Que Henrique Araújo espera de “curiozzzidades” em 2017

Foto: Facebook

Para muitos, o ano de 2016 foi cavernoso pelo fato de ter acontecido muitas notícias tristes e mortes de diversos artistas da cultura pop. Outros, no entanto, dizem que este ano foi horrível por passar diversas situações desastrosas. Mas sabia que existem pessoas que gostaram deste ano? Sim, um deles é o blogueiro Henrique Araújo, o idealizador do blog Curiozzzo. Já leu?

O Henrique é do tempo que usava a internet meia-noite quando ainda era discada, pois ficava com menos gastos na conta do telefone do final do mês. O computador é seu trabalho e sua diversão ao mesmo tempo.

r3nlizpy“Eu sempre fui muito VICIADO em Internet e percebi com o projeto do Curiozzzo que ele me coloca exatamente onde eu queria estar, e fazer isso de forma útil para as pessoas é melhor ainda! Então, resumindo, durante boa parte do dia estou como Analista de Sistema e a noite [e às vezes madrugada] como blogueiro e com minhas redes sociais. Não me canso nunca de estar online, seja navegando seja produzindo algo. Se pudesse nem dormiria!”, afirmou.

Afinal, Henrique, como foi o ano de 2016 para ti?

“Esse 2016 foi uma ESCOLA. Aprendi como ser pai, fiz uma cirurgia na vesícula, filtrei meus conhecimentos e aprendi muito sobre política, troquei de carro, me diverti muito com os amigos, entrei em projetos bacanas, devi, paguei dívidas, enfim, me aprimorei bastante como ser humano e como cidadão. É importante a gente não ficar esperando ser feliz no futuro, a felicidade está nas pequenas coisas à nossa volta, só temos que saber usufruir bem dela”, respondeu.

Além disso, ele teve sucesso profissional e familiar. Após dois anos de blog, ele conseguiu um sucesso estrondoso e já tem mais de 30 mil seguidores.  Lá, ele fala de tudo sobre Natal e Rio Grande do Norte.

“O Curiozzzo está finalmente se consolidando e crescendo pelo Brasil afora, levando o RN para fora dele, e isso é muito importante pra mim”, disse.

Calma, ele também tem outras façanhas na internet, como a página Concursos RN.

Sabendo do seu lado como blogueiro e “pessoa pública”, ele também achou que 2016 foi um ótimo ano para falar de política, mesmo as coisas terem tido várias reviravoltas. “Cada treta política me ensinou muita coisa, me fez enxergar quem verdadeiramente eram várias pessoas próximas, e é na defensiva que nós aprimoramos nossa ofensiva”, comentou.

Para quem quer interessar em política em 2017? Ele tem algumas dicas: “A dica é use as informações que possui com estratégia. Ela é aprendizado.”. Mesmo com o sucesso no trabalho e na parte intelectual, ele conseguiu realizar um sonho: ser pai. João nasceu neste ano e o Henrique definiu como um de seus acertos na vida.

“Eu desejo que João cresça cercado de amor, de disciplina, de saúde, de mente aberta, de responsabilidades, de prazer no que faz, de respeito ao próximo, e de felicidade plena. Eu queria poder dar um mundo melhor que este, mas infelizmente é este que tem. As influências na escola e na sociedade de um modo geral, não são nada boas atualmente. As pessoas estão por padrão, cheias de preconceito escondido, de negatividade na cabeça, de consumismo, de vaidade, de violência, e há um inconsciente coletivo extremamente nocivo ao ser humano que tá presente o tempo todo”, desabafou.

Mas, quais são seus planos para 2017? “Os meus planos são ser um marido cada vez melhor, ser o melhor pai que eu puder ser e o melhor Henrique que eu puder ser. É me aprimorar sempre. No campo profissional temos que continuar com o bom trabalho, investir no que já deu certo e avançar. O Curiozzzo está finalmente se consolidando e crescendo pelo Brasil afora, levando o RN para fora dele, e isso é muito importante pra mim. Vamos trazer muitas novidades ano que vem, fiquem ligados!”, finalizou.

