Dalton/Hebe estreia no dia 14, no Ateliê Bar

Depois de Septo, vem aí Dalton/Hebe. A estreia da série produzida pela Casa de Praia já tem data, será no dia 14 de dezembro, na próxima quarta-feira, no Ateliê Bar, que fica na Rua Chile, no bairro da Ribeira. Além disso, haverá o lançamento do livro “Claquete Potiguar”, produzido pela Associação Brasileira de Documentaristas e Curtametragistas do RN (ABDeC – RN).

Tanto a série quanto o livro fazem parte dos projetos selecionados pelo edital SEBRAE de incentivo à economia criativa 2016.

O livro apresenta 10 artigos sobre o cenário audiovisual do estado do RN no período de 2000 a 2015 e foi organizado por Adriano Cruz, Dênia Cruz e Ruy Rocha. É uma realização da própria ABDeC com a editora Tribo e apoio da Letra A Comunicação. O livro estará sendo vendido ao preço de R$35,00.

Dalton/Hebe é uma comédia criada por Mateus Cardoso, Moniky Rodrigues e Pedro Fiuza que narra a história de dois grandes amigos, interpretados por Quitéria Kelly, conhecida pelas peças do Grupo Carmin, e Mateus Cardoso.

O enredo fala sobre Hebe Feitosa, uma atriz, divorciada e mãe de duas filhas pequenas, e Dalton Bragança, aluno do mestrado em comunicação na Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). Os dois vivem uma relação de proximidade extrema e exagerada que beira a insanidade, e formam junto com as filhas de Hebe uma família nada tradicional, mas extremamente unida.

A história do seriado começa quando Hebe e Dalton trocam seus celulares e combinam de escolher o match ideal no Tinder um para o outro. Dalton é gay, Hebe é hétero, e os dois tem feito escolhas miseráveis de homens com quem se relacionar. Veja o segundo teaser a seguir:

O seriado apresentará nesta etapa inicial três episódios em uma mini temporada piloto com o objetivo de conseguir parceiros, exibidores e financiamento para a continuidade do projeto que prevê uma primeira temporada completa com nove episódios e a possibilidade de outras temporadas a partir de então.

O texto foi escrito a partir do argumento de Mateus Cardoso e foram dirigidos por Moniky Rodrigues e Pedro Fiuza.

A websérie busca chamar a atenção para os novos modelos de família já existentes ao nosso redor, e apresentar sem qualquer preconceito ou tabu as possibilidades de amar e se relacionar seja com companheiros, amantes, cônjuges ou amigos.

Assim como Septo, Dalton/Hebe busca valorizar a cidade de Natal e seus cidadãos a partir de um olhar do nordeste urbano para si mesmo, sem clichês e lugares comuns sobre quem são os natalenses, seus sotaques, desafios de vida e espaços cotidianos onde habitam.

A entrada no bar custará 5 reais. Após a exibição, haverá discotecagem feita por membros da própria equipe de produção da websérie. Os três episódios de Dalton/Hebe estarão disponíveis gratuitamente e por completo no canal da produtora no YouTube logo após o evento.

Serviço:
Lançamento do Livro “ Claquete Potiguar” e da websérie “Dalton/Hebe”
Dia 14 de dezembro de 2016
Horário: 19h
Local: Ateliê Bar ( Rua Chile – Ribeira)
Ingressos: R$ 5,00 no local

Bens públicos foram bloqueados para que funcionem Castramóveis

O Tribunal de Justiça, através da juíza Francimar Dias Araújo, da 2ª Vara da Fazenda Pública de Natal, determinou nesta terça-feira (6) o bloqueio de R$ 255 mil a ser realizado na conta do Fundo Único do Meio Ambiente (Funam). O montante deverá ser empregado para assegurar a operação do serviço dos Castramóveis.

O que é o Funam? Foi criado em 1992 e é destinado à implementação de projetos de melhoria da qualidade ambiental do Município, vedado o uso de seus recursos para qualquer outro fim, inclusive o pagamento de pessoal.

