Vai ter mais eventos do Diversão Na Lagoa

Há alguns dias, nós brechamos o Diversão Na Lagoa, evento que reuniu os amantes de jogos de tabuleiro (boardgame) e do Role-Playing Game (RPG) na Cidade da Criança, mais precisamente nas margens da Lagoa Manoel Felipe. O organizador do evento Raphael Lima anunciou que vai ter mais seis eventos no semestre que vem.

Este não é o primeiro evento que Lima organiza, uma vez que criou o ZN Lúdica há três anos, onde reúne os fãs destes joguinhos na zona Norte da capital potiguar. A escolha de fazer um evento na Cidade da Criança se deu pela característica lúdica do local.

“O  caráter profissional com que a atual direção da Cidade da Criança vem trabalhando na área da cultura e educação (também ajudou). É necessário também ressaltar que além do grande apoio dado pela direção da Cidade da Criança, o projeto foi abraçado pelo SINTE/RN (Sindicato dos Trabalhadores em Educação do RN) e a CUT/RN (Central Única dos Tra-balhadores do RN)”, enfatizou.

Raphael, que é professor de história da rede Municipal de ensino, é um grande amante destes dois tipos de jogos.  “A primeira edição foi um piloto, queríamos ver como funcionaria. E a resposta foi muito positiva, tanto do público, como dos colaboradores. Sobre as próximas edições, já abrimos diálogo com os nossos colaboradores que continuam responsáveis pelo setor de Boardgames. Mas no tocante ao RPG é que teremos as mudanças mais significativas, o que foi sempre uma ideia inicial do grupo ao qual participo, o Mundos Colidem“, afirmou.

O professor ainda comentou que alguns integrantes do grupo lecionam suas aulas utilizando o RPG. Portanto, o foco é divulgar esta modalidade como algo educacional. Ou seja, a intenção é divulgar a importância desta modalidade não só como diversão, mas também como algo para o desenvolvimento cognitivo.

Raphael Lima (de azul claro) durante o Fliq 2015 (Foto: Cedida)
Raphael Lima (de azul claro) durante o Fliq 2015. Ele é quem organiza o Diversão Na Lagoa (Foto: Cedida)

“Nas próximas edições, teremos palestras, mesas redondas e debates sobre o RPG e jogos de tabuleiro, com expoentes da área em nível estadual e nacional. E até agora, a grande notícia é a parceria com a Editora New Order, uma das grandes representantes do RPG nacional, que vai ser apoiadora do Diversão na Lagoa em 2016”, contou o organizador.

Para Lima, o movimento potiguar para jogos de tabuleiro e RPG é forte, que aumentou principalmente com o crescimento de lojas especializadas nos últimos anos e com os eventos deste porte.

O primeiro vai começar logo no dia 31 de janeiro de 2016. Os eventos acontecerão sempre no último domingo do mês.

“Foi um salto muito grande, de um pequeno evento na Zona Norte, para um abrangendo toda a cidade.  Estamos trabalhando muito para aproveitar os bons ventos que sopram para a prática do RPG e Boardgames na cidade. A grande ideia é consolidar o evento no ano seguinte, quem sabe trazendo levando-o para a perspectiva estadual e entrar para o hall dos grandes eventos nacionais que estão ocorrendo por todo o Brasil. Mas sempre mantendo o seu diferencial”, finalizou.

Sobre Raphael Lima

Raphael tem 33 anos e é professor de história. Começou a jogar RPG em 1995 por intermédio de um amigo. Atualmente, ele deve ter 50 jogos e prefere aqueles que podem jogar com amigos ou familiares.

“A metodologia da narrativa interativa utilizada pelo RPG sempre me fascinou, a capacidade de interagir na história por meio de um personagem jogador. Os jogos de tabuleiro vieram desde a infância com a descoberta do xadrez e damas. No mesmo período também conheci o WAR. Jogos de tabuleiro mais complexos, só venho ter contato a partir de 2011, quando fui apresentado ao projeto Trampolim da Aventura. Com a minha formação em educação, comecei a pensar em como poderia utilizar o RPG e os jogos de tabuleiro nas minhas aulas”, relatou.

