Que tal visitar um brechó na Ribeira?

Quem gosta de comprar roupas através do brechó ou gosta de achar coisas bonitas em cantos baratos? Haverá no próximo dia 12 de dezembro mais uma edição do “Renova Brechó”, que acontecerá pela primeira vez na sede do grupo Gira Dança, a partir das 15 horas, na Rua Frei Miguelinho, no bairro da Ribeira, zona Leste da capital potiguar.

Para quem não sabe, a Rua Frei Miguelinho fica a Casa da Ribeira e o Espaço A.Bo.Ca, onde ocorrem as apresentações de grupos de teatro da cidade. Além do brechó, o evento terá diversas atividades culturais, como o sarau do grupo “Iapois, Poesia” e um bate-papo sobre moda e sustentabilidade com convidados especiais.

Haverá peças femininas, masculinas e para o público infantil. Ambos custando entre 1 a 100 reais e alguns produtos já estão sendo expostos, como este vestido de bolinha de tamanho G custando apenas 20 reais, veja a foto a seguir:

Bonito, né?
Bonito, né?

Sapatos, bolsas e acessórios (brincos, colares, bolsa, cinto e pulseiras) também serão vendidos. Esta bota a seguir custa apenas 40 reais e possui couro sintético.

12308434_437591763100378_1754747628559419127_n
Sapato de couro sintético

 A organização do evento sorteará brindes durante o evento. Cada pessoa que comprar alguma coisa no brechó irá receber um ticket para participar dos sorteios surpresas.

É proibido a venda de produtos de terceiros, visto que a organização do “Renova Brechó” afirmou que já possui um estoque próprio. Está com dúvidas? Liga para este telefone a seguir: (84) 84 99623-6159.

O Renova Brechó é um evento que acontece mensalmente com intuito em promover um espaço de consumo consciente. Para mais informações, acesse a fanpage.

Serviço: 

Data: Sábado, dia 12 de dezembro de 2015.

Onde: No Espaço Giradança, localizado na Rua Frei Miguelinho, no bairro da Ribeira. Essa rua é a mesma da Casa da Ribeira, fica antes da Rua Chile e tem ponto de ônibus próximo.

E esses canteiros coloridos em Nova Parnamirim?

Muitos olham os canteiros na fronteira entre Natal e Parnamirim e percebem que eles são bastante coloridos, principalmente naquela parte de acesso ao bairro de Nova Parnamirim. Nas aulas de geografia, os professores sempre comentavam que este trabalho, sem querer, era o que delimitava a fronteira da capital potiguar. As árvores, pneus, calotas e postes são todos pintados. Além disso, o local é cheio de mensagens positivas. Mas, você sabe quem faz isso?

O autor desta arte se chama D’Luca Filho, no qual desde 1997 realiza este tipo de arte no canteiro. Ele foi retrato da série de documentário chamado “Alma das Ruas”, no qual um trecho, em forma de reportagem, já foi exposto na TV Brasil,  um dos canais públicos do Governo Federal.

Escutando música bem alto, com fone de ouvido, ele pinta paus, pedras, pneus e outros dejetos que são jogados no meio da BR 101. A intenção é deixar a via federal de forma mais humana e sempre são colocadas mensagens positivas, como paz, amor e também preservar a natureza.

O artista define este trabalho chamado “Canteiro Mensagem” e o trabalho é mantido até hoje pela população.

Na época, ele mora no conjunto Cidade Satélite, onde junto com crianças e idosos começaram a plantar árvores em meio ao terreno cheio de lixo. Saiu com um carro de mão, tinta e material limpeza e começou a decorar a rua. Além de pintar, ele também molha as plantas e limpa os canteiros.

D’Luca já morou no interior do Rio Grande do Norte e foi para São Paulo na juventude, onde começou o seu trabalho de fotógrafo de jornal. No ano de 1993, ele se mudou para Natal, onde trabalhou como repórter fotográfico de vários jornais da cidade, incluindo o Diário de Natal, que fechou em 2012. Ele ainda cobre diversos eventos sociais da cidade.

Atraso de repasse da Prefeitura prejudica Lar da Vovozinha

O Lar da Vovozinha é organizado pela Associação Espírita Enviados de Jesus. Atualmente, ele abriga 40 idosas de várias regiões do Rio Grande do Norte que foram abandonadas pelos seus familiares por diversas razões.  É um dos abrigos mais conhecidos do estado, que atualmente é sustentado a partir de doações vindas de órgãos públicos, empresários, escolas e população natalense em geral.

