Casa de Câmara Cascudo dará um upgrade nos graffitis em seu muro

Pouca gente sabe o que é o Instituto Ludovicus, este é um grupo que tem a função de manter o legado que o folclorista Luís da Câmara Cascudo deixou. A administração fica na residência onde Câmara Cascudo residiu por muitos anos na Ribeira, próximo do colégio Salesiano São José, onde hoje fica na avenida que recebe o seu nome.

O local, nos últimos anos, teve o seu muro decorado por graffitis. Mas, agora ele está branco, por quê? A partir desta terça-feira (6), o muro terá uma nova pintura, feita por Sérgio Azol. A atividade é uma forma de relembrar os 30 anos que Cascudo deixou a vida terrena.

Azol foi convidado por Daliana Cascudo, presidente do Ludovicus e neta do folclorista, para realizar um painel de 52 metros no muro externo da instituição, tradicional local de arte urbana em Natal, palco de duas edições (2012 e 2014) do projeto “Graffiti para Cascudo”.

Abordando o seu “tema obsessão”, a Estética do Cangaço, Azol executará o mural entre os dias 06 e 10 de dezembro. Além disso, as pessoas podem apreciar a elaboração do painel no período da manhã (6h às 12h).

Confere a arte a seguir:

15304280_967037873400201_1107380845879402033_o

Câmara Cascudo foi um historiador, antropólogo, advogado e jornalista brasileiro. Câmara Cascudo passou toda a sua vida em Natal e dedicou-se ao estudo da cultura brasileira. Foi professor da Faculdade de Direito de Natal, hoje Curso de Direito da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), cujo Instituto de Antropologia leva seu nome.

Pesquisador das manifestações culturais brasileiras, deixou uma extensa obra, inclusive o Dicionário do Folclore Brasileiro (1952). Entre seus muitos títulos destacam-se: Alma patrícia (1921), obra de estreia, e Contos tradicionais do Brasil (1946). Estudioso do período das invasões holandesas, publicou Geografia do Brasil holandês (1956).

Registrando Natal com a fotografia analógica

Amo praticar a lomografia, algo que aprendi durante a faculdade,que é o hábito de mexer câmera analógicas, sem se importar com as regras da fotografia. Para saber mais, veja esta postagem.

Inicialmente, eu não comprei uma câmera vendida pela Lomography, porém adotei uma das máquinas analógicas que minha mãe guarda em casa. Meu gosto por fotografia veio dela, que desde pequena me ensinou a bater fotos, apesar de sempre acabando de queimar os filmes por conta que não tinha paciência para rebobinar.

Depois, eu aderi a Fisheye, Diana F+ e outras câmeras vendidas pela Lomography.  Esta é a minha coleção de máquinas fotográficas:

img_6929

Nesta postagem, vou mostrar alguns lugares de Natal e região Metropolitana que registrei com estas máquinas. Coloquei os dados de cada modelo, filme que utilizei e os pontos turísticos. Confira:

Prefeitura faz festa de 15 anos para alunas do Municipal

Fotos: Prefeitura do Natal

O baile de debutantes aconteceu na quarta-feira, 30 de novembro, no Olimpo. Mas não vi alguma repercussão na imprensa sobre a Prefeitura do Natal realizar uma festa de 15 anos para um grupo de alunas das escolas geridas pelo Município.  O único lugar que foi publicado o assunto foi no próprio site do Chefe do Executivo.

A Secretaria Municipal de Educação (SME) fechou uma parceria com a Olimpo e resolveu presentear 15 alunas do nono ano de 15 escolas do Município que tiveram as melhores notas do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB) para ter uma festa de aniversário bem parecida com daquelas meninas vindas de classe média alta.

Foram selecionadas apenas as meninas que completariam 15 anos e muitas não tinham condições de bancar a festa, que foram: Franklysia Lucas da Silva (Escola Municipal Professora Terezinha Paulino), Maria Beatriz Silva de Lima (E. M. Veríssimo de Melo), Amanda Beatriz Guilherme de Mendonça (E. M. Professor Zuza), Marinna Luiza Pereira de Souza (E. M. Monsenhor José Alves Landim), Aline Lásaro Ferreira (E. M. Professora Maria Madalena X. de Andrade), Melissa Pereira Aguiar dos Santos (E. M. Santos Reis), Beatriz da Silva Cosmo (E. M. Professora Adelina Fernandes), Ana Lívia Macedo de Oliveira (E. M. Professor Antônio Severiano), Maria Alice Lima de Oliveira (E. M. Professor Luiz Maranhão), Bruna Pereira de Lima (E. M. Professora Iapissara Aguiar), Camila de Lima Pinheiro Dantas (E. M. Professora Francisca de Oliveira), Pâmella Sthefhany Nepomuceno Silva (E. M. Vereador José Sotero), Thalita de Souza Alves (E. M. 4º Centenário), Débora Rayara de Oliveira Faustino (E. M. João XXIII) e Bárbara Alvez Dias (E. M. José do Patrocínio Pereira Pinto).

