Nevaldo Rocha e Bernardo Vieira

Bernardo Vieira ou Nevaldo Rocha: O que vocês preferem?

Na próxima terça-feira (6), a Câmara Municipal de Natal vai decidir a mudança de nome de uma das principais avenidas de Natal, a Bernardo Vieira. A proposta vinda pela Prefeitura quer transformá-la em avenida Nevaldo Rocha, visto que ele é um dos criadores do shopping Midway, que fica na via.

Entretanto, a proposta, segundo o Saiba Mais, foi aprovada apenas em primeira discussão, mas com cinco votos contrários de Ana Paula (PL), Brisa Brachi (PT), Divaneide Basílio (PT), Júlia Arruda (PC do B) e Robério Paulino (Psol). Além disso, os vereadores destacaram que o momento para mudança que vai intervir na vida dos comerciantes localizados na Bernardo Vieira, uma vez que eventualmente precisarão modificar todos os registros junto aos órgãos públicos, nos cadastros das empresas e ainda mais as modificações em embalagens e marca das lojas.

Não foi a primeira tentativa do prefeito em mudar o nome da avenida

O projeto do prefeito Álvaro Dias (PSDB) chegou à Câmara Municipal de Natal há menos de um mês. Apesar da tramitação rápida, não votaram em caráter de urgência. Emendas poderão ser colocadas durante a segunda discussão, na próxima terça (6).

Essa não é a primeira tentativa do prefeito de Natal de homenagear Nevaldo, visto que o prefeito tentou mudar o nome da outra avenida por onde o shopping Midway Mall também passa, a Salgado Filho. Mas, diante da repercussão negativa, acabou pedindo para arquivar a proposta.

Quem foi Nevaldo Rocha?

Nevaldo, que faleceu no ano passado, era proprietário da fábrica de roupas Guararapes, da loja Riachuelo e do shopping Midway. Sem contar do Teatro Riachuelo, que tem uma unidade em Natal e outra no Rio de Janeiro. Ele era o número 60 dos homens mais ricos do Brasil.

Nevaldo nasceu em Caraúbas e após abandonar os estudos, ele se mudou para Natal. Começou, lá, a trabalhar em uma famosa relojoaria da cidade. Naquela época, a cidade era um ponto estratégico para a aviação norte-americana. Em pouco tempo, destacou-se como vendedor e acabou, no fim das contas, comprando a loja do seu antigo patrão.

No final da década de 1940, em sociedade com o irmão, Newton Rocha, Nevaldo abriu sua primeira loja de roupas, que recebeu o nome de A Capital. O empreendimento surgiu na cidade por ele escolhida como ponto de partida para uma carreira de sucesso.

Depois de quatro anos de investimentos na empresa, os irmãos decidiram construir uma confecção em Recife.  Foi assim que surgiu a fábrica Guararapes. Na década de 70, eles compraram uma loja chamada Riachuelo, que vendia apenas tecidos e se tornou uma das maiores lojas de departamento do país. A loja representa 75% do faturamento do grupo.

Nos anos 90, Nevaldo resolveu criar um shopping que iria, no entanto, ocupar todo o terreno da antiga fábrica Guararapes, que seriam 70 mil metros quadrados de lojas. Como resultado, hoje, este é o maior shopping da cidade, inaugurado em 2005.
Para saber mais é só clicar neste link.

Quem foi Bernardo Vieira?

Bernardo Vieira primeiramente foi governador do Rio Grande do Norte, quando ainda era uma colônia. Apesar das ações no RN, ele é natural de Jabotão dos Guararapes, quando ainda era a freguesia de Muribeca. Seu nome completo é Bernardo Vieira de Melo, que também era de seu pai, um fidalgo cavalheiro da Casa Real e de D. Maria Carmelo de Melo. Seu primeiro casamento foi com D. Maria de Barros, com a qual não teve filhos e, em segunda núpcias, por conseguinte, casou-se com D. Catarina Leitão, tendo quatro filhos.

