prefeitos eleitos do RN

10 curiosidades sobre os prefeitos eleitos do RN

Após falar dos vereadores eleitos de Natal, vamos falar dos prefeitos do RN. Todos nós sabemos quem já foi eleito e quem não foi, sem contar que descrevemos os candidatos a prefeitos no Twitter do Brechando. Por isso, para não ficar repetitivo, resolvemos colocar 10 curiosidades sobre os prefeitos eleitos, algumas são realmente peculiares e vale a pena conferir a lista:

1) Álvaro Dias é prefeito de Natal, mas ele é de Caicó

Álvaro Dias é um dos candidatos filiados ao PSDB que querem ser prefeitos

O Álvaro Dias não começou a sua carreira política na capital potiguar. O médico nasceu e cresceu em Caicó, onde conseguiu seu eleitorado e conquistou o cargo de deputado estadual. Seu encontro com Natal aconteceu em 2016, quando o MDB, partido que era filiado, se juntou com Carlos Eduardo Alves. Álvaro era vice de Alves. Mas, assumiu a prefeitura quando o ex-prefeito tentou se eleger governador, mas perdeu para Fátima Bezerra.

2) Rosalba Ciarlini iria para o quinto mandato

Nos anos 90 e 2000, Rosalba havia cumprido três mandatos como prefeita de Mossoró, segunda maior cidade do RN. Após sair do Governo do Estado, ela voltou a se candidatar em Mossoró. Mas, desta vez, perdeu as eleições para Allyson, do Partido Solidariedade.

3) PT conseguiu só eleger em Afonso Bezerra, Currais Novos e Sítio Novo

Das 27 cidades que o PT se candidatou, a cidade só ganhou apenas em três municípios. Enquanto isso mais da metade das cidades está dominada pelo PSDB, DEM, MDB e PSD. No entanto, o PSOL conseguiu eleger o prefeito na cidade de Janduís.

4) Salomão Gurgel foi o candidato do PSOL que venceu na cidade de Janduís

Com mais de 50% dos votos, o povo de Janduís decidiu que Salomão Gurgel seria o prefeito da região, derrotando Sílvia Helena. Além disso, o atual prefeito, Zé Bezerra, iria tentar a releição, mas renunciou. A única vez que o partido foi eleito em Município do RN foi na cidade de Jaçanã em 2016.

5) 28,16% dos natalenses não quiseram votar

Mais de 150 mil resolveram faltar a votação ou justificar os seus votos. Já os votos nulos contaram com quase 10%, mais votos do que o Sérgio Leocádio.

6) O prefeito mais novo do Rio Grande do Norte tem 21 anos

Este jovem da foto acima se chama Pedro Henrique e é o mais novo prefeito da cidade de Pedra Preta. O mesmo foi eleito com 51% dos votos e esta é a sua primeira eleição, mas já atuava como secretário municipal da atual gestão, administrada pelo seu tio, Luiz de Haroldo.

7) Apenas uma pessoa negra venceu as eleições

O candidato Babá, do partido Republicanos, é novamente o prefeito eleito de São Tomé com mais de 56 por cento dos votos.

8) Dos 50 prefeitos que tentaram releição, 30 apenas conseguiram se releger

Uma gestão falada nas mídias nem sempre é sinônimo de releição, mas alguns não conseguiram se eleger, como Jorginho (Tangará), Alexandre Petronilo (Parelhas), Edilson Júnior (Sítio Novo) e a Rosalba Ciarlini (Mossoró).

9) O prefeito eleito de Tangará é o mais velho de todos dos prefeitos eleitos do RN

O médico José Airton é considerado o mais novo prefeito de Tangará e tem 69 anos, sendo o Chefe do Executivo Municipal mais velho das 167 cidades do RN. Mas, esta não é a única curiosidade interessante.

