Dê uma força a Regina Azevedo lançar seu livro sobre SP

Artistas Potiguares Cidades
Compartilhe:

Não são as iniciais da banda Simple Plan, a poeta potiguar Regina Azevedo não quer falar de games, de Minecraft, novela, do You Tube ou de outras coisas que dos livros teen que estão na estante de best-sellers das livrarias. Ela quer falar de São Paulo e fazer uma homenagem à maior cidade do país através de poemas.

A jovem de 16 anos, neste momento, está na capital paulista para participar do Balada Literária, organizado pelo escritor pernambucano Marcelino Freire e contará a presença de Wagner Moura e Ney Matogrosso.

Azevedo também foi convidada para ministrar oficinas e palestras em escolas, falando sobre sua poesia e incentivando a produção literária. Ao mesmo tempo, ela quer fazer um rolé para cidade para buscar inspiração no seu quinto livro, no qual será recheado de fotografias e poemas.

“A primeira vez que fui a SP, em 2015 para lançar meus livros, fiquei muito pouco tempo. Eu me senti energizada pela cidade, fiquei querendo mais. Agora estou indo para ficar 8 dias, participar de alguns eventos e passear: ver museus, exposições, reencontrar amigos. quero ampliar minha relação com a cidade, investigá-la, sair daquela imagem comum de cidade cinza, agitada e poluída”, afirmou a jovem em entrevista ao Brechando, que está prestes a lançar o “Pirueta” tanto no Brasil quanto no Paraguai.

Mesmo ela não atingido 18 anos, ela já publicou “Das vezes que morri em você”, “Por isso eu amo em azul intenso” e “Carcaça”.  Começou a escrever poesia aos 12 anos e publicou seu primeiro livro aos 13, pela editora Jovens Escribas. Seus poemas figuram em filmes, camisetas, revistas, museus e antologias Brasil afora.

Regina já teve seus poemas no Museu da Língua Portuguesa, em filmes e participou de diversos eventos literários. Pelo fato de ser adolescente, ela já teve que escutar muitas besteiras dos críticos pelo fato dela falar sobre amor, sexo, aparência, ser mulher e outros temas que “só os adultos podem falar”.

‘Antes de tudo, acho que as pessoas se espantam pelas coisas erradas. Podemos contar nos dedos os políticos honestos no país, mas ninguém se preocupa muito com isso: mais importante parece ser uma mulher escrevendo naturalmente sobre sexo. Eu não me preocupo muito não, mas tenho cuidado e exijo respeito sobre o que falam e a maneira como falam”, comentou a poeta.

Claro que fazer passeios mirabolantes em Sampa requer muitos dinheiros e por isso ela pede a ajuda aos leitores.  Como?

Para bancar os altos custos da cidade e também para imprimir esse novo trabalho, Regina lançou uma campanha colaborativa, que vai desde a pré-venda do livro até a entrega de recompensas (como seus livros já publicados ou fotografias inéditas) por valores acessíveis, a partir de 10 reais.

Quem colaborar com o projeto ajuda na produção desse novo trabalho, colabora com a viagem da artista e garante um material inédito e exclusivo. Para ajudar, basta enviar um e-mail para reginasumpaulo@gmail.com e dizer que está interessado. Logo receberá um e-mail com as instruções e as opções de recompensa. O pagamento pode ser via depósito, transferência ou até pessoalmente.

Quer saber mais o que Regina trabalha? Acesse seu Tumblr.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.