O local fica na Avenida Antônio Basílio, nº 1264, no Bairro Dix Sept Rosado A casa foi criada por Antenor da Silva Melo, com apoio da sua esposa. Antenor se inspirou em criar este lar após ter lido um livro de Chico Xavier.  No dia 25 de dezembro de 1981 , a Associação Espírita Enviados de Jesus, sob a presidência de Antenor Melo, inaugura em sua própria sede, o “Lar Espírita da Vovozinha”, contando com o apoio de várias instituições espíritas.

O Lar Espírita da Vovozinha fornece assistência em alimentação, acompanhamento médico, nutricional e farmacológico, Fisioterápico e Terapia ocupacional sendo de destacar o esforço da equipe de enfermagem durante 24 horas por dia, além de acompanhamento de assistência social e do grupo feminino no apoio ao programa permanente de higienização, orientação espiritual com participação de todos os seguimentos religiosos, de forma que se respeite a preferência de cada interna por essa ou aquela crença.

Entretanto, o local e outros abrigos de idosos estão passando por um grande problema. O atraso do repasse da Prefeitura do Natal pode fazer com que Lar da Vovozinha deixe de funcionar, deixando 40 idosas desamparadas e 36 funcionários desempregados.

A direção publicou esta imagem no Facebook no início desta semana:

12295266_540959546056767_547535377748082558_n

A direção alega que os repasses financeiros da Prefeitura de Natal para diversos abrigos de idosos estão atrasados. Ou seja, todas as instituições de idosos, incluindo o Juvino Barreto, está passando por este problema. Esses recursos vem a partir de convênios feitos pela Secretaria Municipal de Assistência Social (Semtas).  Os diretores desses abrigos já chegaram se reunir com Carlos Eduardo e entregaram um projeto de lei com a finalidade de regularizar a situação, porém nada foi feito. Eles também realizaram uma caminhada solidária e ecumênica para que o Poder Público se sensibilizasse com a situação.

Hoje, o Lar da Vovozinha está com três meses de atraso nos repasses e impossibilitada de pagar os salários e o décimo terceiro a seus funcionários.

O custo atual para para manter um idoso girou em torno a R$ 2.469,00 por mês em 2015. A média da contribuição mensal de cada idosa é de R$ 600,00. O Município de Natal repassa R$ 325,00. A cada mês as casas têm um déficit de R$ 1.544,00 por idoso, o que é insustentável. Fechando as portas haverá cerca de 300 idosos sem abrigo e 205 funcionários desempregados.

Na noite desta terça-feira (1), a direção desabafou mais uma vez. Veja o recado da organização da instituição em sua página no Facebook:

Os Abrigos de Idosos de Natal pedem Socorro!Com os repasses da prefeitura de Natal congelados desde a gestão de Micarla se Souza e com os atrasos frequentes, os abrigos de Natal FECHARÃO SUAS PORTAS.

Todo o setor está em luta e muito fez para que a sua situação fosse melhorada. As diretorias das casas entregaram ao prefeito Carlos Eduardo um projeto de lei que regularizava a sua situação perante o município acompanhado de 20.000 assinaturas: não obtivemos nenhuma resposta.

Uma Caminhada Solidária e ecumênica organizada pela Arquidiocese de Natal, Igrejas evangélicas e comunidades espíritas reuniu mais de oito mil pessoas para sensibilizar o Poder Público a assumir as suas responsabilidades perante os idosos: nada ocorreu.

As leis, entretanto, obrigam o Poder Público a financiar o abrigamento de idosos em situação de vulnerabilidade, como os que vivem conosco e o Ministério Público tem conseguido obrigar a prefeitura a pagar pela permanência de idosos em instituições privadas que cobram por cada idoso metade do que a prefeitura repassa a uma casa para cuidar de dezenas de idosos. As Casas não recebem de maneira isonômica com o que cobram as instituições privadas, ou seja são exploradas em sua boa vontade.

Hoje as casas estão com três meses de atraso nos repasses e impossibilitadas de pagar os salários e o décimo terceiro a seus funcionários. Enquanto a cidade vai festejar o que pretende ser o “maior réveillon de todos os tempos”, os abrigos de idosos estarão completamente abandonados.

O custo atual para para manter um idoso ou idosa em nossas instituições girou em torno a R$ 2.469,00 por mês em 2015. A média da contribuição mensal de cada idosa é de R$ 600,00. O Município de Natal repassa R$ 325,00. A cada mês as casas têm um déficit de R$ 1.544,00 por idoso, o que é insustentável. Fechando as portas haverá cerca de 300 idosos sem abrigo e 205 funcionários desempregados.

Prefeito Carlos Eduardo, as casas suplicam, olhe pelos seus idosos