potiguares atum

Potiguares pescam Atum raro, mas estragam alimento

Uma matéria do portal UOL está em destaque por conta de uma história peculiar que aconteceu no Rio Grande do Norte. Ao ler a matéria, a resposta que tive na minha mente: “São lesos, não é mesmo?”. O motivo? Potiguares de Areia Branca partiram ao mar e acharam um Atum de 350kg, o valor é equivalente a R$ 140mil. Veja o vídeo do pescado a seguir:

Entretanto, os potiguares potiguares não voltaram para costa terrestre, visto que o atum fresco não dura por muito tempo. Além disso, eles somente voltaram para Areia Branca duas semanas depois e o peixe ficou armazenado no gelo.

Como resultado, o peixe estragou.

Um dos pescadores potiguares nega estrago do atum

O repórter Ed Rodrigues conseguiu conversar com o proprietário do barco que fisgou o espécime, que preferiu não ter o nome divulgado, disse que a embarcação não tem câmara fria e que não imaginava que tinha que ter voltado logo do mar.

“O peixe é um bichão. Ele não estragou. É que, para fazer sushi, a qualidade ficou comprometida. Aí, como ele é muito grande, nem as peixarias daqui pegaram”, explicou.

O pescador ressaltou que dividiu o animal por moradores da comunidade, mas que tem gente achando que eles enriqueceram.

E o KFC em Natal vai dar bom?

Por muito tempo, a gente achava impossível grandes empresas abrirem suas filiais em Natal. O Mc Donald’s, que bombava no sudeste dos anos 80, só chegou ao Nordeste no final dos 90. Por falar, no Méqui, ele demorou muito para chegar nas terras potiguares e foi eventualmente vítima de Fake News ou seria uma lenda urbana? Isso não sabemos.

Desde os anos 10 do século 21, novas empresas estão investindo em Natal. Agora, a gente ver Mc Donald’s em vários lugares, tem Pizza Hut, Habbib’s, Madero e agora chega o KFC em Natal, que tem o seu frango frito no balde como carro-chefe. Além disso, recentemente, um anúncio no Midway anunciara que a lanchonete vem finalmente pisar nos solos natalenses, causando espanto na população.

Será que eles vão conseguir vencer os frangos assados da esquina? Ou o sol nasceu para todos? Lembrar que por algum tempo a rede de pizzas Domino’s veio à Natal, porém teve que fechar as suas portas.

KFC em Natal
Vem aí o KFC em Natal?

E eles estão investindo pesadado na região Nordeste, uma vez que planejam abrir cinco lojas. A primeira aconteceu em Fortaleza.

Até 2021, o KFC planeja a abertura de mais 10 unidades no Nordeste, sendo três no Ceará, três em Pernambuco, duas em Rio Grande do Norte e duas na Paraíba.

maracujá

Potiguares descobrem maracujá para fins farmacêuticos

O maracujá é delicioso, acalma a gente e, ainda mais, é benéfico à saúde.  Além disso, pesquisadores da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) desenvolveram mais uma aplicação a partir das sementes da fruta. A invenção primeiramente trata da composição e métodos de obtenção de um sistema carreador, em formato líquido (microemulsão), para a veiculação do óleo de sementes de passiflora, planta que tem como fruto o maracujá.

Quem desenvolveu?

Um dos inventores envolvidos, Daniel Torres Pereira (foto de Cícero Oliveira, acima do título) destacou que a nova tecnologia é propícia para uso farmacêutico, veterinário, cosmético e alimentício. Por isso, ele destacou as propriedades terapêuticas das sementes da fruta da paixão, como os gringos a chamam, tais como antioxidante, cicatrizante, anti-inflamatória, antibacteriana, antitumoral, e cardioprotetora.

Na parte cosmética, entretanto, a fruta é fonte de ácidos graxos essências, vitaminas e minerais.

“É bem famoso o uso do óleo de passiflora. No entanto, seu uso in natura traz características físicas e organolépticas desagradáveis, como odor, espalhabilidade e viscosidade inadequada quando aplicado na pele, por exemplo. Por isso, sistemas para sua veiculação são empregados. Esses sistemas, como a microemulsão deste invento, melhoram essas características. Sem contar que protege o óleo de degradação, promove sua liberação controlada, aumenta sua permeação cutânea, dentre outras vantagens”, listou o mestrando no programa de Pós-graduação em Ciências da Saúde da UFRN em entrevista para Agecom.

Maracujá no Brasil

Com algumas espécies tipicamente brasileiras, como o maracujá pérola (Passiflora setacea De candolle), o Brasil possui mais de 150 espécies silvestres de maracujá. Ao todo na região tropical das Américas, existem cerca de 600 espécies de maracujás. Em comum, os óleos de Passiflora apresentam composição rica em bioativos, a qual confere as propriedades terapêuticas, cosméticas e nutricionais.

Além disso, a pesquisa está na Rede Passitec da EMBRAPA, empresa pública pioneira no cultivo e desenvolvimento tecnológico das espécies de maracujá silvestre.