10) Ele perdeu as duas pernas após um acidente

Em Tangará é conhecido pelo nome de Doutorzinho, por causa de sua altura e de sua deficiência que foi causada por um terrível acidente de trabalho. Tudo começou quando ele trabalhava no Exército e durante um treinamento uma granada explodiu em cima dele, por conseguinte, foi hospitalizado, amputando as suas duas pernas, acabando com sua carreira militar. Após sair das Forças Armadas, o mesmo resolveu estudar no supletivo e passou no vestibular de medicina. Inicialmente, ele usava pernas mecânicas, mas não se adaptou e resolveu utilizar uma prótese diferenciada, como da foto acima.

vereadores eleitos de Natal

10 curiosidades sobre os vereadores eleitos de Natal

Vocês sabem muito bem que tem 29 vereadores eleitos de Natal e houve de fato uma mudança dentro da Câmara Municipal. Como resultado, os vereadores estão cada vez mais jovens. Por isso, o Brechando resolveu listar 10 curiosidades sobre a Câmara que não elegeu pessoas há tempo no poder e colocou muita gente nova.

1) Dos 29 vereadores na Câmara de Natal, 27 tentaram reeleição. No entanto, apenas 11 continuarão no plenário

Divaneide foi a mulher mais votada para Câmara Municipal

Destaque vai para Divaneide Basílio, que ficou na suplência na eleição de 2016. Mas, após a saída de Natália Bonavides à Câmara Federal, ela foi chamada para o cargo. Hoje, foi a segunda vereadora mais votada, com mais de cinco mil votos. Além de ser a primeira vereadora negra da cidade.

2) A candidata mais nova 22 tem anos

Brisa Bracchi se destacou no Diretório Central dos Estudantes (DCE) da UFRN, onde defendia as pautas feministas e LGBT. Além disso, ela é a vereadora mais jovem de Natal, tem somente 22 anos. Seu aniversário de 23 será em dezembro. A foto de Brisa acima do título tirei do site da UBES, onde ela foi integrante e começou a sua carreira.

3) Um dos candidatos eleitos é Tércio Tinôco e é o primeiro cadeirante vereador da cidade

Apesar de mais de 100 anos de história, a Câmara Municipal não havia um representante real para pessoas com deficiência. Pelo menos, agora vai ter. Um dos vencedores das Municipais é Tércio Tinôco, do Partido Progressista, conhecido pelas ações de inclusão às PCDs.

4) O suplente de Júlia Arruda se destacou na luta dos secundaristas

Júlia Arruda, caso deseje candidatar em outros cargos em 2022, tem um suplente que ficou conhecido durante a ocupação dos secundaristas. Pedro Gorki é estudante de pedagogia da UFRN, mas no Ensino Médio foi presidente nacional da União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (Ubes), que ganhou força na luta contra a reforma do Ensino Médio.

5) Após duas tentativas de entrar no Executivo, Robério Paulino se torna vereador

Robério Paulino já tentou se candidatar para prefeito de Natal e governador do RN. Entretanto, desde 2018, resolveu migrar para o legislativo. Hoje, ele é suplente da cadeira do PSOL na Assembleia Legislativa. Além disso, ele está na Câmara Municipal. Dentre suas propostas era de plantar 50 mil árvores para cada voto que recebeu. Antes de tudo isso, ele era professor do curso de Gestão de Políticas Públicas (GPP) da UFRN.

6) Fazendo uma regra de três seria quantas árvores?

Se 50 mil equivale a 1 voto. Então os mais de 1000 votos que recebeu dos eleitores corresponde que agora Robério tem que plantar mais de 500 mil árvores na capital do Rio Grande do Norte.

7) O Bispo Francisco de Assis é o vereador mais antigo da casa

O vereador, que também é músico, está na casa desde 2004. Ou seja, são 16 anos de mandato.

8) O PT conseguiu uma cadeira há mais neste pleito

A Câmara Municipal tinha apenas dois representantes do PT: Divaneide e Fernando Lucena. Agora tem Divaneide, Brisa e Daniel Valença.

9) Dos 29 vereadores, apenas 7 são mulheres

As mulheres eleitas são Divaneide Basílio, Ana Paula, Brisa, Camila Araújo, Margarete Régia, Nina Souza e Júlia Arruda. Infelizmente, uma a menos que 2016.

