Blow-Up

Um carro acabou a sessão de Blow-up em Natal

Curiosidades
Compartilhe:

O filme Blow-up é um filme cult italiano conhecido pela participação da modelo Veruschka e os críticos de cinema consideram a fotografia acima um momento marcante no cinema e na moda.

Em Natal, a obra chegou na cidade em setembro de 1968, dois anos do lançamento oficial. A exibição, todavia, aconteceu nas famosas sessões de Arte, do Cine Rio Grande. Um dia, a sessão de cinema teve que ser paralisada, uma vez que houve um acidente de carro.

Culminando, assim, numa queda de energia em toda Cidade Alta.

Tudo começou quando houve um acidente de carro às 5 horas da tarde. Um veículo Simca, modelo de carro bastante importante na época, colidiu em um poste no bairro de Cidade Alta, na rua Padre Pinto, próximo do cabaré de Maria Boa.

O poste pegou fogo, no qual populares conseguiram controlar o incêndio. Apesar do acidente, o rapaz, morador do bairro do Alecrim, estava apenas com ferimentos leves na face. O motivo do acidente foi dirigir em velocidade alta, perdendo, por conseguinte, o controle do volante.

Além disso, ele estava acompanhado de um garoto de 17 anos no banco de carona, que também apresentou sintomas leves. Ambos foram atendidos no Hospital das Clínicas, que futuramente seria chamado de Onofre Lopes.

A falta de luz durou cerca de 30 minutos, atrasando a sessão do filme e a programação das emissoras de rádios.

A história apareceu numa nota do Diário de Natal de 1968, como vocês podem ver a seguir:

Sobre o filme

A obra de Michelangelo Antonioni foi a primeira dele com roteiro escrito em inglês. Ela conta a história do envolvimento acidental de um fotógrafo com um crime de morte.  Baseado num pequeno conto de Julio Cortázar, de 1959.

A história narra a vida do fotógrafo Thomas, interpretado por David Hemmings, que após passar a noite fazendo fotografias, volta para o estúdio atrasado para uma sessão com a modelo Veruschka. No caminho para estúdio, no entanto, fotografa um casal, no qual a mulher se irrita e pede os negativos ao fotógrafo que, por sua vez, lhe entrega um filme virgem.

Ao fazer as ampliações (conhecidas como Blow-up, por isso o nome do filme) de suas fotos no local, apesar da grande granulação provocada nas imagens em preto e branco, descobre o que acredita ser um corpo e uma mão apontando uma arma entre os arbustos do parque. E começa o mistério do filme.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.