Valeu a pena assistir Aquarius por apenas três reais

Fui assistir Aquarius no início desta semana. Era uma segunda-feira, 7 de novembro, todos os cinemas da rede Cinemark estavam com o Projeta Brasil, que exibe os filmes nacionais que entraram em cartaz no cinema neste ano e todos custaram apenas três reais. O evento acontece sempre no mês de novembro em várias cidades brasileiras e somente numa segunda.

Eram 40 longas brasileiros, com os mais variados gêneros – desde sucessos de público até obras aclamadas pela crítica. Por isso, a galera estava animada:

img_6601

Quando cheguei ao Cinemark daqui de Natal, localizado no Midway, havia uma fila enorme, que começava do Teatro Riachuelo até a bilheteria. Queria pagar de esperta indo para a fila dos cartões? Esqueça, o Cinemark tinha desativado todas as máquinas que faziam este pagamento. Havia uma segunda opção: comprar na internet.

Outra dica seria ir de manhã assim que o shopping abrisse.

Inicialmente, o meu trajeto seria aula de francês no IFRN (em frente ao Midway) e depois pegar o ingresso na bilheteria, mas quando vi o tamanho da fila tive que pensa em dois segundos. Então, eu resolvi logo entrar na fila, se eu perdesse a aula seria uma consequência. Desculpa, professor Renato César. Olha o tamanho da fila:

img_6607

Eram crianças, adolescentes, adultos e idosos. Todo mundo no mesmo balaio para assistir filme nacional por apenas três reais. Mas, o que assistir?

Os filmes que estavam em cartaz no horário que eu fui ao cinema eram: “Aquarius“, “Carrossel 2 – O Sumiço de Maria Joaquina“, “Desculpe o Transtorno“, “É Fada“, “Em Nome da Lei“, “Mais Forte Que o Mundo – A História de José Aldo“, “Os Dez Mandamentos”, “O Shaolin do Sertão“, “Tô Ryca” e “Um Namorado Para Minha Mulher“.

O “Tô Ryca” e “O Shaolin do Sertão” já tinham encerrado as suas participações e eram voltados para comédia.

Os mais concorridos eram mais famosos e populares, como “Os Dez Mandamentos”, baseado numa novela da Record que foi sucesso de público, e “Carrossel”, adaptação brasileira de uma novela mexicana infantil. Enquanto os outros tinham duas ou três sessões, esses dois citados tinham quatro horários.

Ainda tinha o “É Fada”, protagonizado pela Youtuber Kéfera. Eram engraçados os comentários que ouvia da fila:

“Quem é essa Kéfera? É de comer?”- perguntou uma menina da minha frente.

O amigo dela respondia: “Ela é uma Youtuber!”

“Ela é o quê?”

“Abestalhada, são aquelas pessoas que aparecem no YouTube e ela é muito famosa, tem fãs e tudo”.

Enquanto ouvia esse diálogo e mexendo no celular, a fila estava andando em passos lentos. De vez em quando era comum ver gente desistindo de comprar os ingressos, pois o horário que queria não existe mais, chocou com o horário da aula e dentre outras coisas. Mas, eu estava lá firme e forte, pois queria assistir “Aquarius“, que passou no Festival de Cannes, na França, e não consegui vê-lo quando passou pela primeira vez em Natal.

Para assistir tinha duas sessões: 16h00, 18h45 e 22h00. Queria ir na sessão de 18h45, pois poderia voltar para casa mais cedo.  Estava com um misto de felicidade e tensão, pois estava com medo de não conseguir assistir, mas estava determinada. Depois que os meninos que iriam ver o filme da Kéfera encontraram uma amiga que lhes ajudaram a furar a fila, encontrei um trio de meninas que tinham saído da faculdade e viram que poderiam ver filme mais barato.

O engraçado era que elas ficavam telefonando para outras amigas como uma forma de estimular para ver o filme: “Vamos, mulher, só tá três reais e compro o seu ingresso”. Ao mesmo tempo, elas ficavam perguntando o que assistir. Na tela da bilheteria, elas viram o filme “Um Namorado Para Minha Mulher“, último trabalho do ator Domingos Montagner, protagonista da última novela das 8, que faleceu durante as gravações.