Retrospectiva 2016: O que marcou o blog em 16 fatos

O ano de 2016 está acabando e o Brechando conseguiu atingir algumas metas, como 400 mil views em 2016, noticiar o cotidiano de forma diferente e brechar os cantos mais inusitados possíveis (ou considerada impossíveis para alguns). Ano que vem tem mais, pode ter certeza disso! 2017 será o ano que o blog completará dois anos de vida.

Aqui estão 16 postagens que fizemos e marcaram a vida de alguns leitores. Calma, esta é a penúltima postagem do blog, a última, que vai ser postada no dia 31 de dezembro,  será uma entrevista com Henrique Araújo, que também gosta de brechar como eu e é dono do Curiozzzo.

Voltamos apenas dia 09 de janeiro com muitas brechadas novas e as primeiras de 2017. Calma, que durante a semana faremos uma retrospectiva no blog através da fanpage.

Mas, o que marcou 2016 em Natal?

1- 2016, alguns ficaram curiosos com graciane dias

brech1

Link: https://www.brechando.com/2016/06/achamos-quem-e-a-modelo-desta-foto/.

2- outros ficaram p… da vida com alguns seguranças

brech2

Link: https://www.brechando.com/2016/09/seguranca-agride-cliente-mulher-apos-lhe-confundir-com-homem/.

3- tem gente que queria montar jogos durante 2 dias

brech3

Link: https://www.brechando.com/2016/02/o-que-rolou-no-global-game-jam/.

4 – uns queriam ir para corrida naruto

brech4

Link: https://www.brechando.com/2016/06/vai-haver-uma-edicao-natalense-da-corrida-naruto/.

5- ainda estamos irritados com o transporte público natalense

brech5

Link: https://www.brechando.com/2016/07/8148/.

6- ainda temos lembranças de prédios que fizeram parte da vida escolar de muitos natalenses

brech6

Link: https://www.brechando.com/2016/06/que-predio-natalense-e-nesta-foto/.

7- questionamos a violência urbana e a indignação seletiva

brech7

Link: https://www.brechando.com/2016/01/ronaldo-e-as-recentes-mortes-em-natal/.

8- comemoramos a vitória do patrimônio público

brech8

Link: https://www.brechando.com/2016/01/justica-federal-deu-novo-parecer-favoravel-ao-hotel-reis-magos/.

9 – Conhecemos bandas novas do rn através de um reality show

brech9

Link: https://www.brechando.com/2016/04/conheca-mais-sobre-plutao-ja-foi-planeta-banda-participante-do-superstar/.

10- através de uma mensagem fofa, fomos enganados por uma propaganda de cursinho

brech10

Link: https://www.brechando.com/2016/11/mensagem-faz-o-que-voce-ama-e-propaganda-de-cursinho/.

11- Lembramos das capas de discos de artistas potiguares

brech11

Link: https://www.brechando.com/2016/02/capas-de-discos-de-bandas-do-rn-que-sao-bonitas/.

12- Descobrimos trans empoderadas

brech12

Link: https://www.brechando.com/2016/02/trans-potiguares-que-destacam-na-cidade/.

13- revelamos que mulheres não querem ser princesas

brech13

Link: https://www.brechando.com/2016/10/desculpa-eu-nao-nasci-para-ser-princesa/.

14- o que significa ccab? nós descobrimos

brech14

Link: https://www.brechando.com/2016/03/o-que-significa-o-nome-ccab/.

15- feminismo empreendedor com um estúdio de tatuagem

brech15

Link: https://www.brechando.com/2016/05/tres-meninas-criam-um-proprio-estudio-de-tatuagem-em-natal/.

16- muita arte urbana para colorir as ruas de natal

brech16

Link: https://www.brechando.com/2016/03/os-grafites-de-arbus-que-estao-espalhados-em-natal/.

feliz ano novo! post inédito a partir do dia 9 de janeiro, fique com a gente!

