Café Nice

Café Nice, espaço do chorinho do Alecrim

Cidades
Compartilhe:

No Alecrim existiu bares importantes, falamos da Quintandinha e hoje é a vez de comentar sobre o Café Nice. Antes de existir o Buraco da Catita, este era o espaço para ouvir MPB e Chorinho.

Além disso, todo mundo conhecia o dono do bar, o seu Zeca, onde todos conheciam e trocavam uma prosa.

O nome teve como inspiração um bar que tinha no Rio de Janeiro. De acordo com João da Mata Costa, o seu apogeu nas décadas de 1970- 80. Além disso, foi o principal ponto de encontro de importantes músicos potiguares e nacionais.

Seu Zeca

De acordo com Costa, era “comum quando um músico vinha à Natal para o célebre Projeto Seis e Meia, passar depois no Café Nice e dá uma canja”.

Outras fontes, afirmam que os artistas do Projeto Pixinguinha, antecessor do Seis e Meia, também passaram por lá, como Nara Leão e Beth Carvalho.

Sem contar que era o local ideal pra revelar os artistas da cidade. O Café Nice fechou as portas nos anos 90 e seu espaço hoje é uma loja.


Isto foi o que restou do Café Nice (Foto: Pablo Raniere)

Mais artistas que passaram por lá

Inúmeros cantores deram uma passada no tradicional bar, como a rainha do chorinho e potiguar, Ademilde Fonseca. Além disso, veio o Sivuca, Joel Nascimento , Altamiro Carrilho e outros grandes músicos do Brasil

Confira mais fotos do estabelecimento a seguir.

Deixe uma resposta