“Ai mulher, bora ver este filme, pois é o último com a participação do Santo da novela, bichinho, ele morreu tão jovem”.

Após a decisão delas, elas e eu entramos na última parte da fila, que estava muito próxima do caixa da bilheteria. Após uma hora de fila, eu corri para o caixa e disse: “Aquarius, sessão de 18h45”. A sorte que consegui uma poltrona na fileira do meio, algo bem difícil para quem inventar de ir ao cinema de última hora.

O rapaz até tentou me oferecer o combo do Cinemark, mesmo rindo da minha euforia de conseguir o ingresso, após muita insistência disse não. Além dos ingressos de R$ 3, o público poderá adquirir o combo promocional Projeta Brasil (uma pipoca na embalagem especial do evento e um refrigerante 300 ml) pelo valor de R$ 5.

Finalmente, eu consegui meu ingresso:

Não se engane pensando que a fila amenizou depois que comprei, ela ficou bem pior. Eram 18 horas quando saí da fila, tinha perdido a aula de francês (quero dar um upgrade no meu currículo vitae). Então, eu resolvi lanchar e depois ver os livros da livraria, não necessariamente nesta ordem. Eram 18h40, quando entrei na sala, a fila para entrar era bem inferior a de comprar. Menos mal, não é?

Entrando lá, vi um mar de gente que estava interessada em conhecer um pouco da produção nacional, fugir um pouquinho desse universo de Hollywood.

aquarius-2-1
Aquarius foi o filme escolhido

Foi muito bom ver Aquarius. O filme fala sobre Clara, que mora em um prédio pequeno na Praia de Boa Viagem, no Recife, e uma construtora quer construir um espigão no lugar aonde mora, mesmo recusando diversas vezes que não quer vender o seu apartamento. Por causa disso, ela vai a batalha. Embora seja uma crítica a especulação imobiliária no Nordeste, mas isso não é o único mote do enredo.

Também mostra a luta de Clara, personagem principal de Sônia Braga, para ser quem ela é e como uma mulher da terceira idade ainda não conseguem ser respeitadas e ainda tem que seguir os padrões impostos pela sociedade machista pelo fato de ser uma idosa.

Clara é criticada por ter trabalhado demais, tem uma relação conturbada com a filha por ela não aceitar a mãe possa se divertir e fazer o que quiser. Além disso, traz o questionamento sobre o amor na terceira idade, que é um tabu para sociedade, visto que muitos acham ridículo uma idosa querer fazer sexo.

Saí do cinema com um grande sorriso no rosto e pensando querer ser uma Clara quando ficasse idosa. Obrigada por assistir este filme, valeu a pena e coube a reflexão!

Por 2kg de alimento, você pode conhecer a história de Natal

Foto: Lugares que Educam no Rio Grande do Norte

Esta foto acima mostra o Memorial Câmara Cascudo, um dos prédios que compõe o Centro Histórico de Natal. Os bairros da Ribeira e Cidade Alta são cheios de prédios antigos que contam um pouco da história da capital do Rio Grande do Norte, que está prestes a completar 416 anos. Através da produtora Viva Promoções, doando 2kg de alimento não perecível poderá participar da sexta edição da Caminhada Histórica de Natal, que acontecerá no dia 19 de novembro, a partir das 15 horas.

Esses alimentos serão encaminhados por três instituições beneficentes. Em troca, você vai receber o kit do evento e a chance de participar de shows surpresas que acontecerão no final do evento, que serão no ponto final da caminhada, na Avenida Duque de Caxias, no bairro da Ribeira.

É uma ótima oportunidade de conhecer algumas histórias que o Brechando já contou por aqui. Na Ribeira e na Cidade Alta existe resquícios do período colonial, do Império e da formação da República no Brasil.

De acordo com o roteiro organizado pela produtora, o ponto de partida é a Praça André de Albuquerque, aonde a cidade começou a se desenvolver e aonde fica o Marco Zero. Além da Praça, serão 50 monumentos e atrações históricas que serão visitadas.

A intenção é reunir cinco mil pessoas para conhecer o lado histórico da cidade. A organização também conta com a participação de integrantes de escolas municipais, estaduais, particulares e federal além da parceria com três instituições beneficentes da capital.