Sua carreira na política inicialmente surgiu juntamente com a de militar. Além disso, entre 1695 a 1700 foi governador e capitão-mor da Capitania do Rio Grande do Norte, sendo reconhecido por acabar com a Guerra dos Tapuias, no qual ocorreu uma briga entre os colonizadores e índios, onde exterminou boa parte dos nativos.

Com a exterminação dos Tapuias, ele ajudou, porquanto, a fundar a cidade de Assu. Concluída sua gestão como governador do Rio Grande do Norte (1700), voltou para Pernambuco, sendo nomeado Comandante do Terço de Linha do Recife, onde foi figura importante na Guerra dos Mascates.

Para saber mais é só clicar, portanto, aqui.

Lembrar que estamos na fase de pré-venda da segunda edição da revista Brechando, no qual tem um kit super maneiro quem for comprar, clique aqui e saiba mais.

E a enquete: Vocês preferem o nome da avenida como?

Loading…

Pedro Silveira

Você pode ajudar o Pedro Silveira a lançar o seu primeiro EP

O Pedro Silveiro tem 22 anos é estudante de medicina. Mas, ele quer amar e respirar a música. Embora os estudos preencham algumas horas da sua rotina, a arte já envolvia seus passos desde a infância e continua o acompanhando em tudo que faz. Além disso, Nu e Cru” é o título do primeiro EP do artista potiguar Pedro Silveira que conta com a produção musical de Pedro Trigueiro (A Gaveta), produção vocal de Ellaine Ferracinni e ainda mais tem a produção executiva de Leonardo Galvão, produtor do Ribeira Boêmia. 

Como artista potiguar independente, Pedro está iniciando sua carreira na música com o apoio daqueles que acreditam na sua mensagem. A música, na vida deste jovem artista, possui significado ainda mais especial, visto que foi um grande pilar de recuperação. Ele foi acometido por uma depressão e, por conseguinte, achou na arte uma forma de aliviar seus sintomas.

“Eu, enquanto artista potiguar independente, estou iniciando minha carreira na música com o apoio daqueles que acreditam na minha mensagem. As referências da música popular brasileira sempre estiveram presentes na minha história. Quando criança, meus pais ouviam diversos artistas nacionais de variados estilos, desde Djavan a Santanna O Cantador, de Kid Abelha a Exaltasamba, de Fagner a Legião Urbana, e assim por diante”, disse Pedro em seu site oficial.

Como faz para ajudar Pedro Silveira

Nesse mundo de aparências, a arte pode ser mais um disfarce para atender as expectativas do outro ou pode genuinamente ser a forma de um ser humano expressar aquilo que ele é, pensa e entende da vida. Neste EP, Pedro cantará com sinceridade e autenticidade sobre relevantes temas sociais, como a depressão e a saúde mental, e sobre a sua maneira de enxergar o universo ao seu redor. 

Para ajudar Pedro, você pode contribuir no link do Vakinha ou através do Pix.  

O quê? Financiamento coletivo para gravação do EP “Nu e Cru”

Mais informações: www.pedrosilveira.art.br

Como contribuir? Vakinha (https://vaka.me/1678166) ou PIX (089.968.584-63)

Instagram: @predosilveira

Brinquedo do Cão

Brinquedo do Cão é este moço da foto

O homem desta foto se chama Edmilson Lucas da Silva, mas você não o conhece assim. No entanto, a imprensa da cidade o denominou de Brinquedo do Cão, um dos bandidos mais perigosos do Rio Grande do Norte nos anos 80 e foi o terror das crianças nesta época. Agora, o Brechando vai contar a sua história.

Ele nasceu na cidade de Cabedelo, na Grande João Pessoa, Paraíba. Entretanto, ele veio à Natal ainda pequeno e morou em com a família numa espécie de granja na Rua São João, onde hoje estão erguidos dois edifícios e onde funciona um condomínio de lojas, quase na esquina com a Avenida Alexandrino de Alencar, em Lagoa Seca.

