potiguar canibais de Garanhuns

Potiguar é uma das canibais de Garanhuns

A prisão aconteceu em abril de 2012. Ou seja, o caso completa 10 anos em 2022 e até hoje é tema de histórias de true crime e assombradas em sites, vídeos e jornais.

De acordo com os autos do processo, Jorge Beltrão Negromonte da Silveira, Isabel Cristina Pires da Silveira e Bruna Cristina Oliveira da Silva (foto acima) eram um trisal que cometia crimes e depois consumiam a carne de suas vítimas. Na imprensa, eles ficaram conhecidos como ‘Canibais de Garanhuns’ e uma das mulheres é potiguar.

Como a potiguar conheceu os outros canibais de Garanhuns

O personagem principal foi Jorge Beltrão Negromonte da Silveira. Depois de morar alguns anos em Portugal, terra dos pais, voltou a Pernambuco. Em Olinda, Jorge matou Luciano Severino da Silva, de 17 anos, pelas costas. Por falta de provas, foi absolvido. Depois, deu um golpe na mãe, a aposentada Zélia Beltrão Negromonte da Silveira, tirando R$ 80 mil da sua conta, com o qual comprou uma casa. Seu irmão o acusou de tentar matar a mãe e enterrar o corpo para ficar recebendo sua pensão de R$ 6 mil.

Em 2009, Jorge escreveu a sua biografia para falar sobre esquizofrenia. Era filho caçula de pais portugueses e estudou em Portugal.

O segundo personagem é Isabel Cristina da Silveira, conhecida como Bel. Numa Igreja dos Mórmons, conheceu Jorge. Foi o primeiro namoro dos dois. Em 1984 decidiram se casar. Na festa do casamento, ele teve um surto e, com uma faca na mão, anunciou matar todos os convidados.  Para ajudar em casa, fazia empadas e coxinhas, que futuramente viria ser a principal característica do crime.

O terceiro personagem é Bruna Cristina Oliveira da Silva, natural de Natal. Ao praticar artes marciais, se apaixonou por Jorge e fugiram para Pernambuco. Para não perder o marido, Bel aceitou a formação de um trio, ela, Jorge e Bruna. Decidiram criar uma seita que chamaram de Cartel.

O Crime

O Ministério Público apontou que eles mataram duas mulheres em Garanhuns, Gisele Heleno da Silva e Alexandra com atos que envolviam canibalismo e rituais macabros. Os acusados faziam do ritual de sacrifícios de mulheres em Garanhuns.

O caso aconteceu quando Isabel chamou Gisele à sua casa para falar sobre a Bíblia. Topou e se dirigiu a residência no bairro Jardim Petrópolis.

Após alguns instantes, Isabel deixou o local e se dirigiu até a casa de sua irmã, ficando no interior da residência, Bruna,  Gisele, uma criança e Jorge, que se encontrava escondido no quintal da casa.

A vítima conversava com Bruna e passados alguns instantes, Jorge se dirigiu para o interior da casa e lá, aproveitando-se que a vítima estava de costas, desferiu um violento golpe de faca-peixeira em sua garganta, esgorjando-a.  O corpo de Gisele foi conduzido até o banheiro onde foi esquartejada por Jorge e Bruna, onde o trisal mais a criança ingeriu por três dias carne humana.

Essa criança era a filha de criação do trio, que explicaremos mais detalhes a seguir.

O trisal ocultou os demais restos mortais no quintal da residência, além de roubarem uma câmera fotográfica, documentos e celulares. Depois, Bruna e Jorge começaram a comprar coisas com o cartão de Gisele e apresentavam a menina como sua filha, alternando os diversos nomes.

Depois, eles atraíram outra vítima, a Alexandra da Silva Falcão, mediante emprego de arma branca e mediante recurso que dificultou a defesa da vítima, ocultando, em seguida, seu cadáver. Inicialmente, Alexandra foi a casa sob a promessa de ter um emprego como babá.

Após retalharem os corpos das vítimas, os acusados comiam a carne humana e ainda a colocavam em empadas e salgadinhos à venda aos populares de Garanhuns e até Caruaru.

Mais crimes

Os denunciados confessaram que praticaram mais outras seis mortes em Pernambuco, com o mesmo modo de agir. Também constam dos autos que no dia 11 de abril, que Bruna, a potiguar que é uma das canibais de Garanhuns, apresentou com uma falsa identidade sob o nome de Jéssica Camila da Silva Pereira para não dizer que era desaparecida no Rio Grande do Norte.

Acredita-se que Jéssica Camila foi a vítima e mãe da garota, que Bruna apossou dos seus documentos. A Jéssica era de Olinda e estava desaparecida desde 2008.

Em relação aos crimes cometidos contra Jéssica Camila da Silva Pereira, os acusados foram condenados por homicídio quadruplamente qualificado, vilipêndio e ocultação de cadáver. Beltrão foi condenado a pena de 21 anos e 6 meses de reclusão, mais 1 ano e 6 meses de detenção. Isabel Cristina foi condenada a 19 anos de reclusão e 1 ano de detenção. A ré Bruna Cristina, a 19 anos de reclusão e 1 ano de detenção.

