Praça João Maria é palco de chorinho com Carlos Zens

A Praça João Maria é um dos pontos históricos da capital potiguar, onde tem o busto de um importante religioso para Natal. Mas, o local fica no bairro de Cidade Alta, local onde fica a boemia natalense e terá na manhã neste sábado (30) o projeto Choro no Caçuá, evento voltado ao choro de raiz, e encontro de músicos, um momento de troca de experiências, entre músicos/professores e alunos acontecerá novamente neste sábado na Estação do Cordel, Cidade Alta, a partir das 10h e até 12h.

Leia Também:

• Cidade Alta não para, nem de noite

Vale lembrar que o projeto acontece sempre no segundo e no último sábado de cada mês.

Nesta edição contará com participação de Carlos Zens (foto acima do título). Além disso, terá uma cerveja bem gelada, muita poesia e venda de cordéis. O evento também terá a feirinha de artesanato, e bazar de compra e troca, capitaneado por Lilianne Marciano, que trará também suas camisetas e bottons.

“Do Projeto Choro no Caçuá, participam músicos, professores e alunos da escola de música. Este é o primeiro ano do projeto e em sua quinta edição, com total aceitação e interação entre público em geral e professores que fomentam o projeto”, ressaltou Moura Galvão, responsável pela Estação do Cordel, em nome da assessoria de imprensa.

Choro no Cacuá foi criado por Carlos Zens, Fernandinho Regis, Anchieta Menezes, e total apoio de Moura Galvão, da Estação do Cordel. Tem como objetivo a prática e troca de experiências do choro, e descontração de músicos e com alunos que queiram iniciar a carreira musical/instrumental.

A Praça João Maria fica por trás da Igreja Matriz de Nossa Senhora da Apresentação, a antiga catedral.

SERVIÇO
Choro no Cacuá
Onde: Estação do Cordel – Pça João Maria Centro de Natal – Prox. a Loja Leader (antigo Cinema Nordeste).
Quando: Sábado / 30/06/2018
Horário: 10h às 12h
*Evento Gratuito

Informações do evento pode ser conferido a partir deste link.

Livro sobre violência contra a mulher será lançado na Pinacoteca do Estado

O direito ao voto, ao estudo e também de ter o seu próprio emprego foram uma das grandes lutas das mulheres pela igualdade de gênero. Porém, alguns ainda acham é frescura. Mas, tem uma pessoa que mostra que não é bem assim e que ainda falta muita coisa. Uma linha do tempo das lutas feministas até a conquista da Lei Maria da Penha. Este é o principal mote da militante feminista, assistente social e advogada Vani Fragosa, que lançará no próximo dia 5 de julho, às 18h, na Pinacoteca do Estado do Rio Grande do Norte, no bairro de Cidade Alta, o livro “Violência doméstica contra a mulher – da invisibilidade à luta pela superação.
A publicação, inicialmente fruto da defesa de monografia no curso de Direito da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), no qual obteve nota máxima e menção honrosa por parte da banca examinadora. “Recebi, com muita alegria, a indicação para concorrer à melhor monografia do Centro de Ciências Sociais Aplicadas (CCSA) da UFRN, além de sugestão da banca examinadora para transformar o trabalho em livro”, afirma Vani por meio da assessoria de imprensa.
O livro trata da questão da violência contra a mulher, fazendo uma espécie de linha do tempo das lutas das mulheres até a conquista da Lei Maria da Penha. Também aborda a previsão dos Grupos Reflexivos de Homens, os quais, no caso dos implementados pelo Ministério Público do Rio Grande do Norte em Natal, têm destaque especial no livro, haja vista estarem alcançando resultados bastante positivos em que o índice de reincidência processual dos homens que por eles passaram mantem-se em zero.
A noite de lançamento contará com show de Jamily Mendonça, recebendo a participação de Yrahn Barreto e Rousi Flor de Caeté, e com a performance MANIFESTO FEMINA, do grupo Comboio de Teatro.
Serviço:
Lançamento do livro Violência doméstica contra a mulher – da invisibilidade à luta pela superação
Local: Pinacoteca do Estado do Rio Grande do Norte.
Dia: 5 de julho (quinta-feira)
Horário: 18h

Drag resolve apresentar TCC montada na UFRN e é aprovada

O dia 28 de junho é considerado o Dia do Orgulho LGBT por causa dos protestos que começaram na boate Stonewall, conforme falamos por aqui. Mas, para a drag queen potiguar Ametista este dia também representa o momento que apresentou o seu Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) em Publicidade e Propaganda, na Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). E o mais importante, ela se apresentou montada, afinal o seu objeto de estudo foi o canal Proposta, desenvolvido por criar notícias sobre a cena LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais e Transgêneros) do RN.

Apesar do dia do orgulho LGBT foi nesta quinta-feira (28), a apresentação aconteceu na quarta (27), na véspera. Para não confundir os leitores do Brechando. Porém, isso não tira o brilho ou a ousadia da drag de querer resolver apresentar seu trabalho montada, visto que as pessoas querem exigir que um ambiente acadêmico seja quadrado ou formal demais, enquanto as universidades federais pregam pela igualdade.

Leia Também:

De acordo com Felipe Paz, a persona que está por trás da Ametista, através do seu stories do Instagram, o motivo para apresentar o seu TCC montada foi “por causa da cena LGBT ter lhe ajudado a ser quem ele é hoje”. Portanto, é uma homenagem.

O TCC também faz análise sobre a cena local.

“Quando eu entrei na faculdade eu nem imaginava que me apaixonaria tanto pela arte drag, muito menos que um dia eu me tornaria uma. E hoje estou aqui, feliz e realizada por ter apresentado meu TCC montafa. Sim, eu falei sobre a Proposta e a cena LGBT local, que sou simplesmente orgulhosa de também fazer parte. Então aproveitei este dia 28 de Junho, Dia Internacional do Orgulho LGBT, pra avisar que aqui tem um LGBT feliz de ocupar um espaço tão representativo e que tive o privilegio de integrar: a universidade”, comentou.

Esta não é a primeira vez que a UFRN, aos trancos e barrancos, abre espaço para os estudantes LGBT, visto que o espaço tiveram como alunas a Emily Mel Fernandes e Leilane Assunção, que inclusive foi a primeira professora trans no Departamento de História.

Veja a sua comemoração da drag após ter sido aprovada:

Eu depois que tive o TCC APROVADOOOOO 🎉 #LGBT #DragQueen

Uma publicação compartilhada por Ametista ✨ Felipe Paz (@ametistacw) em