piseiro

Sexte com o piseiro de Luísa e os Alquimistas

A banda Luísa e os Alquimistas foi quem animou o meu carnaval e dos meus amigos em Pium. Tanto que temos um grupo de Whatsapp chamado “Jaguatiricas” em homenagem à Luísa Nascim. As Jaguatiricas vão ficar animadas ao saber que Luísa lançou a versão piseiro de “Caderninho”, juntamente com Potyguara Bardo, bastante escutada na nossa playlist.

Nesta semana, Potyguara e Luísa lançaram o videoclipe desta versão em ritmo que mais bombou nesta quarentena graças aos Barões da Pisadinha. Com linhas harmônicas de sanfona, novas camadas de voz, baixos e guitarras, a música deu uma renovada e pode entrar facilmente na playlist dos alternativos de Natal, que está abrindo o seu coração além do Rock and Roll.

Gravado em Parnamirim

Saindo um pouco do Beco da Lama aqui em Nova Amsterdã, Luísa e Potyguara resolveram dançar o piseiro na Copab em Parnamirim, na Grande Natal. A intenção era, portanto, trazer um clima interiorano, sertanejo, desértico e inóspito. Além disso, a locação remete às festas de forró que acontecem nas cidades do interior do Nordeste.

Ainda mais a inspiração vem dos vídeos caseiros do Fundo de Quintal OFC, a banda toca propositalmente com os instrumentos desplugados, batendo o pé no chão, pisando e levantando poeira. Tal estética somada aos looks futuristas criados por Isaac Luna, da Bicha Extra Terrestre, completam esse visual.

Capa do single de Luísa e Potyguara Bardo

Nova formação

A atual formação da banda une os músicos que acompanhavam a cantora em São Paulo e os que fundaram o projeto com ela em Natal. Vale lembrar que Luísa está em São Paulo desde 2015. Sem contar que a gravação aconteceu durante um período de imersão e encontro do grupo inteiro. A formação aconteceu, no entanto, devido à pandemia, no qual teve mudanças nas suas dinâmicas e residências. Atualmente a banda está com integrantes em Natal, João Pessoa e São Paulo.

Em 2019 Luísa e os Alquimistas lança seu terceiro disco, “Jaguatirica Print”, gravado nos estúdios da Red Bull (SP), ainda mais contou com o patrocínio do edital Natura Musical 2018 e em parceria com a distribuidora OneRPM.

Esse histórico se intercala com a ascensão de Potyguara Bardo no cenário nacional. Seu primeiro álbum, “Simulacre”, atesta sua versatilidade, uma vez que reúne influências de house music, reggae e lambada em uma roupagem pop.

Essas trajetórias confluem mais uma vez em “Cadernin (Piseiro)”, evidenciando as raízes dos artistas com um irresistível tempero pop. Como resultado, a faixa está disponível nas principais plataformas de streaming, e o clipe, no canal de YouTube de Luísa e os Alquimistas.

Mas, você pode dar o play, portanto, a seguir e sextar com a gente:

Ad Infinitum

Ad Infinitum: Assista a peça natalense gratuitamente nesta matéria

Enquanto os teatros ainda não abriram, uma sugestão é primeiramente assistir uma peça digital. Durante dezembro o espetáculo Ad Infinitum está em cartaz nas plataformas digitais, mais precisamente no You Tube. Assim, as pessoas vão matar saudades do teatro e ainda de graça. 

A realização da peça virtualmente somente veio através da Lei Aldir Blanc, pois tem o objetivo de ajudar os artistas durante a pandemia

A peça conta, portanto, com a direção de Mathieu Duvignaud e atuação de Ana Cláudia Viana e Irapuan Júnior. Além disso, o espetáculo Ad Infinitum é uma obra dançada, mas antes de tudo é uma ode à capacidade que o homem tem de ilustrar o que não dá para dizer.

Como resultado, o espetáculo pretende criar opções para a poesia e a imaginação se manifestar pelas expressões artísticas.

A obra, portanto, se divide em capítulos sobre vida, criação, tempo, outro, amor, sexo, violência, loucura e morte, uma vez que se dão a ver na expressividade dos corpos da dançarina e do maquinista, o deus ex machina, a partir das relações que tramam entre si e com os elementos cênicos. 

Quer assistir à peça gratuitamente? Dê o play, portanto, no vídeo a seguir. Um bom espetáculo.

Confira, portanto, a ficha técnica do espetáculo a seguir:

Direção: Mathieu Duvignaud
Coreografia: Ana Cláudia Viana
Elenco: Ana Cláudia Viana e Irapuan Júnior
Iluminação: Ronaldo Costa
Trilha Sonora Original: Marco Antonio Suarez Cifuentes
Cenografia e Figurino: Irapuan Júnior e Mathieu Duvignaud
Realização: Grupo Nammu e Ong. MicroMundo.
Produção: Moisés Ferreira

Dusouto

Dusouto mistura Beco da Lama com Colômbia

O Dusouto é uma banda conhecida pelo ritmo latino e numa brechada à Colômbia, eles fizeram o clipe. “Mexilena”, mistura ritmos latinos com as batidas que deixaram a banda famosa. O registro conta com participação do Mc Priguissa e da modelo Jaiara Fontes, sem contar que traz imagens da primeira passagem do DuSouto por Bogotá e filmagens realizadas no Beco da Lama, em sua cidade.

Presente no quinto álbum de estúdio de DuSouto, “Mexilena” ganha novas cores no clipe. Além disso, a narrativa da letra aposta em uma sinceridade escancarada para transformar a conquista em uma caça ao tesouro.

A filmagem na Colômbia só deu certo por conta da participação na feira de música Bogotá Music Market. Tudo isso surgiu a partir do convite da CDBABY Brasil e RedBull Colômbia. Lá se apresentaram e realizaram um workshop intitulado “Colômbia feat Brasil”, no qual levou os músicos pelas ruas do centro da cidade.

De volta a Natal, encontram o Mc Priguissa em busca, literalmente, de uma “mina de ouro”. Além disso, traz um bom humor para os amores e desamores modernos, o trio tem em “Mexilena” um dos destaques do seu mais recente disco e um ponto alto de seus shows. A pegada popular, urbana e de junção de ritmos latinos faz parte da sonoridade do DuSouto desde o início.

Quer balançar os esqueletos nesta quinta-feira? Dê o play, portanto, no vídeo a seguir:

Sobre a banda Dusouto

A banda se formou primeiramente em 2003 com uma proposta de mesclar a música eletrônica, jamaicana, brasileira e nordestina ao unir samba com drum’n’bass, reggae com repente, xote com ragga e forró com surfmusic.

Eles se utilizam de loops, guitarras, samples, groovebox, cavaquinho, sintetizadores, sanfona e letras que trazem o cotidiano de uma cidade praieira, além de elabora uma música solar, cheia de sotaque e com identidade genuinamente potiguar. O grupo conta, portanto, com Gabriel Souto (produtor musical e músico), Gustavo Lamartine e Paulo Souto (compositores e músicos).

Também são conhecidos pelo Arraía Outro Par, um dos tradicionais São João da cidade. Neste ano, no entanto, foi feito em formato de live.