A história no crime

A sua vida no crime começou, primeiramente, na adolescência, quando começou a fazer pequenos crimes nas redondezas. O apelido, “Brinquedo do Cão”, foi dado por um padre, que reclamou aos fiéis de impertinências que adolescentes faziam do lado de fora da igreja.

Quando souberam deste apelido do padre, a imprensa só o chamava assim nas manchetes,

Houve uma época em que manchetes de jornais e programas de rádio o tinham como personagem quase cativo. Brinquedo do Cão ficou famoso ainda adolescente pelos roubos que cometeu. Mas nunca foi violento. Roubava sem matar. Várias condenações o colocaram na cadeia, no Presídio João Chaves, por quase duas décadas, no qual mesmo preso conseguia comandar alguns crimes dentro da cadeia.

Foi solto nos anos 2000

Várias condenações o colocaram na cadeia por quase duas décadas. Quando foi solto, no início dos anos 2000, sua liberdade virou novamente manchete de jornal. Edmilson, muito visado por causa da má fama em Natal, voltou para Cabedelo e lá, dizem as manchetes dos jornais policiais, estava vinculado ao mundo do crime organizado.

Ele foi morto no dia 24 de março de 2007, com um tiro de espingarda por bandidos na Paraíba, no qual estava em associação com quadrilha de tráfico de drogas. Isto aconteceu, todavia, um dia antes de uma operação policial que iria lhe prender novamente.

 

Revista Brechando

Começou o pré-lançamento da revista Brechando nº02

A segunda revista do Brechando está com o pré-lançamento aberto nesta segunda-feira (5). Primeiramente, vamos vender um kit com Ecobag, bloco, caneta e entre outras coisas que mencionei no post abaixo. O Brechando em seus seis anos já atingiu mais de dois milhões de visualizações, além de ter lançado um e-book e uma revista impressa. Sem contar as redes sociais. 

Em 2021, uma nova revista será lançada, desta vez o foco será em Natal, contando as curiosidades e histórias que não são contadas nos guias de turismo. 

Do que falaremos na revista?

Sobre um santo tipicamente natalense, como é andar pela cidade, gatos abandonados e entre outras coisinhas a mais. Além disso, você tem a chance de ter um pedaço do Brechando na sua casa. A edição geral ficou por conta de Lara Paiva e tem a colaboração de Ayrton Alves, Victor H. Azevedo e Maluz Maheros.

Brechando resolveu fazer um contra-argumento em forma de revista de mostrar que Natal está viva. Vimos que Natal tem peculiaridades em seus aspectos urbanos, mas também temos gírias próprias, histórias diferentes, apelidos pelo seu pioneirismo, um santo padre e outras curiosidades que deixa a nossa cidade ser única.

Assim como foi a primeira edição, a segunda terá matérias de conteúdo histórico sobre a cultura natalense. A segunda edição da revista contará com reportagens e textos sobre curiosidades que fazem com que Natal seja única e particular, e o mais importante, que a deixa viva. Além disso, coletamos materiais importantes para a história da cidade, com reportagens sobre Natal durante a Gripe Espanhola, a origem do nome Londres Nordestina, Dicionário de Gírias Natalenses e dentre outros assuntos.

Afinal, o que vou ganhar com o pré-lançamento?

Para comemorar o pré-lançamento, montamos um kit da pré-venda, que terá coisas que você vai levar o Brechando para sempre. No Kit da Pré-Venda vai ter:

a) Ecobag Brechando
b) Bloco de notas com capa dura
c) Caneta
d) Bottom
e) Revista Brechando nº 2
f) Revista Brechando nº 1

Ambas as revistas terão dedicatórias

E, aí, quer levar um material bacanudo? Sua chance, além de parcelar em seis vezes. Gostasse?

“Este projeto foi realizado com recursos da Lei Aldir Blanc Rio Grande do Norte. Fundação José Augusto, Governo do Estado do Rio Grande do Norte, Secretaria Especial da Cultura, Ministério do Turismo e Governo Federal.”.