Nevaldo Rocha

Avenida Bernardo Vieira mudou de nome: que rola agora?

Avenida Bernardo Vieira mudou de nome. A Câmara Municipal de Natal resolveu na noite desta terça-feira (13) mudar o nome da avenida Bernardo Vieira para Nevaldo Rocha, uma vez que era o empresário que criou o grupo Guararapes e, por conseguinte o Midway, que fica na então via. Esta não foi a primeira mudança no nome deste lugar, uma vez que no tempo dos nossos pais já foi a Avenida 15.

Este post é para falar quais serão os próximos passos para que ocorra a mudança em definitivo.

A sanção do prefeito de Natal

O prefeito Álvaro Dias é o autor da proposta. Mesmo sendo chefe do executivo, o documento precisa de aprovação dos vereadores. Além disso, tem que seguir algumas regras.

Os nomes das ruas e avenidas, no entanto, têm que ser de pessoas que já morreram e não ter ligação com período de escravidão ou contra os direitos humanos, segundo a lei federal de 2013.

Como houve o apoio dos vereadores, o prefeito sancionará no Diário Oficial do Município.

Agora resta saber se a mudança da avenida vai ser por toda a sua extensão, visto que a via corta oito bairros diferentes de Natal. Logo, 8 CEPs diferentes.

E, depois que a avenida Bernardo Vieira mudou de nome?

Após a sanção, os moradores e comerciantes da ex-Bernardo Vieira vão ter que mudar um monte de coisas.  Apesar do CEP continua sendo o mesmo, é preciso que os moradores atualizem todos os documentos oficiais onde conste o endereço, incluindo contas bancárias, cadastros, matrículas e até a escritura do imóvel. Vai dar um pouco de trabalho, não é mesmo?

A Prefeitura do Natal também tem que mudar o endereço em seus documentos oficiais, sinalizações, mapas da cidade e também em dispositivos digitais, como o Google Maps.

A aprovação da Câmara consta que a Prefeitura do Natal tem 180 dias, ou seja, seis meses, para que toda a sua mudança aconteça.

 

 

dia do café

Que tal pedir um combo no dia do Café?

Nesta quarta-feira (14) comemora-se o Dia Mundial do Café. Para celebrar a data a Associação de Bares e Restaurantes no Rio Grande do Norte, a Abrasel, primeiramente criou a semana de promoções nas principais cafeterias de Natal. O nome do projeto é “Simbora, é Hora do Café!”, que acontece entre os dias 14 a 18 de abril.

“A iniciativa, visa atrair a atenção do público natalense para as cafeterias e docerias associadas, num momento tão duro. Além disso, o foco é manter os nossos filiados em evidência” relata Artur Fontes, diretor executivo em release à imprensa.

Quem participa é Bell’s Cafeteria, Crooks Cookie Shop, Caroli Douces, Rafaela Fontes, Bocaditos, Radio Café, Casa Nacre e ainda mais tem a Suisse Brownie. A seguir, portanto, os combos, a partir de R$ 21,90, para você pedir por delivery, takeaway e deliciar um bom café.

Brechando, no entanto, recomenda que só saia quando for necessário (ex: trabalho, estudos ou compras) e ir presencialmente nas cafeterias após a atividade obrigatória. Lembrar que o toque de recolher é às 20 horas. 

Além disso, no Instagram da Abrasel, você acompanha, portanto, todas as informações, com mapinhas das cafeterias, horários de funcionamento e entre outras coisas. Então, fique de olho e lembrar das regras da Organização Mundial de Saúde (OMS).

Revista Maniva

Revista Maniva chegou com a sua edição zero

Por culpa do jornalista e fotógrafo Everson de Andrade que eu conheci primeiramente o jornalismo gonzo e aquele estilo livre e debochado de trabalhar, assim fugindo da pirâmide invertida. Durante os intervalos, nos corredores do Setor 2 da UFRN, a gente ficava, portanto, folhenado a Trip e a TPM, vendo os textos e as fotografias fora do padrão. Como resultado, ele tem a sua própria revista, uma vez que lançou a edição zero da Maniva.

O lançamento acontece em abril, uma vez que seu foco é uma série de ensaios de pessoas do RN. Sem a possibilidade de eventos presenciais, devido à pandemia da Covid-19, o lançamento já vem acontecendo online nas redes sociais do fotógrafo e editor de Everson de Andrade.