10) O verador eleito Paulinho Freire já foi prefeito de Natal por dois meses

Em 2007, Paulinho Freire foi candidato à vice-prefeito de Natal na chapa de Micarla de Souza. Entretanto, quando a mesma foi afastada em 2012, por conta da Operação Assepsia, o mesmo teve de assumir a prefeitura. Esse mandato só durou por dois meses. Porque ele ganhou para vereador e precisava sair da Prefeitura para receber o diploma para que pudesse tomar posse em janeiro de 2012.

 

Gostou do conteúdo? Compartilhe para o máximo de pessoas possíveis e não deixe de continuar acessando o Brechando.

Eleições Natal

Como foi votar nos tempos de pandemia

As eleições 2020 serão marcadas por três coisas:

  1. Saber como será o futuro do neofascismo em 2022
  2. Se a esquerda ainda está resistindo, provando que os críticos que estão subestimando.
  3. Como é votar em tempos de pandemia.

Mesmo que a gente tenha passado pelo episódio da Gripe Espanhola, a história das eleições nunca passou por uma pandemia. Então, tudo era a primeira vez. Inicialmente, contudo, era para acontecer em outubro, mas o avanço da doença nos primeiros meses do ano adiou todos os planos. Alguns cogitaram em adiar para o ano que vem, sem sucesso. Por isso, a campanha foi reduzida para 45 dias e quem tiver segundo turno, apenas Natal (por ter mais de 200 mil eleitores), vai ter mais 15 dias de campanha. E, aí, como votar?

A primeira regra estabelecida foi colocar a máscara, independente se era de pano ou cirúrgica. Todos tinham que usar máscara. O Brechando acompanhou o maior colégio eleitoral da zona Sul de Natal, a UnP da avenida Roberto Freire. Após uma dificuldade de estacionar numa ladeira, achamos uma garrafa de corote cheia abandonada e relembrei do meu PT, batendo saudade de uma festança. Uma das mudanças no pleito foi a concentração das zonas eleitorais, visto que a intenção era o mínimo de aglomeração possível. Então, a medida que o espaço para votação era maior, mais espaço as pessoas andarem e diminui a circulação de vírus.

Álcool em gel para todos os lados

Além disso, tinha álcool em gel em todo lugar, desde as paredes até aqueles expositores para acionar o líquido com pedal tinha. Chegamos no colégio eleitoral às 12 horas, período que as pessoas comumente votam, uma vez que após depositar os seus votos irão almoçar com a família ou restaurante.

Mesmo de máscaras vimos algumas pessoas conhecidas, onde cumprimentamos com acenos ou quando éramos mais íntimos cutucavámos os cotovelos.

Álcool em gel para todos os eleitores

Diferente de 2018, as pessoas estavam mais tranquilas, menos discussões e podia rolar uma troca de adesivos, sem precisar apelar para a boca de urna. Ao entrar tinha vários voluntários medindo a temperatura e guiando para as salas de votação, no qual fomos subindo várias e várias (a duplicação da palavra foi de propósito) rampas até chegar no objetivo principal: chegar à urna eletrônica. Embora a recomendação é evitar ir com acompanhantes e crianças (muitas delas gostam de apertar os botões da urna), era normal ver algumas com os pais no colo ou brincando nos corredores.

Na hora de entrar na sala, você tinha que entrar numa fila já demarcada, tipo aquelas dos supermercados e farmácias. Mas, era tão vapt-vupt que ficamos só um minuto na fila, se não foi muito. Agora era entregar o e-título, melhor coisa que inventaram nesta pandemia pela praticidade, pegar a caneta assinar, registrar no sistema que vamos à urna e hora de apertar os números.  Uma apertadinha ali e acolá, ao ouvir o barulho do pirulili (como os brasileiros da internet chamam o encerramento da urna), hora de ir embora. Mas, sem deixar de passar o álcool em gel claro.

Vote nos tempos de pandemia com estilo

Pegou o comprovante de papel, mais álcool em gel. Hora de voltar para casa. Pera, eu vi o artista Brunno Vini chegando na UnP super plena, montada em um salto, vestido vermelho e toda maquiada para mostrar que era totalmente de esquerda. Como já dizia a pensadora contemporânea e cantora Beyoncé: “To the left”. Aí pedi para tirar foto do look e veja: Eleições Natal

O artista Bruno Vini resolveu votar todo de vermelho e look super vermelho

Confira o restante das fotos agora:

O primeiro prefeito de Carnaubais? Avô de Paulo Barreto

Perto de Assú, Mossoró e Macau está a cidade de Carnaubais, no qual no ano de 1963, conseguiu se desmembrar da primeira cidade após uma longa batalha, que contou com o apoio do deputado Olavo Lacerda Montenegro, que hoje é nome de rua em Parnamirim.

