (Hikaru Shido, em japonês) para mim.

Sailor Moon

As marinheiras da lua são até hoje lembradas pelos adultos dos anos 90. A história gira em torno de defensoras renascidas de um reino que está ameaçado novamente pelas forças do mal. As personagens principais  são adolescentes que podem se transformar em heroínas representando a Lua e os planetas. A primeira exibição foi na TV Manchete, Em 1996, devido ao grande sucesso de Os Cavaleiros do Zodíaco.

Duck Tales

Ao contrário dos desenhos acima, este nunca foi reprisado nas tvs abertas ou canais fechados, Duck Tales conta as aventuras dos sobrinhos do Pato Donald; Huginho, Zezinho e Luizinho. Mas, muitos se lembram do avarento do Tio Patinhas. No Brasil a série foi transmitida originalmente entre os anos de 1988 e 1997 pelo SBT, com a dublagem feita na Herbert Richers para a televisão, dublagem pela qual a série se tornou mais conhecida no país. Muita gente lembra a abertura em português que era contagiante e fácil de decorar.

Você já pegou um ônibus intermunicipal neste terminal?

Eu não, mas meus pais e avós já viajaram para o interior do Rio Grande do Norte e outras cidades brasileiras saindo deste terminal rodoviário, que ficava bem na parte principal do bairro da Ribeira, próximo à Praça Augusto Severo, do Teatro Alberto Maranhão e colégio Salesiano São José. Atualmente o prédio abriga o Museu Cultural Djalma Maranhão, mas as pessoas ainda  chamam  o lugar de “Antiga Rodoviária” ou “Rodoviária Velha”, como ponto de referência.

O Terminal Rodoviário foi criado em 1963, quando os natalenses começaram a aposentar os bondinhos e recebeu o nome do Presidente Kennedy. De autoria do arquiteto potiguar Raimundo Gomes, a estação rodoviária foi inaugurado pelo então prefeito Djalma Maranhão, no dia 16 de dezembro de 1963, quatro meses antes do Golpe Militar, que afastou Maranhão do poder.

Nos anos posteriores, a movimentação no lugar intensificou-se, por conta da forte migração do interior para a capital, principalmente por conta da seca. Neste período, muitos chegavam na capital potiguar por lá. Além disso, muitos retirantes criaram um grande comércio ao redor da rodoviária com a venda dos mais diversos produtos.

Havia um sério problema de alagamento nas proximidades da rodoviária e do Teatro Alberto maranhão, causando sérios transtornos aos moradores e ao comércio. O entorno da Praça Augusto Severo era área pantanosa e para os moradores e frequentadores na época de chuvas, principalmente, tornava-se necessário tirar os sapatos e levantar as bainhas das calças ou as saias, para poder caminhar sem molhar suas vestes.

Quatro anos depois da inauguração, o local se encontrava abandonado. Por isso, o prefeito Marcos César Formiga resolveu restaurar a Praça Augusto Severo e ao lado direito da antiga Estação Rodoviária a prefeitura construiu quatro quiosques, cada um com quatro boxes, destinados à venda de alimentos. A área próxima a estes quiosques, chamada largo Dom Bosco, foi calçada e ganhou alguns bancos de madeira.

No ano de 1981, porém, a Rodoviária de Natal saiu da Ribeira para o bairro de Cidade da Esperança, mais precisamente na Avenida Capitão-Mor Gouveia, numa estrutura que é bem maior que o terminal antigo.

Serve toda a região metropolitana de Natal que possui atualmente mais de 1,6 milhões de pessoas. Foi inaugurado no ano de 1981, sendo um dos maiores terminais do Nordeste. Chega a movimentar por mês mais de 200 mil pessoas que usam outros serviços além de embarque e desembarque. Muito além de um terminal de embarque e desembarque, a Rodoviária de Natal se destaca pela oferta de guichês de atendimento de serviços essenciais.

Desde 2008 a “Rodoviária Nova” é administrada por uma empresa privada.

Depois, a “Rodoviária Velha” passou por outras reformas e hoje se transformou em museu em uma das tentativas de transformação para revitalizar a Ribeira.

Sabia que Natal é menor capital com área territorial do Nordeste?

Quando se fala que Natal é um ovo de codorna, pode acreditar que é sim. A cidade é pequena, quando falamos de tamanho. Pesquisando sobre a geografia da capital potiguar, o Brechando descobriu que Natal é a capital do Nordeste que possui a menor área territorial, tendo  uma área de aproximadamente 167 km², sendo a segunda capital brasileira com a menor área territorial, maior apenas que Vitória, capital do Espírito Santo. Natal  tem a sexta maior densidade populacional do país.

A principal cidade do Rio Grande do Norte possui uma área territorial menor que cidades interioranas, como Campina Grande (PB), que possui 620,6 km².

Já a segunda cidade nordestina com a menor área territorial é Aracaju que fica no estado de menor extensão territorial, Sergipe, com 181,9 km².

Confira o tamanho territorial de outras capitais nordestinas:

1) Teresina: 1.392 km²
2) São Luís: 827,1 km²
3) Fortaleza: 313,8 km²
4) João Pessoa: 211,5 km²
5) Recife: 218 km²
6) Maceió: 511 km²
7) Aracaju: 181,9 km²
8) Salvador: 693 km²

O maior município brasileiro é Altamira no Pará e tem 159.533,328 km², com dimensão territorial maior que vários estados brasileiros. A cidade mineira de Santa Cruz de Minas, por sua vez, com área de 3,565 km² é o menor município do país, seguido de Águas de São Pedro, em São Paulo, com área de 3,612 km². Suas áreas são menores que a da Ilha de Fernando de Noronha, distrito estadual de Pernambuco, que tem 17,017 km².

Retrospectiva Brechando: 17 melhores posts do blog no ano que acabou

O Brechando ainda está se adaptando com o novo ano, que está em seu segundo dia, ao mesmo tempo que posta coisas novas, está relembrando do que passou em 2017. Por isso, fizemos uma lista com as melhores postagens do blog no ano passado a partir da lista dos mais lidos. Além disso, é uma forma  de você ver o que perdeu. Confira a nossa retrospectiva a seguir:

1) Reação de Potiguar em Chá de Revelação Viraliza Nas Redes Sociais

2) Concurso de Peido: Competição que vai abalar o seu veraneio

3) O Brechando entrevistou o Chupa Cu de Goianinha

4) Cinco Melhores Posts do Cremosinho

5) O que eu aprendi sendo aluna do Setor II

6) Natal é a quarta cidade melhor para se viver no Nordeste e 17ª do país

7) Potiguar participa de nova temporada do Masterchef

PS: Os episódios do Materchef Profissionais estão no You Tube e relembre o desempenho de Irina Cordeiro.

8) Quantos bairros existem em Natal ?

9) Cinco coisas que você faz na Praça de Alimentação do Midway ?

10) Como é estudar em um colégio militar? 

11) Bar roqueiro famoso nos anos 2000 reabre no Dia do Rock

12) Como era um evento de anime nos anos 2000

13) Locadoras de filmes ainda existem em Natal

14) Por onde anda o calouro Samu?

15) 10 melhores fotos de nu artístico de Luísa Medeiros

16) Um doido resolveu andar pelo Morro do Careca de Moto

17) Como assim não existe turismo no Atol das Rocas?