De onde surgiram estes “caracóis” em Natal?

Na verdade, eles são caramujos africanos, apesar do termo “caramujo” está equivocado. Qual a diferença? A diferença é que o caramujo vive no mar e o outro vive na terra. No período de chuvas, os moluscos aparecem nas ruas, terrenos e nas casas existentes em Natal. Além disso, eles se propagam de forma rápida. Além disso, ele se adapta ao clima tropical úmido.

O caramujo africano é um animal exótico, que se adapta ao clima tropical úmido. Os caramujos africanos são conhecidos por serem hospedeiros de duas espécies de verminoses que acometem os seres humanos, ocasionando graves problemas de saúde.

O bichano foi trazido para o Brasil na década de 80, numa tentativa de exploração comercial de sua carne que terminou não dando certo. O habitat natural é em terrenos particulares e baldios ou em áreas de lagoa de captação de águas pluviais.

Em Natal, ele foi trazido por um empresário da África para o Rio Grande do Norte, em 2002. Como o molusco tem gosto parecido com o escargot, a intenção era ganhar o mercado brasileiro. Naquela época, cada caramujo chegou a ser vendido por R$ 1 mil.

O caramujo africano vive cerca de nove anos, é hermafrodita e pode colocar 200 ovos a cada dois meses. O problema é que no Brasil não há um predador natural.

As pessoas podem matar o caramujo, usando luvas ou sacos plásticos e, depois de juntá-los com uma pá ou outro tipo de instrumento, colocando-os dentro de algum recipiente. Depois é só jogar sal ou água sanitária e depois de matá-los, baste enterrá-los.

13 posts da lua deste domingo no Instagram em Natal

Neste domingo (27) houve o fenômeno do eclipse da Superlua, que raramente acontece. A última vez aconteceu em 1982 e a previsão é que a próxima será em 2033.  Este fato atraiu alguns natalenses e regiões vizinhas. Claro que tiveram diversos registros na rede social Instagram, onde pode colocar fotos e vídeos.


Ver também:


Confira as postagens a seguir:

1)

🔴 #Red #moon #brazil #natal #superlua #superbloodmoon #eclipselunar

A photo posted by Lucas David Albino (@lucasalbino) on

2)

Aqui em Rosa dos Ventos a lua é vista dessa perspectiva… A photo posted by Everson de Andrade (@vevelandrade) on

3)

4)

Eclipse da lua 23. 12hs 27 09 2015. Fot Ivanizio Ramos. A photo posted by Ivanizio Ramos (@ivanizioramos1) on

5)

7)

8

Lua Vermelha 27.09.2015

A photo posted by Iglê Medeiros (@revele_se) on

9)

10)

A lua deste domingo. Mas tarde tem eclipse. #moon #superlua

A photo posted by Canindé Soares (@canindesoares) on

11)

Ôôô paraíso! 🌴🌚🌊 #pontanegra #lua #luacheia #natal #rn #moon #praia #beach #boanoite

A video posted by Andrei Torres ✌ (@andreictorres) on

12)

Um portal no céu #moon #SuperLua #sky #meucliquenonovo

A photo posted by Rafael Barbosa (@barbosaria) on

13)

[FOTOS] Espiando o eclipse da Superlua em Natal

A noite deste domingo (27) foi marcada por um bonito fenômeno da natureza: o eclipse da Superlua, no qual a última vez que aconteceu foi em 1982. Quer dizer, houve ao mesmo tempo o fenômeno da lua gigante e o eclipse lunar (conhecido como lua sangrenta). A próxima vez que os dois acontecem ao mesmo tempo é só daqui a 18 anos.

A Superlua apareceu no Rio Grande do Norte por volta das 17h30. Já o raro evento começou em torno das 22 horas e terminou na madrugada desta segunda-feira (28).

eclipse-em-gif
Eclipse em GIF (Por Lara Paiva)

O nome deste fenômeno é Superlua, porque o satélite natural fica bastante próximo da terra e só acontece quando está na fase cheia.  De acordo com a Agência Espacial Norte-Americana (Nasa), as Superluas acontecem em média uma vez por ano. Este ano já tivemos duas, mas esta foi a mais próxima do planeta.

Isso acontece porque a órbita da lua não é um círculo perfeito, então em alguns pontos de sua órbita ela parece estar mais próxima da Terra.  Já o eclipse acontece quando sombra da Terra “tampa” a lua. Logo, o planeta se coloca entre o sol e a lua. Eclipses lunares ocorrem pelo menos duas vezes por ano, só no século 21 vão acontecer 228 eventos desse tipo.

Confira o álbum de fotos produzidas por mim durante a Superlua e o eclipse. Os registros foram feitos nas prais de Pirangi e Cotovelo (ambas localizadas no litoral Sul do Rio Grande do Norte, no município de Parnamirim, Grande Natal), Rota do Sol (estrada que leva ao litoral Sul) e em Natal (nos bairros de Ponta Negra e Capim Macio). Para ver as fotos em uma maior resolução, acesse esta página e depois só clicar nas fotos.

Também teve foto da superlua em Fortaleza

A estudante de fisioterapia da Unifor, Ingrid Trindade, enviou a sua foto do eclipse da superlua, que pode ser conferida a seguir:

12077359_801341613316305_332743035_n