O que você precisa saber do primeiro festival de música de 2017?

No primeiro final de semana de janeiro, entre os dias 7 e 8 de janeiro, acontecerá o Festival Ribeira 360º. Muitos estão torcendo pelo sucesso do evento, visto que a Ribeira vai ficar um pouco carente de festivais, se o Dosol cumprir a promessa que o festival migrará para praia. A intenção é comemorar os 20 anos do projeto de revitalização da Ribeira com artistas potiguares e suas músicas autorais.

Confira algumas curiosidades do evento a seguir

É idealizado pelo produtor cultural Marcílio Amorim e a intenção é ocupar todo o largo da Rua Chile, na Ribeira.

1237403_546635975407751_2123875476_o

A Rua Chile foi aonde nasceu o Festival Mada.

30012010-img_1835-xl

Quem está confirmado para a festa? Plutão Já Foi Planeta, DuSouto, Rastafeeling, General Junkie, Khrystal, Mad Dogs, Camila Masiso, e Luísa & Os Alquimistas.

Luísa e os Alquimistas estão confirmados no festival
Luísa e os Alquimistas estão confirmados no festival

A intenção do evento é misturar artistas de diversos estilos, pois haverá desde samba até o heavy metal.

maxresdefault

Os ingressos já estão a venda de ingressos Ótica Oticalli, do Midway Mall. As vendas online, por sua vez, continuam no Bilheteria Digital.

4284_photo

Aqui está a programação do evento:

15230833_1318998204838187_7331554913871047359_n

Outra novidade no Festival #Ribeira360º é a participação do Palco Remuin – Rede de Música Independente do Natal, que vai reunir diversas bandas que levam o seu som por conta própria. Quem vai tocar neste palco?  Veja aqui:

15492125_334843340247344_1639574728731439411_n

Além do Palco 360º, que é o principal, outros dois espaços irão homenagear os points que ajudaram a difundir a música local nos anos 1990: Palco Blackout, Palco Bimbos e Lounge Kazarão da Ribeira.

Ribeira ainda com os primeiros bares (Foto: UOL)
Ribeira ainda com os primeiros bares (Foto: UOL)

Um dos autores do projeto de Revitalização da rua Chile, o arquiteto Haroldo Maranhão irá apresentar uma exposição do painéis, fotografias e documentos que explicam como se deu o processo de recuperação e prospecção no largo, e detalhes sobre o projeto “Fachadas da Rua Chile”, que em 1996/97 recuperou a pintura frontal de parte do casario, tornando viável a ocupação dos empreendimentos e casas noturnas.

Haroldo Maranhão, o arquiteto (Foto: Facebook)
Haroldo Maranhão, o arquiteto (Foto: Facebook)

E aí curtiu, saca mais um pouco da história da revitalização:

O bairro da Ribeira é conhecido como ponto de referência do comércio da cidade, abrigando até hoje um dos mais representativos conjuntos de edificações e casarios de grande valor histórico. Mas foi há vinte anos que uma onda revitalizadora o fez ressurgir como opção cultural, na carona de um projeto arquitetônico que chamava o poder público para a revitalização daquela área, a partir da rua Chile.

Foi o tempo do famoso Blackout Bar, do Armazém do Cais, Itajubar, A Lata e Bar das Bandeiras, que com suas agendas diversificadas abriram espaço para a música produzida em Natal. Essa efervescência espalhou-se por ruas adjacentes como Frei Miguelinho, Dr Barata, Duque de Caxias e Tavares de Lira e nelas surgiram mais casas noturnas com o mesmo perfil cultural e festivais.

Cada mês em um lugar: saindo da zona de conforto em 16

Esta foto acima é da estudante de arquitetura Bárbara Rodrigues. Ela sempre gostou de aventura e já a entrevistamos aqui, no qual ela conta a dificuldade de morar sozinha em Natal. Neste ano, ela resolveu ousar mais ainda, como morar em uma outra cidade e visitar algumas cidades brasileiras que não necessariamente estejam dentro daqueles revistas ou guias turísticos.