Essas escolas ficam em Mãe Luíza, Potengi, Neópolis, Dix-Sept Rosado, Igapó, Parque dos Coqueiros, Panatins, Rocas, Cidade Nova e Petrópolis.  Ou seja, eles estão localizados tanto em bairros periféricos quanto em lugares mais centrais.

As meninas tiveram tudo que apresenta em um baile tradicional: valsa, príncipe, fotos, decoração bonita e comida boa.

A intenção da festa era mostrar que com o estudo, as jovens poderiam conquistar o que quisessem.  Além disso, elas fizeram fotos e dançaram com um ator global chamado Gil Coelho. Pesquisando na internet, eu descobri que ele tava na novela das 8.

9093
Dançando com o ator

Elas fizerem poses para as fotos:

9091

E também tiveram um dia de embelezamento para o baile:

9088

A ideia de fazer uma festa veio do próprio empresário do Olimpo, Luciano Amaral:

“Conversamos com a professora Justina Iva (secretária de Educação) que comprou nossa proposta, e dos parceiros que se empenharam em tudo. Criamos uma energia muito positiva em torno delas, de ser o melhor aluno, de se esforçar”.

Este é o último ano das garotas numa escola municipal, visto que o Ensino Médio é bancado pelas escolas estaduais. Outro local que tem o Ensino Médio gratuito é o Instituto Federal do Rio Grande do Norte.

A secretária de Educação, que está na foto acima do título acompanhado das debutantes, comentou que isto estimularia outras meninas a estudar para conseguir uma festa como essa:

“É um evento ímpar e que jamais vai ser apagado da memória de cada um. Estas 15 meninas foram escolhidas pelo desempenho na escola, pela faixa etária e passaram pelo mesmo processo de seleção. O mérito pessoal que se deu pelo desempenho escolar. É um estímulo enorme”.

Além de celebrar o aniversário das garotas, a festa também foi utilizada pela homenagear os diretores das escolas que tiveram o melhor IDEB.

E depois da festa? O que vai ser? Algumas escolas ainda continuam em condições precárias e os professores ainda continuam desestimulados a dar aula. Poderiam estimular as jovens com outros métodos que seriam bem mais efetivos do que uma festa de 15 anos, como conseguir uma bolsa de estudo. Com isso poderia englobar os meninos que também tiveram a melhor nota.

Meio contraditório fazer uma grande festa de 15 anos enquanto um grupo de servidores estão protestando em relação ao atraso de salários desde o mês de outubro.

Recentemente, o Município fez uma nota sobre o atraso e culpou a crise econômica:

A Prefeitura do Natal informa que até a presente data pagou os salários referentes ao mês de outubro a 98% do funcionalismo público. Faltam receber seus vencimentos 534 pessoas que recebem mais de R$ 7 mil líquidos, dos mais de 22.300 funcionários entre ativos, aposentados e pensionistas. Esses servidores terão seus salários depositados até a próxima sexta-feira.

A Prefeitura também confirma o pagamento de 80% do décimo terceiro salário para todos os servidores no dia 20 de dezembro, lembrando que os outros 20% foram pagos como antecipação no mês de junho.

Os salários de novembro foram pagos aos profissionais do magistério com a utilização de recursos do Fundeb, que são reservados unicamente com essa finalidade. Até o dia 12 será divulgado como será feito o pagamento dos salários referentes ao mês de novembro aos demais servidores.

Infelizmente, o Brasil vive uma profunda recessão econômica com recordes seguidos de desemprego na iniciativa privada e que tem afetado as finanças públicas através de quedas reais de receitas. Em Natal, a Prefeitura tem adotado medidas de redução de despesas, sem corte de pessoal, e buscado recuperar receitas sem aumento de impostos, para não penalizar ainda mais a geração de empregos na iniciativa privada.

A administração tem feito o possível para manter a normalidade administrativa e financeira, mas a realidade econômica atinge a todas as esferas de governo. Por tudo isso, reiteramos o apelo aos servidores para que entendam o momento e ajudem a buscar saídas para a crise através do diálogo e do trabalho conjunto.