balsa da redinha

Essa era a balsa para atravessar a Redinha antes da ponte

Cidades
Compartilhe:

Quem nasceu nos anos 2000 não sabe, mas era assim que poderia caminhar para praia da Redinha. Este transporte era para aqueles que não moravam na zona Norte e queriam ficar na Redinha. No entanto, eles não queriam curtir passar o trânsito da ponte de Igapó. Aproveitando o lindo sol e a bela vista de Natal, uma das opções era a balsa da Redinha. A foto acima é de Wagner Pereira no grupo Fatos e Fotos de Natal.

Como era atravessar na balsa

Para chegar à Praia da Redinha, antes tinha a balsa, caso quisesse fugir do caótico trânsito da Ponte de Igapó ou viajar de trem. Havia uma outra opção: a balsa, que era o caminho mais charmoso e bastante requisitado pelos turistas. Como fazia a travessia?

O primeiro passo para chegar na embarcação era chegar ao bairro de Santos Reis, em seguida pagava uma certa quantia (dependendo de que tipo de carro estava locomovendo) e finalmente entrava na balsa. Os pedestres, que utilizava a balsa como transporte, não pagava e muita gente que trabalhava ou estudava na Ribeira e Cidade Alta faziam bastante, uma vez que o trem poderia demorar.

Balsa, quando ainda existia
Balsa, quando ainda existia

As embarcações, construídas de forma rústica, atravessavam todo o rio Potengi. Lá, o usuário da balsa poderia ver as belas paisagens da capital potiguar, o manguezal e entre outras coisas. Era o principal forma de acesso dos bugres para as Dunas do Litoral Norte, principalmente a praia de Genipabu.

Não funcionava durante a noite, só quando tinha a presença do sol.

Por que ela está inativa?

Após o fim da travessia, o turista chegava na Praia da Redinha. O trajeto durava em torno de 20 minutos e evitava pegar o forte trânsito da ponte de Igapó, que é um problema até hoje na cidade.

Com a inauguração da Ponte Newton Navarro, a bolsa foi desativada em novembro de 2007.

A Ponte Newton Navarro liga os bairros da Zona Norte de Natal e os municípios do litoral norte do estado aos bairros da Zona Leste de Natal e do litoral sul, além de outras regiões da cidade passando pelo Rio Potengi. Devido a sua altura e imponência, logo virou atração turística.

A principal finalidade é a desobstrução do tráfego da Ponte de Igapó, melhorar o acesso ao Aeroporto Internacional de São Gonçalo do Amarante e a novos empreendimentos que vem se instalando na região norte, além de facilitar e aumentar o fluxo de turistas. Aqui tem uma imagem de como era a vista da Ribeira antes da ponte.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.