Prefeitura vai deixar a escada de Mãe Luíza toda grafitada

Assim como o Beco da Lama, desde quarta-feira (15) a escada que liga os bairros de Mãe Luíza e Areia Preta estará colorida e deixará aquela cara de Mc Donald’s. Sim, ela será toda grafitada.

É uma intervenção artística em formato de mosaico e graffitis, contando com 20 artistas potiguares se revezam em horários e grupos. Está tudo dentro das orientações de distanciamento social e higiene na luta contra a Covid-19.

O projeto é da Prefeitura do Natal, através da Secretaria de Cultura (Secult-Funcarte). A previsão de conclusão é de três semanas.

Sobre o projeto da Escadaria

O projeto da escada de Mãe Luiza terá produção de 133 espelhos dos degraus de 0,15m de altura por 4m de largura. Além disso, os dois arcos revestidos de mosaicos.

Serão portanto dez artistas por turno (dois turnos entre 9h e 20h), sendo que cinco em cada parede.

Andaimes serão montados durante 15 dias para possibilitar a pintura e mosaicos nas partes mais altas.

Também haverá mosaicos

Local preferido por moradores da Zona Leste para atividades físicas, o espaço teve o projeto elaborado pelos mosaicistas Gildeci Pereira, Liana Diógenes, João Batista de Lima, Rosangela Rocha e Wendell Eduardo.

O mosaico é um trabalho com pedras estilhaçadas ou roladas, pastilhas e cerâmicas estilhaçadas ou riscadas e cortadas.

Os materiais vítreos são produzidos pela indústria para resistir ao efeito erosivo e manter a durabilidade das cores, servindo por conseguinte como proteção para as áreas revestidas.

“Então além da beleza e durabilidade, esta modalidade ainda tem a função de impermeabilizar os espaços onde são fixadas”, alega a Secretaria de Cultura em release enviado à imprensa.

Primeiro passo foi o Beco da Lama em 2019

O responsável será o artista plástico Miguel Carcará, da Secretaria de Cultura de Natal, que também liderou o projeto de grafitagem do Zé Reeira.

Para o Beco da Lama, primeiramente, Miguel realizou uma parceria com Dicesarlove, que através da ação e do investimento da Prefeitura do Natal começam a destilar arte urbana em muros e paredes do sítio.

O artista é conhecido por desenvolver trabalhos que buscam os sentimentos mais nobres das pessoas. Dicesarlove é um artista autodidata e iniciou a sua carreira antes dos 18 anos, quando criava desenhos realistas de pessoas no Centro de São Paulo. Começou a trabalhar como garçom em um bar, onde o proprietário soube da sua aptidão pela arte e decidiu convidá-lo para fazer um desenho do Charlie Chaplin na parede interna do estabelecimento.

A paixão de Dicesarlove pelo mundo do graffiti iniciou-se em meados de 1996, quando ele começou a fazer intervenções artísticas pela Cidade de São Paulo. Em sua trajetória profissional teve a oportunidade de conhecer ou trabalhar com alguns ícones como: Mr. Brainwash, Obey, Eduardo Kobra e atuar em vários países: EUA, Cuba, Dubai, Holanda, Japão, Suécia e Polonia. Com mais de 20 anos de carreira, Dicesarlove segue os seus projetos artísticos e rompe fronteiras.

Durante as atividades, os artistas terão a disposição um verdadeiro “arsenal” de tintas e equipamentos. 20 latas de tinta látex de 18 litros, 25 latas de spray para cada grafiteiro, andaimes, plataformas e escadas para os pontos mais altos. Tudo através do investimento da Prefeitura do Natal.

Melro

Melro, um potiguar radicado no Rio de Janeiro

Do Rio de Janeiro para o mundo ou seria do Rio Grande do Norte para o mundo? Não importa, Melro é de todos os lugares, principalmente se for perto do mar, visto que ele convive nesse ambiente e isso foi sua inspiração para o primeiro single, “Conversa de Pescador”, que fala de um homem que vaga pela noite com sua jangada no mar para garantir seu pescado numa cidade cercada de prédios.

“As paisagens litorâneas estão presentes na estética que me atravessa. Embora não seja uma pessoa solar, gosto de saber que a praia vai estar bem ali pertinho. Essa praia que me habita traz suavidade, calma e uma agradável neblina. O vento bate frio no rosto enquanto o sol do fim da tarde aquece com todo o equilíbrio e calma da mudança de seu turno com a lua. Essa é a paisagem que me atravessa e as cores com as quais eu tento pintar minhas canções”, completa o artista, que compôs a letra. Já a sonoridade de “Conversa de Pescador” foi construída ao lado de Renato Amu, responsável pela produção e execução de todos os instrumentos (violão, guitarra, baixo e sequencers).

Mesmo querendo mostrar seu lado litorâneo, ele bebeu como fonte o britshpop. Escute a seguir:

Melro é o alter-ego do cantor e compositor Márcio de Andrade, que estava há algum tempo guardado e só agora tomou viva.

Origem do Melro

Vocalista com experiência em bandas potiguares como Ledgers e Astúria e a carioca Inventário, Marcio mostrou sua versatilidade ao integrar coros-cênicos, sendo solista do Coletivo Embando e do grupo vocal Dá No Coro. Além disso, formou-se ator na centenária Escola Estadual de Teatro Martins Penna.

A ideia do Melro surgiu quando Andrade conheceu o produtor carioca Renato Amu. Ele o convidou a gravar a voz em uma canção sua, “Convidada Indesejada”. Logo notaram o diálogo e afinidades estéticas entre suas ideias. Durante uma pausa na gravação, Marcio tocou uma canção de sua autoria: “Conversa de Pescador”. Amu então sugeriu que a gravassem também, registrando assim as duas primeiras faixas do projeto solo Melro.

O nome veio de inspiração de uma antiga conta do cantor no Tumblr para postar poemas.

Além de Conversa de Pescador, ele tem um clipe chamado “Convidada Indesejada”, cujo vídeo foi gravado no litoral do Recife com direção de Sylara Silvério e roteiro de Carlos Augusto Domingos, que também são potiguares.

Confira o clipe a seguir: