Festival Mada

História do Festival Mada explicada em vídeo

Após falar de Carlos Alexandre e experimentar o refrigerante de melancia, agora vou contar a história do Festival Música Alimento da Alma, conhecida popularmente como Mada, no qual fizemos uma cobertura ampla tanto no Instagram quanto pelo próprio site.

Além disso, antes de ver o vídeo, preciso explicar que ainda dá tempo de comprar Revista do Brechando nº2, clique no link em destaque.

Mas, faltava de falar da festa aonde? No nosso canal do Youtube, mostrando imagens do que rolou nesta edição mais a história do evento.

Mais um episódio do Brechando Vlog que fala sobre o Festival Mada

Então, acesse o canal do Brechando no Youtube e veja mais um episódio. Dê o play, portanto, a seguir:

Deixe aqui o seu comentário e não se esqueça de inscrever no canal.

Que sucesso Letrux fez lá na minha casa, em Natal

Letrux está na minha lista de cantoras favoritas da nova safra de MPB e recentemente esteve em Natal. Desde 2018, eu a escuto e amo a sua voz grave, além de letras que traz acontecimentos dramáticos e um pouco de alívio cômico. De lá para 2022 veio se mostra gigante tanto no tamanho pessoal (eu sentada batia no cotovelo dela) quanto também em seu talento. 

Letícia, Letrux ou Letuce, nome de sua antiga banda. Não importa. Ela está causando de todos os jeitos e em entrevista exclusiva ao Brechando durante o Mada 22 a gente conversou de tudo, desde stand-up até sobre a expectativa para as Eleições 2022. 

“O meu show é muito falado hoje. Não sei como será, porque é um show mais de festival, mais curto. O sentimento de tempo entre as músicas e falar uma história com a plateia. Tento trazer isso ocasionalmente, sai uma historinha engraçada, mas no show depende se a plateia tiver quente ou conto babado”, contou.

Eleição

Claro que não podíamos falar de uma coisa que assumidamente compartilha nas redes sociais, o seu apoio ao presidente Luís Inácio da Silva. Além disso, o próximo domingo, 2 de outubro, ocorrerá a votação do primeiro turno e perguntei sobre as suas expectativas para este momento, que muda sempre a história do país. 

“Acredito que vou explodir, acabei de ver um meme hoje aqui e percebi hoje não estou preparada. Meu corpo explodirá,  virarei uma estrela vermelha”, comentou a cantora, que admitiu que votou sempre no PT.

Perguntei se pensaria que o bolsonarismo iria virar caso não ganha o primeiro turno, ela prontamente tranquilizou e enfatizou o porquê de vencer logo no dia 02 de outubro. “Se a gente não passar no primeiro turno, não vamos esmorecer. Lutaremos, vamos manifestar. Estou confiante. Mas se não rolar a gente não pode esmorecer”, pediu. 

Nova turnê de Letrux começou no Mada 2022 em Natal

A edição do Mada 22 marcou a volta de Letrux aos palcos com a turnê de seu mais novo disco, “Letrux aos prantos”, que teve ser adiada por conta da pandemia do novo coronavírus. Entretanto, a apresentação se destacou pelas performances de teatro (a mulher é expressiva demais)  e o equilíbrio de colocar na set-list os sucessos dos dois discos. 

Além disso, esta é a primeira vez da cantora ao Mada, visto que as outras vezes na capital potiguar foi através do Dosol. “A gente tem uma lembrança de Natal, gosto da praia, pôr do sol, astral, axé e a gente fica muito feliz e animado. O nosso show é cheio de ideias, com bastante fogo e a gente não entra para brincar”, finalizou a cantora. 

Mada 2022

Mada 22 fecha com política e capacitismo de equipe de Linn da Quebrada

Assim como o Lolapalooza e o Rock In Rio, o Mada 22 terminou neste sábado (24) seguindo o mesmo modus operandi: criticar a atual gestão de Jair Bolsonaro. Nomes como Baianasystem, Marina Sena e Linn da Quebrada fizeram questão de criticar o presidente. A parte ruim foi a reportagem presenciar uma situação desnecessária de capacitismo da equipe da cantora Linn da Quebrada, explicaremos no final da matéria.

Primeiramente, eu me atrasei e para jantar na padaria que fecha às 20 horas parecia estar jogando Sonic. Além disso, eu estava louca para ver o Boogarins, em que admiro bastante a psicodelia deles. A gente acreditava que iria perder uns 20 minutos de show, mas quando chegamos na Arena das Dunas, eles tocavam a última música. Isso fez perder o brilho? Não!

