doe sangue na quarentena

Ao invés de furar quarentena, doe sangue

Está saindo de casa, deixando as pessoas mais vulneráveis ao Covid-19. Só saia de casa quando realmente for necessário e não invente de fazer besteira em Ponta Negra, como muitos abençoados neste domingo (12). Que tal fazer uma ação de caridade? Doe sangue nesta quarentena!

Estamos há 120 dias neste perrengue e ao invés de deixar as outras pessoas em perigo, salve vidas!

Recentemente doei sangue e a estocagem do Hemonorte, órgão responsável pela doação de sangue em todo o Rio Grande do Norte, está baixo. Por isso, o Brechando resolveu montar um esquema de como funciona o dia de doação de sangue.

Fique tranquilo, o banco de sangue do estado está todo estruturado com as normas da Organização Mundial de Saúde (OMS) para que você não pegue o Coronavírus.

Confira o passo a passo a seguir:

1) Você vai ter uma entrevista com a assistente social

Se você está doando pela primeira vez, recebe este adesivo

Com a assistente social do Hemonorte, ela vai dar uma rápida orientação primeiramente de como funcionará o processo de doação de sangue, além de perguntar como estava a saúde e se estava cuidando contra o Coronavírus.

2) Após a assistência social, hora da pré-triagem

Sala da pré-triagem e da assistência social

A pré-triagem é um exame rápido de check-up, onde verificam se você está com peso ideal para doação, taxa de glicose, teste de exame de DST/HIV e pressão arterial. Rapidamente, eles te encaminham para uma outra sala, que será uma entrevista.

3) A entrevista, também conhecida como a triagem

Enquanto eu esperava

A entrevista é o motivo para que muitos doadores sejam barrados por apresentar algum problema que não seja bom para quem for receber o sangue futuramente. Eles vão perguntar se almoçou direitinho (ao contrário do exame de sangue, você deve comer antes de fazer), você tem piercing, tatuagem, se você tem parceiro fixo, se transou sem preservativo nos últimos seis meses e dentre outras coisas.

Se passar no teste, será entregue uma ficha para você lanchar.

4) Hora do lanche

Meu lanchinho, meu lanchinho…

Vai para a lanchonete do Hemonorte e entregue a ficha. O lanchinho é um biscoito e um suco de caixinha, cujo objetivo é não desmaiar no meio da coletagem do seu sangue. Só comer e esperar a sua vez.

5) Hora da coleta de sangue

Antes de ser furada

Numa sala com outras pessoas, você fica em uma cama e o enfermeiro prepara a bolsa que coletará quase meio litro de sangue. Confesso que fiquei um pouco de medo quando vi que a agulha intravenosa era bem grossa, mas estava com coragem.

Você deita na caminha bem alta para uma pessoa de 1,60m. Depois coloca o braço para fora e com um garrote bem apertado, segundo o enfermeiro “quanto mais apertado, menos dor”, você será furado. Então, você precisa abrir e fechar a mão bem rapidinho para que o sangue seja bombeado mais rápido.

Enquanto isso você fica de boas assistindo televisão.

A coleta de sangue, diferente do que aparenta na televisão, ela é super rápida e dura em torno de 10 minutos.

6) Lanchinho final

Após a coleta de sangue, você recebe um papel para afirmar se suas respostas foram verdadeiras ou não e, por fim, colocar na urna. Depois, o segundo lanchinho com a finalidade de não desmaiar no meio da rua, desta vez é um chocolate com o suco de caixinha.

Terminou o lanchinho? Hora de ir para casa e lembre-se portanto de descansar, beber bastante líquido e evitar de fazer traquinagem.

E, agora? Doe sangue na quarentena! Compartilhe este post para o máximo de pessoas possíveis!

Hemonorte funciona de segunda sábado, das 7 às 18h

Dia do Rock: 5 bandas potiguares para ouvir neste dia

Hoje é dia de rock, bebê. O dia 13 de julho é conhecido no Brasil como Dia Mundial do Rock, também conhecido como o Dia do Rock, onde homenageamos esse estilo musical que é conhecido pela rebeldia, som pesado e por lançar diversos músicos, além de influenciar a cultura pop. Aqui no Rio Grande do Norte temos bandas de rock que fizeram sucesso e precisam ser homenageadas neste post.

Para quem acompanha o site, desde o início, a gente separa o 13 de julho para falar sobre o Rock and Roll, além de contar alguma história relacionada. Dessa vez, vamos listar bandas que se destacaa

O critério do Brechando foi listar bandas do Rio Grande do Norte que superaram as barreiras do estado e fizeram sucesso fora, uma vez que durante cada década pelo menos alguém conseguiu furar a bolha do sucesso interno.

Confira as bandas que se destacaram em cada década no rock potiguar. Confira:

1960: Leno

O cantor Leno fez bastante sucesso na Jovem Guarda com a dupla Leno e Lílian, na década de 70 migrou para carreira solo, além de produzir diversos artistas. O cantor é considerado um dos primeiros rockstar do RN.

1970: Impacto Cinco

Seu disco “Lágrimas Azuis” é bastante cultuado por colecionadores de discos, considerado um dos importantes do rock dos anos 70. A banda ficou conhecida em Natal no final dos anos 60, arrastando multidões nas festas de Natal até que chamou atenção do Leno, que por conseguinte lançou os seus dois primeiros discos.

1980: Deadly Fate

Uma das bandas de metal mais antiga do estado, o Deadly Fate foi destaque nos anos 80 junto com outras bandas nos tempos que ainda existia loja Whiplash, tanto que eles participaram do primeiro disco de Heavy Metal produzido em Natal, a coletânea Whiplash Attack Vol. 01.

2000: Jane Fonda

Nos anos 2000, vocais rasgados e letras mais melódicas eram destaque no rock nacional. Nesse período, a banda Jane Fonda fazia o Dosol lotar e bombar nas rádios potiguares com seu sucesso, que chamou atenção dos estados vizinhos, chegando a participar de festivais grandes de outros estados, como o Ceará Music. Quem era adolescente dos anos 2000, sabe de cor e salteado as letras de “Saliva” e “Gatos e Cães”.

2010: Far From Alaska

Para alguns jornalistas culturais de Natal, o Far From Alaska foi a banda do Rio Grande do Norte que foi mais longe, uma vez que eles fizeram sucesso internacional e são bastante conhecidos no Eixo Rio-São Paulo. Apesar de todos os integrantes terem experiência em bandas locais, como Calistoga e Talma e Gadelha, foi quando em 2013 participando de um festival em São Paulo que realmente começaram a ficar conhecidos, tocando em grandes festivais como o Rock In Rio e Lollapalooza, atualmente eles têm dois discos gravados e dois EPs.

Lista de matérias sobre o rock potiguar

Se você quer saber mais sobre o Rock Potiguar, o Brechando também vai fazer lista de algumas curiosidades do estilo musical para você ler e aprovietar esse dia, além dos já citados acima. Confira:

Um padre foi quem produziu o primeiro disco de grupo de rock potiguar

Alex Duarte, metaleiro e antifascista em entrevista

Rock e periferia: assistindo um show no Passo da Pátria

Uílame fala sobre o dia do rock

Conheça a banda do Zé Gotinha ou Joseph Little Drop

Elas preferem ver satanás do que machista escroto na rua

Participando de mosh na minha adolescência e pesquisando sua origem

Conheça a pizzaria mais underground da cidade

Hardcore antifacista: Antifacismo tem que ser dialogado com o alvo dos ataques fascistas