Este ano foi ao Maranhão, morou seis meses em Curitiba, passeou nas Cataratas do Iguaçu, visitou a Bahia, foi à Minas Gerais e algumas cidades que fazem fronteiras com outros países. Pode ter certeza, se somar a quilometragem de suas andanças deve passar mais de cinco mil quilômetros. Muitas vezes essas viagens foram feitas de mochilão e sozinha.

Então, ela utilizou o Facebook para mostrar aonde foi que ela viajou em cada mês. As fotos podem ser conferida a seguir:

janeiro

fevereiro

março

Morro de São Paulo/BA
Morro de São Paulo/BA

abril

Tibau do Sul/RN
Tibau do Sul/RN (novamente)

maio

São Miguel do Gostoso/RN
São Miguel do Gostoso/RN

Junho

São Paulo/SP
São Paulo/SP

julho

Bonito/PE
Bonito/PE

agosto

setembro

outubro

Porto Alegre/RS
Porto Alegre/RS

novembro

O que ela aprendeu sobre essas viagens?

Bárbara utilizou as redes sociais como uma forma de agradecer as mudanças pessoais que essas viagens lhe trouxeram no seu modo de vida como um todo. O texto vai, com certeza, lhe ajudar a sair da zona de conforto. Leia a seguir:

No início, pensei em um segundo por dia. Depois, uma foto por dia. Em pouco tempo não pensei mais, só deixei para lá e fotografei “o que deu na telha”. Agora, tentei resumir milhares de quilômetros percorridos e momentos vividos em poucas fotos. Um pouco ousado e superficial, confesso. Porque afinal, dois mil e dezesseis não cabe em um vídeo de 365 segundos, em um registro diário, tampouco em um álbum, visto sua enorme complexidade e intensidade.

Esse ano veio para tirar as coisas do eixo, viver em constante turbulência, nos jogar em situações adversas. Mas também para nos fazer aprender, repensar a lógica de tudo, descobrir um pouco mais sobre nós. Aprender principalmente, a saber que não temos como controlar os acontecimentos (mesmo com esforços e fazendo a nossa parte), a ter paciência, a acreditar que estamos “exatamente no lugar que deveríamos estar” e que nós renascemos todos os dias.

Renascemos a cada sorriso retribuído ou ignorado, a cada pessoa que permanece, parte ou cruza o nosso caminho, a cada golpe que a vida nos dá, em toda luta diária e desafio que nos deparamos, nas pequenas decisões, a cada novo caminho que percorremos e a cada lugar que vivenciamos.

Cada novo lugar porque, fazem de nós, menos egoístas – ao perceber nossa pequenez diante da imensidão do mundo – tomando ciência que não somos o centro do universo e nos torna um pouco mais humildes, nos engrandece espiritualmente. Por todas as pessoas e paisagens improváveis, pela infinitude de histórias e novidades, pelo caos ou paz que nos provocam. E sobretudo, porque sempre que retornamos à nossa casa, levamos um pouco de cada lugar dentro do peito. E nunca, jamais, nos sentimos da mesma forma, somos a mesma pessoa.

Se tem uma coisa que fiz nesse ano, foi percorrer novos caminhos. Até mesmo as (re)visitas foram novas, já que a apreensão do espaço nunca é da mesma forma. Alguns destinos eram metas, outros vieram de bônus, como verdadeiros presentes. Só tenho a agradecer por cada um deles. Sem tirar nem pôr. E aguardar pelos próximos que a vida venha a me dar. Espero que não demorem e não sejam poucos.

Para mim, por mais maluco e confuso que tudo tenha sido, nada foi em vão.

Nenhum passo.
Nenhum segundo.
Nenhum momento.
Nenhum sentimento.
Nenhuma decisão.

Dezesseis foi atípico.
Dezessete vem para colocar as coisas em ordem.
Mas sem calmaria demais, por favor.
Se não a gente volta lá “prá” zona de conforto.