Entrevistei a banda e falei um pouco sobre como eles produziram o “Lá vem a Morte”, considerado um dos discos mais caros de artistas brasileiros. Matéria sai em breve.

Depois, veio a banda Afrocidade que, confesso, nunca escutara, mas gostei bastante de sua sonoridade, apesar de ter visto pouco show por missões jornalísticas.

Coletiva de imprensa de Marina Sena

A Marina Sena é uma cantora que está despontando no mercado. O single “Por Supuesto” virou um hit e hoje está na boca do povo, mesmo para falar do seu estilo, da sua voz diferenciada e discordei completamente dos professores de canto do Youtube que a mesma canta péssimo. Sem contar que tocou os sucessos de sua carreira solo como também de Rosa Neon, sua antiga banda. Mas, antes do show fez uma coletiva de imprensa com veículos nacionais e internacionais.

Agora vou transcrever o bate-papo:

Coletiva de Marina Sena no Mada 22

1) (minha pergunta para imprensa, cada repórter tinha direito a uma): Marina, você veio para Natal há seis meses e muita gente ficou apreensiva no show por conta de que a venda de ingresso para seu show virou trending na cidade. Mesmo assim, a apresentação lotou. O que espera agora?

Marina Sena: Olha eu já estou esperando muita coisa, porque daqui (aponta para janela do camarim) vejo que também tem muita gente e o pessoal super animado. Antes, fiz a passagem de som no palco e já amei a energia do festival (primeira vez dela no evento, pois só havia tocado no Dosol), achei lindo. Toda vez que venho para Natal eu fico muito feliz com o movimento das apresentações.

2) Repórter do Yahoo: Durante os festivais você até ficou brincando que as pessoas tiraram foto de sua virilha e isto virou notícia. Como você se sente quando vira notícia, assim como 2018 a Sabrina Sato bombou com a virilha sarada?

Marina Sena: Sério? Chocada? Não sabia que minha virilha seria pauta de alguma coisa. Mas legal, né? Achei tão bom ser pauta.

3) Repórter do Ceará que não entendi seu veículo: No ano passado, você fez show no Ceará e conversou com a nossa equipe alegando que não tinha como mensurar o sucesso do “De Primeira”, pois os shows presenciais estavam voltando aos poucos. Mas chega 2022 e veio o resultado. Qual a importância do retorno dos presenciais?

MS: Acho que está junto com o público é a melhor coisa de mensurar como está a repercussão do meu trabalho. Ver na internet é legal, mas pessoalmente é melhor. Viver a coisa, sentir o pulsar e acho importantíssimo eventos como esse aqui.

4) Repórter do UOL pediu para Marina Sena gravar um quadro no Instagram sobre quem vai bombar no verão e ela prontamente respondeu:

Eu acho que a pessoa já está bombando, mas vai bombar muito no verão. E não é pouco. Será a cantora Rachel Reis.

Pulou Don L foi? Vai falar dele não?

Não, após a coletiva de Marina Sena apreciei o show que fez todo mundo do Mada parar e ver que o rap nordestino cresce. Além disso, ele foi um dos políticos que puxou o coro de “Fora Bolsonaro” e ressaltou a importância de vencer logo no primeiro turno, alegando ser “acabar com o mal pela raiz”.

O rapper não quis dá entrevista para imprensa. Entretanto, o jornalista Gustavo Guedes, do portal “Por Dentro do RN”, registrou uma imagem dele no meio da galera.

https://twitter.com/gstvgds/status/1573915091149496321?s=46&t=m88Q62LXcHTTKNVJPKq2gA

Mayra Andrade me impressionou muito neste Mada 22

Falei no dossiê que uma das apostas do festival deste ano foi a cantora de Cabo Verde, a Mayra Andrade. Entretanto, a sua voz e seu estilo me surpreendeu positivamente, com uma banda afinada, cantora que equilibra bem o sampler e seu canto, além de ter um lindo conhecimento da música brasileira. Achei um dos covers mais bonitos de “Lamento Sertanejo”, de Gilberto Gil.

Além disso, ela tem um som eclético que é gostoso de usar, tanto que já comecei a seguir e escutar mais esta jovem.

E vamos falar de Baianasystem

O Baianasystem novamente no Mada e mais uma vez trabalhando a importância de debater as causas políticas durante shows, para o desespero das pessoas que não gostam de falar desses assuntos. No Mada de 2019, o cantor Russo Passapusso enfatizou que todo ato é político e principalmente durante o show precisa ser dito isso.