Entretanto, o primeiro morador da região foi Antônio Pereira de Albuquerque o primeiro habitante de uma localidade, onde se situava uma área com vista ampla, verde e bela, com muitas carnaubeiras ao redor e com boa terra para cultivar. Por isso, que a cidade recebe este nome.

Ali, surgiu as primeiras manifestações políticas da região, como Valdemar Campielo.

Campielo foi o primeiro prefeito de Carnaubais na década de 60 e 70, no qual ainda não tinha prefeito biônico.

Como foi a decisão de Carnaubais

Na sua primeira disputa municipal, Carnaubais contou com dois candidatos. O deputado Olavo Lacerda, político apoiador da emancipação da cidade, inicialmente indicou o seu irmão João Batista Lacerda Montenegro.

E pela oposição se candidatou a prefeito Valdemar Campielo Maresco, representante da classe sindical, pelo partido UDN (União Democrática Nacional), tendo como candidato a vice, João Benevides Sobrinho.

Valdemar e João Benevides foram empossados no dia 31 de Janeiro de 1965 e exerceram um mandato de cinco anos até o dia 31 de Janeiro de 1970.

Depois, eles conseguiram eleger o seu sucesso, João Texeira Filho, visto que por conta o AI nº 11, onde impôs um novo calendário eleitoral, encurtou o seu mandato. Assim, no ano de 1972 houve novas eleições.

Na eleição de 1972,  Valdemar Campielo venceu as eleições, disputando seu ex-vice prefeito, João Benevides Sobrinho.

Nesta segunda gestão, Campielo enfrentou uma terrível enchente. Como resultado, a Prefeitura teve que construir a cidade em outro lugar. Como consequência deste problema, a oposição venceu as eleições municipais em 1976.

Adivinha quem ele é parente

Saber quem Campielo é? Avô do Paulo Barreto, o mesmo candidato que a oposição fez o jingle lhe esculachando nas Eleições de Pendências, vizinha de Carnaubais. A música, por conseguinte, viralizou no Brasil inteiro e virou destaque na Folha de S. Paulo.

A canção é uma síntese de como as eleições no interior é um barraco digno do Programa do Ratinho. Portanto, uma briga da velha e nova política. É muito comum os políticos de cidades do interior sejam parentes de políticos de cidades vizinhas. Poderíamos fornecer vários exemplos, mas isso é assunto para outro post.

Além disso, o pai de Paulo Barreto, Berg, e sua mãe, a Marlice, também tentaram ser prefeitos na cidade de Carnaubais, todavia não obteve êxito.

Marlice é a filha de Campielo e além de Paulo, tiveram mais dois filhos.

Valdemar Campielo nas eleições de 1972, sendo candidato do partido Arena. 

 

Posse do primeiro prefeito de Carnaubais

 

E Paulo Barreto?

Paulo Barreto é uma figura importante tanto para Pendências quanto Carnaubais, pois ele é dono de construtora e ainda mais da maior empresa de cultivo de camarão da região. Assim fazendo que ele fosse popular. Em 2012, um grupo de amigos o estimularam para ser prefeito de Pendências.

Além disso, ele se sentiu pronto apenas em 2020, quando se filiou ao Partido dos Trabalhadores (PT) e recebeu apoio dos vereadores Gilberto, Diego Dantas, Gustavo Queiroz e Van da Serraria. Por falar em Van, este rompeu com Paulo e realizou uma candidatura própria na prefeitura.

Barreto é a principal oposição de Flaudivan Martins (MDB), que venceu as eleições suplementares após o antigo prefeito ter sido afastado no Tribunal Regional Eleitoral (TRE).

Por causa do pleito, a irmã de Paulo Barreto, a advogada Marília de Góis Ramos, Procuradora do Município, entregou o cargo ao prefeito Flaudivan.