O julgamento

Em 2015, o caso foi levado à júri popular e o trio foi julgado na cidade do Recife, acompanhados o tempo todo pela mídia local. As pessoas queriam saber o quanto mais eles pagariam pelas mortes de Gisele e Alexandra.

Pelas outras duas mortes, o júri popular determinou no dia 15 de dezembro de 2018 a reclusão de Jorge Beltrão, por 71 anos; Isabel da Silveira, por 68 anos; e Bruna da Silva, por 71 anos e 10 meses.

Em 2019, a Justiça determinou o aumento das penas do trio quanto ao assassinato cometido em 2008. Jorge passou a cumprir 27 anos de cadeia, bem como um ano e meio de detenção, e Isabel Cristina Pires e Bruna Oliveira receberam a pena de 24 anos na prisão, além de ter que cumprir um ano de detenção.

Canguaretama e Pedro Velho

Eleições Suplementares em Natal acontecerão em Novembro

Nas eleições 2022, o RN terá eleições fora de época

As eleições gerais de 2022 finalmente vão terminar no próximo domingo (30), onde vamos decidir finalmente quem será o próximo Presidente da República. Mas, no Rio Grande do Norte tem cidades que vão eleger os seus novos prefeitos, uma vez que o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) suspendeu a chapa dos prefeitos vencedores. As cidades que terão o pleito são Canguaretama e Pedro Velho, que ficam na região Agreste do Estado e são cidades vizinhas. Mas, o porquê chegou a este ponto? 

Canguaretama e Pedro Velho

Canguaretama

O prefeito Wellinson Ribeiro e sua vice, Maria de Fátima Moreira, em setembro deste ano, foi considerado inelegível após condenado criminalmente na Justiça Federal contra a fé pública. Logo, ele se encaixa na conhecida Lei da Ficha Limpa. O pedido veio pelo diretório municipal do PDT,  oposição do ex-prefeito. 

Em 2021, o prefeito foi preso pela Polícia Federal. Na época ele foi condenado na Justiça Federal por desviar recursos federais e ocultar documentos de programas de educação, dando um prejuízo de mais de 1 milhão de reais. 

Nas eleições de 2020, Wellinson ganhou com 48,82% dos votos. Ao todo, foram 9.046 votos recebidos.

Pedro Velho

O Tribunal Regional Eleitoral (TRE) fixou em agosto deste ano novas eleições para Pedro Velho, cidade vizinha à Canguaretama. O motivo seria a cassação do mandato da prefeita Dejerlane Macedo e Inácio Rafael da Costa, acusados por abuso de poder político. A denúncia apontou que o município realizou contratações irregulares. 

O processo da cassação de Djerlane aconterce desde 2021 e atualmente a cidade está sendo governada por um prefeito interino.  As eleições estão previstas para acontecer neste domingo (30). 

Foi relatado que em 2020, ano eleitoral em que concorriam para reeleição, os gestores realizaram contratações temporárias para a esfera municipal com fins eleitorais.

Tanto em Canguaretama quanto em Pedro Velho, as eleições vão acontecer no dia 27 de novembro. Neste mês foram decididos quais seriam os candidatos que concorreriam o pleito, com direito a convenção dos partidos.

Eleições 2022

Últimos posts

Cashback natalense

Cashback: consumidor natalense cada vez mais inserido no cashback

Cada vez mais o cashback está na vida do natalense e dos brasileiros. Quem já adquiriu? A cada vez mais as pessoas estão aderindo ao sistema em que você recebe um retorno mínimo do que você foi pago. Depois, você pode acumular créditos para as próximas compras.  De acordo com o levantamento inédito da fintech Beblue, especializada em cashback, os brasileiros economizaram R$ 2 milhões em compras com o uso de cashback – dinheiro de volta – entre janeiro e junho deste ano.

Segundo Sandra Campos, CEO do Beblue, os consumidores estão entendendo mais a importância do benefício no dia a dia. “As pessoas estão preferindo realizar compras ou pagar suas contas em aplicativos, ou locais que entreguem mais vantagens, e receber dinheiro de volta após essas transações faz a diferença na hora de fechar o orçamento no fim do mês”, conta.

O Cashback na vida do natalense

Em Natal, cada vez mais está inserido ao sistema de cashback por meio de alguns aplicativos. como a Ame, Koinz e carteiras virtuais como o Picpay. Nos últimos meses, segundo o Google Trends, houve um aumento de 63% nas pesquisas do site buscador de pesquisa com interesse em saber mais sobre o termo.

O interesse é em setores de varejo e supermercados para as compras. “Não vejo motivos de não usar, sabe. Desde que vc pesquise bem o produto antes p/ ver se está valendo a pena o valor, pois como falei, nem sempre o cashback compensa o preço do produto “mais caro”, disse o designer Everson Dantas.

Além disso, ele utiliza para receber um desconto de outro produto na próxima compra. “Vi vantagem sim e vejo até hoje, na verdade. Mas só costumo comprar quando vejo que algo está com o preço ótimo e o cashback compensa. Muitas vezes o cashback não é lá grandes coisas, mas já ajuda também”, garantiu Dantas.