O show misturou com músicas do último disco, mas também ressaltou os direitos humanos, moradia digna, melhorias na América Latina e, claro, falar das eleições que acontece no próximo domingo (2). “Quem gostou faz o L”, disse.


Quer saber como foi o evento? Confira as fotos de João Pedro Rebouças a seguir.

Mada 22

Mada voltou mesmo? Sim! Relato do primeiro dia do evento em 2022

Após um longo hiato, o Festival Mada 22 voltou. E parece que voltou para ficar, se nenhum vírus maligno e cruel e uma gestão negacionista aparecer. O primeiro dia de show aconteceu nesta sexta-feira (23) e as pessoas estavam tão enlouquecidas, sendo que menos escatológicas que o de João Gomes em Mossoró.

O Festival contou com apresentações de pessoas desejando a volta do Lula, gente que fez o pessoal rebolar a raba e, o mais importante, se divertir. Um detalhe interessante é a continuação das apresentações dentro do campo de futebol.

O estádio Arena das Dunas foi construído para receber a Copa do Mundo, mas mostrou que é muito mais que isso. Agora, você vai entender o que eu vi nos shows, onde tivemos acesso a todos os lugares.

O primeiro show que vimos do Mada 22 foi Terno Rei, banda do selo Balaclava e surgiu na cidade de São Paulo. O grupo já veio para Natal em outros momentos, mas a sensação dos membros era de alegria ver o público cantando tudo e esperando prontamente, mesmo com 40 minutos de atraso. “A gente queria muito tocar em Natal, mesmo antes da pandemia”, disse o vocalista Ale Sater.

Inicialmente tocou as músicas do álbum mais novo, “Gêmeos”, fazendo a alegria dos jovens. Sim, havia muita presença de juventude, entre 18 a 22 anos circulando o seu voto com adesivos de Lula, gente criticando o presidente Jair Bolsonaro, mostrando roupas legais da Shein e, por fim, dando seu brilho. Fazendo com que o Mada 2022 virasse um mini-Rock In Rio, com mais organização.

O próximo foi a drag potiguar Potyguara Bardo no Mada 22. Uma das coisas peculiares foi o fato de que o telão no fundo do palco colocou primeiramente o nome Cazasuja, causando gargalhadas na plateia. Todavia, rapidamente alteraram. Potyguara mostra o amadurecimento do seu show, que foi bem perfomática e destaque ao Pout-Pourri com Wicked Games de Chris Isaak.

Agora vamos falar das apresentações principais do Mada 22

Mesmo não concedendo entrevista, o Emicida fez um show ímpar da turnê AmarElo, com banda completa e percussão maravilhosa. Além disso, enfatizou a importância de acabar com o neofascismo e apoiou a vitória de Lula no primeiro turno.

Agora vem a Letrux que volta a se apresentar com a banda completa após os dois anos de pandemia. Ainda mais a moça enfatizou a importância de votar no Lula, com calça de estrela e brinco com o nome do ex-presidente. Sem contar que alternou a apresentação com as músicas do seu primeiro e segundo álbum. “Como é um show de festival, será mais curto, mas entregarei a mesma energia de um show solo e se a energia daqui for boa, vai rolar uma interação massa”, disse em entrevista ao Brechando que postaremos na semana que vem.

A frase que ela encerrou o show vai marcou com uma frase que ri bastante.

Beijo para quem tem fogo no c*. Quem não tem, cria.

disse Letrux antes de cantar “Ninguém perguntou por você”

A penúltima apresentação foi com Glória Groove com a apresentação completa de “Lady Leste”. Inclusive, a primeira canção foi “A Queda”, uma crítica para política de cancelamento. A apresentação tinha influência de circo e também do burlesco. Além disso, antes da apresentação, no final do post falo da saga de tentar entrevistá-la.

Um dos destaques foi o Cover da cantora Pitty, gente gritando que ama Glória e com emoção disse: “Amo vocês muito mais”.

Por fim, Djonga

O Djonga foi quem encerrou o primeiro dia do evento, com uma apresentação eletrizante e o espaço ficou apertado de tanta gente querendo ver o rapper mineiro. Como resultado, o artista ficou impressionado com a galera cantando todas as músicas Além disso, a galera não parava de se mexer e não parou de gritar o governo.


Quer saber como foi o primeiro dia? Confira as fotos de João Pedro Rebouças a seguir e neste sábado (24) vai ter mais.