São João = Lightpainting, saiba mais desta técnica

O dia de São João neste fim de semana. Embora você não goste de forró ou comidas derivadas do milho, todo mundo se diverte nas festas juninas, principalmente aqueles que gostam de fotografia. Neste sábado (23), eu fiquei brincando com a técnica do lightpainting com minha máquina fotográfica. O nome pode parecer esquisito, mas no bom português significa pintando com a luz.

A primeira coisa, este efeito não utiliza Photoshop ou algo do tipo. Mas, o que você precisa ter?

  1. Câmera digital (de preferência que tenha modo manual);
  2. Tripé.

Coloque o ISO da máquina no menor valor e diminua o diafragma da câmera (caso não saiba o que estou falando: aumente aquele f que tem nas máquinas). E deixe a câmera no tripé, pois qualquer movimento pode atrapalhar a arte.

Já a velocidade do obturador, bote no maior tempo possível de exposição. Se sua máquina tiver o modo Bulb, melhor ainda, porque você vai expor a câmera no tempo que quiser.

Mas, o que tem com São João? Durante o período, é comum as pessoas soltarem fogos de artifícios e outras bombinhas de São João,  uma delas é conhecida como chuveirinho, que tem um feito parecido com aquelas velas de aniversário.

Então, compre essas bombinhas e brinque com elas para fotografar.

Ao acender o chuveirinho, faça diversos desenhos em frente a câmera e ao acabar veja como ficou a foto.

Além disso, existem vários artistas que trabalham com esta técnica e tem as suas fotografias expostas no mundo inteiro.

Veja todas as fotografias a seguir:

Por que a Cientec 2018 é nesta semana?

A feira de ciências da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), em comemoração aos 60 anos da instituição, será comemorada neste semestre. Mais precisamente na próxima quinta-feira (28), no qual reunirá projetos acadêmicos não só da UFRN, mas também de colégios privados e de empresas que trabalham com a tecnologia.

A Cientec 2018 conta com três grandes dimensões: Mostra da Cientec, organizada em pavilhões que abrigam exposições interativas e transdisciplinares e que se constitui no espaço de troca de conhecimento e do diálogo de ideias; Reunião Acadêmico-Científica, onde serão realizados eventos acadêmicos como congressos, seminários, oficinas, cursos e exposição de pôsteres; Cientec Cultural, voltada à produção e integração acadêmico-cultural, com eventos artísticos, apresentações e exposições e suas discussões pedagógico-culturais.

O evento encerra no sábado (30).

Grupo de Dança da UFRN abre Cientec Cultural e Plutão Já Foi Planeta faz seu primeiro show em Natal

A Cientec Cultural, que faz parte da Mostra de Ciência, Tecnologia e Cultura (Cientec), abre sua programação na quinta-feira, 28, a partir das 19h, no Anfiteatro do Campus Central. Depois da Cerimônia de Boas Vindas, acontecem as apresentações do Grupo de Dança da UFRN, da Orquestra Sinfônica e do Madrigal da UFRN.

Na sexta-feira, 29, a programação começa com o Gaya Dança Contemporânea, depois será a vez do Grudum da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN), da Banda Alfândega e de Nara Costa e Orquestra Sanfônica.

No último dia da Cientec, 30 de junho, o Entre Nós – Coletivo de Criação sobe ao palco, seguido pela Tropa Trupe. Às 19h45, Sueldo Soares canta e, às 21h, Plutão já foi Planeta encerra o evento.

Confira outras informações da Mostra nas redes sociais ou pelo site www.cientec.ufrn.br.

Dentre as atividades da Cientec está um paredão eletrônico

Sabia que um paredão de som pode ser um instrumento de pesquisa? Dentro das atividades, o Departamento de Artes apresentará a segunda edição do Paredão Eletrônico, no qual será um espetáculo sonoro e visual. A apresentação será na sexta-feira (29), às 17h30. A atividade é uma parceria com a empresa Savox com a universidade.

O objetivo é realizar inovações proporcionadas pela interatividade nesta aparelhagem aparentada aos sound systems originários da Jamaica, com características próprias e tornada móvel no Nordeste. Foram introduzidas nesta estrutura de uso generalizado no Nordeste e em outras regiões do país: animações eletrônicas na parte de luz com trilha sonora das animações de Leonardo Pereira (Escola de Música/UFRN); composição sonora interativa via celulares de Gabriel Gagliano (também da EM/UFRN) e outras inovações interativas como mudança de cor e som dos módulos de led do grande painel a partir de sensores de cor e de frequência cardíaca manipuláveis pelo público.

Ou seja, o público poderá ver e ouvir no paredão representações animadas do ritmo de seu coração, ou animações luminosas e sonoras conforme as cores de objetos do público e suas próprias roupas.

O projeto envolve envolve investigação no campo da economia criativa nordestina dos chamados “paredões” em Natal, Rio Grande do Norte, Brasil.

O projeto dá continuidade a implementação de perspectivas prospectadas de intervenção e deslocamento de inserção cultural, com a implementação de modificações e acréscimo de incrementos e inovações tecnológicas que permitem a expansão das possibilidades artísticas e criativas desta manifestação.