Os recursos financeiros destinados ao Funam são aplicados prioritariamente em atividades de desenvolvimento científico, tecnológico, de apoio editorial e de educação ambiental.

O bloqueio atende a pedido do Ministério Público Estadual, o qual ingressou com Ação Civil Pública para que o Município de Natal realize licitação para aquisição dos insumos necessários à execução das cirurgias de castração de cães e gatos, com o intuito de controlar o incremento populacional de animais soltos nas ruas da cidade.

Após o bloqueio, o Município de Natal deverá comprovar a efetivação das medidas para o cumprimento da decisão liminar.

Os Castramóveis eram um projeto do vereador Sandro Pimentel que foi sancionado pela Prefeitura do Natal e com recursos que estavam previstos na Lei Orçamentária Anuária deste ano. Qual é a intenção? Colocar dois carros para circular na cidade para castrar aqueles animais (cães e gatos) que estão em situação de rua ou ajudar aqueles donos que não tem dinheiro para realizar a castração.

Os carros se encontram desde agosto na Secretaria Municipal do Meio Ambiente e Urbanismo (Semurb) e até não se encontra em funcionamento.

A mesma juíza, em setembro, determinou que o Município de Natal, no prazo de 30 dias, deflagre o processo licitatória para fins de aquisição dos insumos necessários à execução das cirurgia. Porém, nada foi realizado.

A castração animal é necessária para o controle de animais e pode ser realizada para prevenir de doenças, como tumores prostáticos, mamários e uterinos. Entretanto, algumas pessoas não possuem grana para pagar o veterinário, visto que em alguns lugares pode custar, no mínimo, 150 reais para os gatos machos. Para as fêmeas, este valor pode ser maior.

Para os cachorros, o custo da castração pode valer o dobro do custo para os felinos. Por isso, uma das soluções oferecidas para aqueles animais que estão em situação de rua são os Castramóveis.

Além disso, a castração de animais também ajudará a diminuir os assassinatos envolvendo os bichanos que estão em situação de rua. Recentemente, vários gatos e um morador de rua foram mortos na Avenida Engenheiro Roberto Freire, zona Sul de Natal, após terem consumido comida envenenada.

Eco Praça acontece nesta sexta (9) na Praça 7 de Setembro

Já falamos várias vezes do Eco Praça aqui em Natal. É um evento itinerante que acontece em várias praças públicas da cidade e sempre aos domingos. Mas, a edição do mês de dezembro será totalmente diferente, visto que acontecerá nesta sexta-feira (9), a partir das 14 horas, na Praça 7 de Setembro, que fica no bairro de Cidade Alta, entre os prédios da Pinacoteca, Assembleia Legislativa e Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte.

Eles já fizeram eventos na Praça do Eucaliptos, Alagamar, Parque de Capim Macio, Pinacoteca do Estado e dentre outros lugares públicos que precisam de reparos urgentes dos governantes.

Esta edição será um protesto contra a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 55, a antiga 241, que está perto de ser aprovada no senado. O que é isso? É uma medida que quer controlar os gastos da economia durante 20 anos, algo que já explicamos aqui no Brechando.

Não é a primeira vez que o Eco Praça luta por direitos políticos, uma vez que já fizeram edição especial ao Dia da Mulher e também contra a redução da maioridade de 18 para 16 anos.

“Só existe cidadania se houver a prática da reivindicação, da apropriação de espaços, da luta para fazer valer os direitos do cidadão. Neste sentido, a prática da cidadania pode ser a estratégia para a construção de uma sociedade melhor. Mas o primeiro pressuposto dessa prática é que esteja assegurado o direito de reivindicar os direitos, e que o conhecimento deste se estenda cada vez mais a toda a população. As pessoas tendem a pensar a cidadania apenas em termos dos direitos a receber, negligenciando o fato de que elas próprias podem ser o agente da existência desses direitos”, afirmou a organização.

Além do protesto, a organização convoca os artistas para fazer livremente uma intervenção artística ou expor os seus produtos, igual aos outros eventos do Eco Praça.

Até o momento foram confirmadas mil pessoas e clique aqui para saber mais dos detalhes.