A publicitária Maria Luíza Maia disse que descobriu o cashback após conhecer sobre o consumo consciente. “O cashback surgiu na minha vida para somar a uma boa promoção. Por isso, toda vez antes de realizar um produto eu procuro loja de seguranças que aceitem pagamento ame cashback e fico feliz aproveitando meus 10%”, contou.

Mais vantagens ao usar o Cashback

Além de economizar dinheiro, o consumidor também acumulou R$ 2,4 milhões em recompensas na carteira digital nestes últimos meses. “Desde o ano passado, notamos as pessoas procurando mais por cashback. Tanto pelo aumento do conhecimento sobre o benefício quanto para economizar, então a alta utilização já era esperada para este período”, afirma Sandra.

Ainda segundo o levantamento, é possível identificar em quais setores os brasileiros mais gastaram, traçando um padrão de consumo dos usuários. Em primeiro lugar estão os gastos com mercearias e supermercados, seguido de lojas e mercadorias gerais e, em terceiro, as vendas em geral, como de campanhas e promoções.

Para Sandra, isso é reflexo do aumento da confiança do consumidor no sistema de recompensas, principalmente depois que o passaram a enxergar como uma vantagem. “Com a alta da inflação, qualquer ‘economia’ feita é bem-vinda para o consumidor, ainda mais nos gastos básicos, como compras no supermercado”, avalia.

Patrick Orquestra

Patrick trabalha numa Orquestra em Natal 

Muitos que desejam trabalhar com música já ouviram dos pais que isso não dá fruto. Além disso, sugeriam que os filhos fizessem os cursos mais tradicionais, como medicina e direito. Mas, o cearense Patrick Sena saiu dessa zona de conforto. Hoje, ele é membro da Orquestra Sinfônica do Rio Grande do Norte (OSRN) tocando contrabaixo.

De acordo com o músico, que também toca numa banda de rock, a música erudita veio primeiro na sua vida, visto que escutou sempre  música clássica e posteriormente veio outros estilos.

Patrick Orquestra

“Através da música clássica o Rock recebeu influências, por se tratar de um estilo musical influenciado por Blues, Country e R and B, meio que absorveu muita coisa desde sua criação até hoje e ainda vai se fundindo com vários estilos”, disse.

Patrick Sena

Patrick estuda contrabaixo desde 200C, quando ainda morava em Fortaleza. Mas, ele já tinha conhecimento do instrumento anteriormente por tocar nas bandas de punk e hardcore da cidade.

“Como era autodidata no baixo elétrico, a galera sempre me falava: ‘Man, vai estudar música, você te potencial para coisa!’. Um me levou para assistir uma palestra sobre os cursos de instrumentos de orquestra, acabei ficando em dúvida entre tocar viola ou contrabaixo acústico. Bom, fiquei com o grandalhão do baixo acústico até hoje (risos)”, contou Patrick. Ainda mais alegou que fazer faculdade de música e trabalhar na área sempre foi a sua primeira opção.

Mas, como é o preparo de Patrick para trabalhar na Orquestra

O Patrick listou para o Brechando o que fazer até chegar no objetivo de ser um músico da Orquestra Sinfônica.

1. Amar tocar um instrumento. 2. Gostar de trabalho em conjunto 3. Ter um bom instrumento 4. Tempo para estudo individual 5. Tempo para escuta de repertório.

“Na Orquestra tem os naipes das Cordas, (violino viola violoncelo e contrabaixo), Madeiras, (flauta, oboé, fagote, clarinete e etc.), Metais (trombone, trompa, tuba, trompete etc.) e Percussões (bateria, teclas, tímpano etc.)”. E complementou sobre o estudo de repertório:  “Vai ser de grande utilidade no processo de concursos de admissão em orquestras aqui no Brasil ou dependendo do nível do aluno fora do País”, disse.

Patrick também recomenda fazer um curso superior em instrumento em um conservatório ou universidade que disponha do serviço, durante o curso ter um foco em repertório orquestral. Sem contar que ele contou um pouco de como funciona a rotina de trabalhar na orquestra.

Patrick Orquestra
Patrick em um de seus trabalhos (Todas as fotos pegamos no Instagram)

“Na orquestra em que trabalho, o clima é super agradável, e melhor ainda dentro do naipe de contrabaixos o qual já faço parte desde 2017, ainda não sou membro efetivo da orquestra, pois para ocupar a vaga definitivamente tem que ser feito um concurso público. Tenho foco em continuar trabalhando com a OSRN por se tratar de uma orquestra com um ambiente muito agradável para o fazer musical”, comentou.

E não é só ensaiar e tocar no dia do concerto, existe toda uma preparação. De manhã, o Patrick escuta álbuns e podcasts favoritos em uma plataforma de streamings. Os ensaios geralmente acontecem no período da tarde e a noite é o momento ideal para fazer os seus estudos. “Estudar técnica do instrumento é muito necessário para manter a qualidade musical.”, explicou.