Reduto do Pump it Up nos anos 2000 fechou

Neste último final de semana, o Danny’s Park, localizado no Via Direta, encerrou as suas atividades. Informação foi confirmada pelos funcionários do shopping. Para quem foi adolescente nos anos 2000, o local era onde tinha as máquinas mais modernas do Pump It Up e o ponto de encontro das pessoas que gostavam deste jogo, por ser um dos locais mais baratos.  Quando vi o espaço todo desmontado, relembrei rapidamente dos meus 14 anos.

Para quem não sabe o Pump It Up é uma máquina de simulação de dança, criada em 1999 pela empresa sul-coreana Andamiro, lançada inicialmente no seu país de origem e posteriormente sendo lançada em diversos outros países da Ásia, Europa e América. Obteve um grande êxito comercial na América Latina. Ao todo, foram lançadas 22 versões, sendo que a última em 2015.

O êxito comercial da Pump It Up proporcionou o surgimento de diversas comunidades de fãs e jogadores ao redor do mundo. As atividades das comunidades se intensificaram, proporcionando o surgimento de competições por todo o mundo.

Ao terminar a música, será dada uma nota de acordo com a precisão do jogador. As notas existentes são:

SS: O jogador acertou 100% das setas com Perfect.

S Dourado: O jogador acertou 100% das setas, sem tirar nenhum ‘good’, ‘bad’ ou ‘miss’.

S Prateado: O jogador acertou 100% das setas, seja qual for sua precisão, desde que não ocorra um ‘miss’.

A: O jogador acertou entre 90 e 95% das setas

B: O jogador acertou entre 85 e 89% das setas

C: O jogador acertou entre 80 e 84% das setas

D: O jogador acertou entre 75 e 79% das setas

F: O jogador acertou menos de 74% das setas, e não foi aprovado.

Durante o jogo são jogadas 3 músicas a serem escolhidas pelo jogador. Caso ele consiga 3 vezes a nota A ou S, será concedida uma quarta música de bônus.

Em Natal, por exemplo, o sucesso do Pump It Up foi entre os anos de 2005 a 2010, quando as pessoas se encontravam em diversos pontos da cidade para ficar dançando a tarde inteira. Além disso, eventos como o Saga e Yujô levavam as máquinas para realizar competições.

Fui uma das adolescentes que passava a tarde inteira no Danny’s Park dançando no PIU, aprendi quase todos os códigos que eram utilizados na máquina. Quando tinha a aula a tarde no colégio, por exemplo, usava o troco do almoço para recarregar meu cartão. Antes, havia diversas lojas que tinham a máquina, mas quase todas fecharam.

Agora, uma das oportunidades de querer dança a máquina ainda é a Game Station do Midway Mall ou no Sweet Play do Natal Shopping.

PIU do Game Station
PIU do Game Station

Falei um pouco do Pump It Up neste texto.

Vocês precisam comer esse chips de banana da terra

Esse chips de banana da terra da foto acima é muito bom. Detalhe: eu não gosto de banana. Tanto que eles dão essas delícias para os novos clientes experimentarem e quebrarem a cara. Lá tem opção de três fritas: bata-frita tradicional, chips de banana da terra e batata-doce.

Esse é um dos pratos do restaurante Rapadura, especializado em hambúrguer que fica do lado do famoso Taverna Pub. São os mesmos donos da tapiocaria Casa de Taipa. Foi inaugurado neste ano e ele possui algumas peculiaridades, como a ausência de garçom, no qual o próprio cliente tem que atender e limpar a mesa onde consumiu o seu prato.

O nome é uma homenagem ao doce feito de açúcar tradicional no Nordeste e vendido em formato de tijolos.

A ideia de um restaurante sem garçons veio dos Estados Unidos, mais precisamente no estado da Califórnia, que já expandiu para outros países, como a Inglaterra. Em São Paulo, uma sanduicheira chamada Garagem, criou um ambiente parecido, onde os clientes devem buscar a sua comida no balcão, pedir o prato por conta própria e fazer em um cardápio reduzido. Além disso, os funcionários vão explicar o produto, conversando de igual para igual.

O Rapadura é bastante similar ao Garagem. Mas, com alguns toques nordestinos. Lá, os funcionários explicam o funcionamento do restaurante, mostram os cardápios com apenas três pratos principais e a dinâmica do estabelecimento. Eles fornecem duas opções de mesa: a coletiva, onde você pode interagir com pessoas que você não conhece (tem tomadas para carregar o seu celular com bateria fraca) ou uma mais reservada.

image
Rapadura fica do lado do Taverna Pub (Fotos: Lara Paiva)

São três opções de hambúrguer, todos com alguma relação ao litoral potiguar. O hambúrguer Ponta Negra leva pão tradicional, hambúrguer, queijo muçarela, queijo de coalho, tartar de tomate, molho da casa e alface; o Pium tem pão de rapadura, hambúrguer, muçarela, bacon, tartar de tomate, picles de maxixe, molho da casa e alface; e o Pipa, pão de jerimum, hambúrguer, muçarela, gorgonzola, cebola caramelizada, tartar de tomate, picles de chuchu, molho da casa e alface.

Ainda tem os batidos, que são milk-shakes de rapadura com paçoca, de brigadeiro ou de coco, e os pecados da lata – brigadeiros tradicionais, casadinho ou de rapadura. Já pediu o seu prato? Você vai esperar dentro do restaurante e alguém vai te chamar pelo megafone no modo mais nordestino possível: “ATENÇÃO, FULANO, AVIA”.

image
Como você é chamado no restaurante (Fotos: Lara Paiva)

Agora, é só degustar o sanduíche, que é totalmente original e gostoso. Um dos pontos fortes do restaurante é a identidade visual, no qual você pode ver a logo do restaurante desde no hambúrguer até nos copos e embalagens que são fornecidas. Também defende muito a reciclagem, visto que eles usam para armazenar guardanapo e os molhos vem de latas recicladas.

A decoração lembra um pouco do Nordeste devido ao estilo rústico, mas também tem aquelas decorações que são vistas na rede social Pinterest, como parede feita com quadro negro e pallets.

Após terminar o seu prato, deixa a bandeja no local que é para aguardar e joga no lixo.

image

Veja mais fotos do Rapadura a seguir: