Prefeitura define o Dia do Moto-entregador

A Prefeitura do Natal publicou, na primeira página do Diário Oficial do Município (DOM) desta terça-feira (29), que haverá o dia do motoentregador. A data foi definida para celebrar esta profissão foi o dia 27 de julho. Também é comemorada em outros estados brasileiros, como Mato Grosso do Sul.

A data foi definida para criar um dia de conscientização sobre os altos índices de acidentes nesta profissão, que foi regulamentada em 2009 pelo senado Federal. O profissional tem que ter no mínimo de dois anos de habilitação na categoria “A” e habilitação em curso especializado.

A profissão surgiu, em meados da década de 80, devido à necessidade de se transportar objetos com rapidez nos grandes centros com agilidade e baixo custo. Eles são responsáveis em entregar diversos tipos de objetos: pizza, fast-food, documentos, pagamentos bancários, entre outros produtos e serviços.

Sobre Cidade da Esperança: primeiro conjunto habitacional da cidade

Cidade da Esperança é um bairro localizado na zona Oeste da cidade. Inicialmente foi conhecido como conjunto habitacional, o primeiro instalado na capital potiguar no final da década de 1960. A criação do conjunto foi realizado inicialmente pelo governo de Aluízio Alves, através da Fundação de Habitação Popular. Na época, este programa era pioneiro na América Latina.

Reza a lenda que o nome do conjunto se refere à Brasília, que era conhecida como a “Capital da Esperança”.

cidadedaesperança
Vista aérea do conjunto habitacional

A necessidade de criar um conjunto habitacional se deu devido à forte imigração para Natal no início da década de 1960, causando uma forte pressão demográfica. O terreno ficava numa parte não aproveitada do antigo leprosário.

Sua construção durou de 1964 a 1966 e contou com recursos financeiros tanto do governo do estado do Rio Grande do Norte quanto com dinheiro dos Estados Unidos, através da Aliança para o Progresso. Só transformou em bairro no ano de 1993.

Através deste conjunto habitacional, Alves procurou evidenciar que aquela era uma obra de seu governo, de seu esforço e de seu irmão. Com isso, ele procurava dar a entender que o povo sonhava com casas populares, de pagamento facilitado e que ele, Aluízio, percebendo isso, realizou o desejo do povo. Dessa forma,o povo aparecia como passivo, como aquele que desejava, mas que não conseguia as tais casas.

Além das 560 casas, também foi construído um mercado e uma escola pública, chamada Raimundo Soares, que existe até hoje. Ao longo dos anos, o conjunto habitacional cresceu e várias pessoas vindas do interior do Rio Grande do Norte migraram para o bairro na esperança de ter um futuro melhor.

Hoje, o local tem mais de 30 mil moradores, conta com diversos estabelecimentos comerciais, postos de saúde, uma rodoviária, igrejas, praças e dentre outras coisas. Confira esta reportagem elaborada pela TV Ponta Negra em meados dos anos 2000.

Fotos que representam cotidiano natalense dos anos 90

Natal não era uma cidade tão grande na década de 90. O aeroporto parecia um galpão de tão pequeno, não tínhamos grandes fast foods,  não haviam grandes supermercados e muito menos . Mas, foi neste período que apareceam os maiores shoppings e as primeiras grandes multinacionais para a cidade. Apesar de a gente não ser como Recife ou Fortaleza, nós sabíamos nos divertir com poucos recursos.

Assistíamos grandes shows dos artistas no finado estádio Machadinho (ficava do lado do Machadão, hoje Arena das Dunas) ou no Palácio dos Esportes, em Petrópolis.

machadinho-machadao

Para as crianças, um lugar divertido com bastante shows era o Cidade da Criança. Lá poderia visitar as miniaturas dos prédios históricos da cidade, andar nos brinquedos, assistir uma apresentação ou andar de pedalinho na Lagoa Manoel Felipe. Pena que tudo isso ficou fechado durante meados da década de 2000 por falta de reparo. Agora, ela está de volta e com todas as coisas recuperadas.

cidade_da_crianca

Foi nesta época também que inaugurou o primeiro grande shopping na cidade: Natal Shopping. Lá tinha uma ampla praça de alimentação, cinema moderno, lojas de grifes e, principalmente, o Natal Play, onde com algumas fichinhas poderíamos brincar nos fliperamas, nos brinquedos mais radicais (como a Barca), andar no carrinho bate-bate e dentre outras coisas.

Hoje não existe o parque, agora se transformou em Lojas Americanas. O Natal Shopping também tinha uma programação especial durante o período natalino. Eles enfeitavam o shopping com filmes da Disney, como Alice no País das Maravilhas,  e deixavam as crianças brincar no trenzinho que era super legal, alegrando as crianças.

Natal da Alice no País das Maravilhas (veja como o gato risonho estava bem elaborado, porém não)
Natal da Alice no País das Maravilhas (veja como o gato risonho estava bem elaborado, porém não)

Foi nesta mesma época que ocorreu a inauguração do Praia Shopping. A única vantagem? O mesmo tinha um supermercado dentro do shopping em uma era pré-Midway Mall. O estabelecimento não durou por muito tempo e o shopping ficou sem muita utilidade até chegar o Moviecom na década de 2000, o único cinema no bairro de Ponta Negra.

Praia Shopping numa era pré-Moviecom
Praia Shopping numa era pré-Moviecom

Já no carnaval, os natalenses se mudavam para as praias do Litoral Sul, como Pirangi e Búzios. Na segunda praia citada, a gente queria saber o que significava o estabelecimento “O Pirulito”, nos divertíamos nas praias, descíamos no tobogã do Big Blue ou tentava subir desesperadamente os morros existentes.

Praia de Búzios com meus pais em 1996
Praia de Búzios com meus pais em 1996

Onde ficava o Natal Acqua Center?

Perto da praia de Cotovelo, no município de Parnamirim, ficava um dos parque aquáticos mais conhecidos do Rio Grande do Norte. Era década de 1990, numa época que ainda não tinha o Ma-Noa para descer nos enormes tobogãs. Estou falando do Natal Acqua Center.

O local tinha várias piscinas e brinquedos para todo mundo. Só fui uma vez quando era pequena. Foi um dos primeiros parques desse porte na cidade.

Ficava logo na entrada da praia de cotovelo. O terreno fica perto do condomínio Corais de Cotovelo. O estabelecimento fechou no início dos anos 2000 e está abandonado há anos.

Foto da Tribuna do Norte do antigo Natal Acqua Center já abandonado
Foto da Tribuna do Norte do antigo Natal Acqua Center já abandonado

O local onde estão as piscinas está aterrado de areia, ocultando as marcas que foi um local de diversão dos natalenses algum dia.

Atualmente, o terreno foi comprado por uma grande construtora, no qual prometeu que iria elaborar um grande condomínio com inúmeros apartamentos. Até o momento, os prédios ainda não foram reerguidos. A mesma empresa já construiu um condomínio que fica na orla da praia.