Conteúdo da revista

A publicação apresenta 5 ensaios fotográficos e mais 3 artigos textuais. Uma característica da revista é a diversidade dos trabalhos passando pelo contemporâneo, autoral, documental e institucional. Max Pereira, fotógrafo e autor de “Efemérides” destaca que a revista serve para as pessoas conhecerem o que está sendo produzido no estado.

“Primeiramente levar essa produção até as pessoas e que elas conheçam o que está sendo feito e produzido no estado. E também criar essa rede de pessoas trabalhadoras da fotografia. Que vão conhecendo os trabalhos uns dos outros e vão trocando ideias e pensando os projetos juntos, se ajudando e isso só contribui para a cena da fotografia e da produção fotográfica no estado ficar cada vez mais forte e mais visível”, disse.

Capa da revista

Além disso, o artista ainda destaca que devido o atual contexto, no qual atividades presenciais como exposições e mostras são perigos para infecção de Covid-19, uma publicação impressa, por conseguinte, é uma ferramenta importante de difusão desses trabalhos.

“A gente precisa atingir visibilidade e que as pessoas vejam o que a gente está fazendo. Em um momento como este que não se pode pensar em aglomerações. Por isso, um veículo impresso é simplesmente genial. Ainda mais é uma das melhores formas de poder levar esse trabalho até o público”, completou.

Onde comprar a revista

A publicação está sendo vendida pelo próprio fotógrafo pelo valor de R$ 15,00. Para o envio pelos correios há um acréscimo de R$ 10,00 reais para qualquer região do país. Entretanto, se o interessado for morador da cidade de Parnamirim e da zona sul de Natal é possível agendar a entrega via delivery com o fotógrafo em sua conta no Instagram.

A revista Maniva foi realizada com recursos da Lei Aldir Blanc Rio Grande do Norte. Fundação José Augusto, Governo do Estado do Rio Grande do Norte, Secretaria Especial da Cultura, Ministério do Turismo e Governo Federal.

Jornada no Bosque

Jornada no Bosque realiza exposição virtual

A Jornada no Bosque apresenta a exposição “A Natureza Cura”, que traz uma mostra de arte ilustrativa, fotográfica e textual. A finalidade é mostrar inspirações em forma de conscientização sobre a cultura, saúde e natureza nestes tempos de pandemia. Inclusive na preservação do Parque das Dunas, visto que é a maior reserva de Mata Atlântica no RN e a segunda maior do país.

Além disso, a exposição teve início dia 29 de março e segue disponível no perfil do Instagram (@jornadanobosque).

De acordo com Maurício Panella, idealizador do Programa Jornada do Bosque, a exposição era para acontecer inicialmente em um espaço público físico com oficinas de arte e reflexão. Entretanto, os tempos de isolamento justificam o alcance que busca conquistar agora de forma virtual.

As imagens das pessoas retratam causas importantes eventualmente aliadas aos belos desenhos gráficos que acompanham a identidade visual do Jornada e que representam a diversidade da fauna e flora do Parque das Dunas, também conhecido como Bosque dos Namorados.

Uma das imagens que está em exposição

As produções da edição 2021 do Jornada no Bosque podem ser acessadas neste momento pelas redes sociais (Instagram, Facebook e YouTube) e site www.ajornada.org.

Sobre o Jornada no Bosque

O Jornada no Bosque é um programa museal desenvolvido desde 2019 pelo Casadágua – Instituto e Estúdio de Criação. O objetivo é difundir o patrimônio cultural e natural na cidade de Natal e do Brasil. Através da criação de produtos artísticos e pela coordenação de atividades lúdicas, formativas e interativas.

Tem como foco o fortalecimento da imagem do Parque das Dunas como uma importante Unidade de Conservação e também como um espaço museal e artístico. É um projeto aprovado pela Lei Municipal de Incentivo à Cultura Djalma Maranhão (Natal/RN), tem patrocínio da Prefeitura do Natal, e conta com incentivo da Unimed Natal apoio do Governo do Estado do RN, Idema, Parque das Dunas e Sebrae-RN. Uma realização do Estúdio Casadágua.