Jogos Olímpicos acabando: Infográfico sobre participação BR

Querem mais Olimpíada? Os Jogos Olímpicos acabam neste fim de semana no BR (acabou a zoeira!). Até o momento, o Brasil está entre o Top 20 no ranking das medalhas e se tornou uma das melhores campanhas do país desde os jogos de 2004 (quando ficaram em 16º colocado). Neste ano, eles conquistaram, até o momento, apenas cinco medalhas de ouro (até o domingo esse quadro pode mudar), ficando na frente da Argentina.

Para finalizar, o Brechando coletou algumas coisas sobre a participação brasileira na Olimpíada e criamos um infográfico para se divertir, antes do Brasil jogar, novamente, contra a Alemanha no futebol masculino. Sabia que a gente ganhou mais medalhas por “Vela”? Só participamos apenas 20 anos depois da criação da Olimpíada dos tempos modernos?

Saiba mais neste infográfico:

curiosidades-olimpicas (1)

Alan Persa e as cantorias nas principais vias de Natal

Alan Persa não passa despercebido nas ruas potiguares, principalmente por sua voz e andar acompanhado por um violão. É assim que ele ganha a vida como músico, que começou em torno de um ano. Toda semana, principalmente no fim de tarde, está circulando na calçada do shopping Midway, com o repertório mais variado possível e o Brechando chegou lhe entrevistar rapidamente.  A ideia de tocar dessa forma surgiu quando era integrante da banda “KdMaitê”, mas agora está realizando uma carreira solo.

“Estou fazendo este trabalho desde o ano passado e eu comecei a fazer no centro da cidade”, comentou o músico.

Com certeza, você já ouviu essa voz:

Falaremos disso em breve

Um vídeo publicado por Brechando (@_brechando_) em

Apesar da formação como arquiteto, a música sempre esteve presente na sua vida. Aos 13 anos começou a gostar de rock, mais precisamente de Red Hot Chilli Peppers. Então, ganhou um violão e começou aprender as primeiras músicas. Do violão veio a guitarra e foi assim que começou a se profissionalizar.

Em 2003, como guitarrista, fundou com amigos do colégio do que iria se tornar mais na frente a banda 2polos, que lançou dois discos. Chegou a tentar uma carreira mais profissional com a banda em São Paulo, mas sem sucesso.

Os primeiros passos da carreira individual foram em um barzinho que os pais costumavam frequentar bastante com os amigos. Mas desde São Paulo, ele tinha uma vontade de tocar na rua, visto que achava massa indo ao trabalho no centro de São Paulo e passar por um cara fazendo solos de guitarra no meio do caminho.

Inspirado no Rodrigo Lacaz, que estava fazendo shows de rua no calçadão de Ponta Negra, ele também resolveu se aventurar. Foi aí que surgiu a banda KdMaitê e neste ano começou a tocar na calçada do Midway e seus vídeos a viralizar na internet. Hoje, além dos shows de rua, também faz festas particulares e toca em alguns barzinhos.

Apesar de estar pouco tempo no Midway, ele conseguiu fazer grandes feitos. “Um rapaz veio até o meu Facebook para agradecer por eu estar tocando música naquele momento, pois a canção lhe encorajou pedir a garota que ele gostava em namoro e deu certo. A música era do Pink Floyd, que é uma das minhas bandas favoritas”.

A vantagem de tocar as músicas na rua, ele também guarda momentos incríveis. “Na rua, o público é mais democrático, estou tocando para pessoas sem nenhuma distinção. Todo mundo pode curtir o seu som e tentar agradar a todos”, afirmou o cantor.

Além do Mid, todos os domingos está em Ponta Negra.  Para curtir a fanpage do cantor é só clicar neste link.