Dentro da caminhada haverá a presença do historiador Alexandre Rocha, que contará as particularidades de cada monumento. Além disso, haverá três paradas estratégicas para que possa explicar cada fase histórica da cidade: fundação, transformação e atualidade.

Além do Memorial Câmara Cascudo, citado acima, os visitantes vão conhecer a Capitania das Artes, o Solar Bela Vista, a igreja de Nossa Senhora da Apresentação e o Palácio da Cultura, onde fica a Pinacoteca do Estado.

Solar Bela Vista é um dos lugares que serão visitados
Solar Bela Vista é um dos lugares que serão visitados

A 6ª Caminhada Histórica conta com o incentivo da Lei Câmara Cascudo e é realizada pela Viva Promoções com o patrocínio da Arena das Dunas, Cabo Telecom, Ocean Palace, Prefeitura do Natal, através da Lei Djalma Maranhão, e Governo do Estado, através da Lei Câmara Cascudo. Para participar, os interessados devem doar 2kg de alimentos não perecíveis, que vão ser entregues às três instituições parceiras, em troca da camiseta e guia histórico do evento. As pessoas podem fazer a troca a partir do dia 1 de novembro, na sede da Viva Produções, no shopping Cidade Jardim.

Serviço:

6ª Caminhada Histórica do Natal
Data: 19 de novembro de 2016
Horário: Concentração às 15h
Local: Saída da Praça André de Albuquerque e chegada na av. Duque de Caxias (ao lado do Procon)
Valor da inscrição: doação de dois kg de alimento não perecível (arroz/feijão).
Informações: .

MC Carol vai tocar em Natal no mês de dezembro

“Não foi Cabral”. Pois é, a MC Carol vem à Natal no mês de dezembro para ensinar melhor aos universitários desta cidade sobre quem descobriu o Brasil. Brincadeiras a parte, ela será uma das atrações do enterro de semestre organizado pela página Spotted, que acontecerá no dia 17 de dezembr, local a definir.

MC Carol ficou conhecida pela internet pelos singles e canções divulgadas pela internet peculiares.

Carol conseguiu entrar na cena do funk carioca mostrando atitude e autoestima. Muitos a consideram como a “Tati Quebra-Barraco de Niterói”. Seu primeiro sucesso foi a música “Bateu uma Onda Forte” e “Minha Avó Tá Maluca”. Mas, ela bombou na internet com “Meu Namorado é Maior Otário”:

Ela agradou muita gente na internet por ser escrachada e não se importar com que os outros vão pensar. Ficou mais famosa ainda com o reality “Lucky Ladies”, que falava sobre aspirantes à funkeiras.

Em seguida, a cantora também destacou-se com “Jorginho Me Empresta a 12”, “Liga pro Samu” e “Não Foi Cabral”, cuja letra questiona a história do Brasil ministrada por professores da rede de educação. Agora, ela está numa onda de fazer um funk mais politizado e, principalmente, voltado para o feminismo.

https://www.youtube.com/watch?v=Hfkkeo-Vmc8

Neste ano, ela virou garota-propaganda da Avon para mostrar que existe beleza em mulheres gordas e negras, sambando na cara dos gordofóbicos e racistas que existem por aí.

Recentemente, ela lançou o primeiro disco “Bandida”, em referência ao apelido, composto por canções autorais, trazem músicas anteriormente divulgadas por Carol, além de trazer músicas que tratam de temas sociais, como a violência cotidiana, feminismo e também temáticas de sexo explícito e letras de duplo sentido.

Uma das músicas se chama “100% feminista”, que teve a participação de Karol Conka:

Spotted UFRN é uma página conhecida por tirações de sarros sobre os acontecimentos da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). Inicialmente, as pessoas mandavam mensagens românticas e anônimas para página e a mesma divulgara. Mas, cresceu tanto que virou fonte de notícias para saber dos acontecimentos da instituição de ensino.

Lá, pode encontrar barraco, romance, desabafo e dentre outras coisas. Atualmente, a página tem quase 50 mil seguidores e organiza as festas em comemoração ao fim de semestre.

Clique aqui para saber mais informações do evento.