O que foi o Arpege? Prédio está caindo aos pedaços

Argepe foi uma boate/cabaré que existiu até a década de 1990, ficava na Rua Chile, na esquina com a Travessa Venezuela. Assim como o Maria Boa, ele foi o espaço bastante conhecido pela boêmia potiguar. Hoje, o prédio está completamente destruído, os pavimentos superiores foram derrubados com a falta de reparos. Agora, nós vamos contar a história deste patrimônio da cidade.

O prédio foi construído no século XX por um família de alemães, tendo inicialmente funcionando como um armazém para depósito chamado “Secos e Molhados”.  Em 1941, o empresário Nestor Galhardo adquire parte da edificação, tendo o intuito de instalar sua própria gráfica, ocupando apenas o pavimento térreo.

De acordo com a dissertação de mestrado de Gilmar Siqueira, a Segunda Guerra Mundial, Galhardo decidiu abrir um cabaré no pavimento superior, que seria administrado por sua amante e cuja entrada era feita através da Travessa Venezuela. O nome oficial do prédio é Edifício Galhardo. 

Reza a lenda que os presidentes Franklin Roosevelt (EUA) e Getúlio Vargas quando visitaram a capital potiguar, em 1941, teriam passado no cabaré.

Após a morte do seu proprietário, o  Nestor Galhardo Neto assume a administração dos negócios contidos no imóvel. Durante algum tempo, a gráfica permaneceu em atividade e, após alguns problemas ocasionados a gráfica ficou fechada.

89132
Foto: Fernando Caldas

O local serviu como cenário para dois filmes, o “For All- Trampolim da Vitória” e “O Homem que Desafiou o Diabo”.

Cabaré Arpege quando ainda estava inteiro
Cabaré Arpege quando ainda estava inteiro (Foto: Zé Paulo Cardeal)

No ano de 2005, o imóvel é adquirido pela empresária carioca Paula Homburger, que acreditou no projeto de revitalização da Ribeira. A intenção era construir um restaurante no local onde por muitos anos funcionou o cabaré, porém a ideia não deu certo por diversas razões.

Em 2008, parte da estrutura do cabaré da Arpege é destruída com as fortes chuvas na cidade, chegando a ser interditado pelo Corpo de Bombeiros do Rio Grande do Norte . No ano de 2010, o prédio foi tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), mas nenhum plano de revitalização ou reforma existe.

Três árvores peculiares espalhadas no RN

Já falei do Baobá e do Cajueiro, mas existem outras árvores interessantes que estão espalhadas em outros municípios do Rio Grande do Norte. Listarei três árvores consideradas peculiares, no qual duas ficam na região Agreste e outra no litoral Norte.

1) Árvore do Amor

Foto: Wilson Houck Júnior/Panoramio
Foto: Wilson Houck Júnior/Panoramio

A árvore fica no município de Maxaranguape (região Metropolitana de Natal e no litoral Norte potiguar), mais precisamente no Cabo de São Roque, ponto da América do Sul mais próximo da África. Na trilha em direção ao cabo, o visitante pode ver duas árvores que são unidas pela impressionante força do vento para formar quase uma só. Por isso, tomou o nome popular de árvore do amor. Dizem os nativos que o casal que se beijar embaixo do arco formado pelos troncos das árvores jamais se separará.

2) Gameleira

gameleira (Ficus catappifolia) mata estrela
Foto: Francisco Souza

A Gameleira fica na Mata Estrela, um parque florestal localizado no município de Baía Formosa. É um dos poucos vestígios da Mata Atlântica dentro do Rio Grande do Norte. Esta é considerada uma das árvores mais antigas da Região Nordeste, tem mais de 30 metros de altura. A circunferência do seu caule é de 18 metros e sua copa enorme tem cerca de 35 metros. Uma fenda no tronco permite que se passe por dentro da árvore.

3) Pau Grande

x-conselho929

A árvore Pau Grande fica na cidade de Pedro Velho. A planta fica do lado das ruínas da capela de Santa Rita de Cássia, destruída após uma grande enchente do rio Curimataú em 1901. De acordo com moradores, a árvore foi plantada no final do século XIX por moradores. A árvore é uma das maiores do Rio Grande do Norte. Precisa em torno de 30 pessoas para conseguir abraçar a gigante, que é da mesma família do baobá.