Sofia Gosson

Luta da poeta Sofia Gosson contra câncer

Na década de 80, uma das mulheres que se destacou na cena alternativa de Natal foi a poeta Sofia Gosson. Ela tem vários adjetivos, visto que é poeta, compositora, formada em Ciências Sociais, publicou os livros “Conserto em Geral”; “Umas e Outras” e “Pronto Pra Outra”.

De acordo com Artemilson Lima:

“Sofia Gosson, em particular, empunhava a bandeira com mais vigor e esteve sempre nos principais eventos e publicações poéticas coletivas, com suas armas poéticas sempre lustradas e pronta para, ao lado dos guerreiros da poesia alternativa, desafiar o estabilishment, sem vacilo.  Ela estava sempre apontando sua adaga poética ao lado do exército de dissidentes que faziam do mimeógrafo seus cavalos de batalha. Sofia, no mundo masculinizado da contracultura natalense, era a voz empoderada feminina que se fazia ouvir.”

No entanto, ela está passando por um momento bem punk, chamado câncer avançado.

A difícil luta contra o câncer

Gosson está com um câncer de mama com metástase no tórax em meio a pandemia. Além disso, ela é mãe de duas pessoas que também necessitam de cuidados. A Júlia, autista com grau severo. O Rafael, por sua vez, tem esquizofrenia. Além disso, ela sofre por problemas financeiros que não permitem que ela tenha qualidade de vida que poderia favorecer muito o seu estado geral.

Agora, a única pessoa em condições de cuidar dela é sua filha Paula, uma vez que deixou seus filhos pequenos em Vitória (ES) para que pudesse socorrer a mãe numa emergência. Sem contar que Sofia ficou internada devido à piora do seu estado de Saúde.

As dificuldades que enfrentam diariamente

Além das questões financeiras citadas, Paula está com problemas de dar boas condições as três pessoas da família de forma eficaz. Além de tudo isso, devido a sua saúde, Sofia parou de andar e assim precisa urgentemente de fisioterapia e cuidadores.

Uma campanha para ajudar Sofia

Por isso, uma campanha para conseguir dinheiro para ajudar financeiramente a família surgiu por iniciativa dos amigos da família.

“Decidimos fazer uma campanha para arrecadar um valor que cubra as suas despesas e da sua família, por pelo menos dois meses, em meio a este quadro tão penoso”, comentou a página da campanha.

Ela precisa, de forma urgente, arrecadar o valor de 16.000 reais, uma vez o câncer está em estágio avançado, porém, devido às condições gerais pode se agravar em pouco tempo.

O que Sofia precisa?

A lista de cuidados são imensas, mas são de extremamente necessárias. Confira, portanto, a lista do que precisa a seguir:

  • Fraldas e artigos de farmácia
  • Fisioterapia
  • Psicólogo
  • Cuidadores para Sofia e Júlia
  • Uber
  • Terapias complementares
  • Conserto da casa (eletricidade, encanamento, paredes)
  • Passagens para Vitória quando a situação de saúde estiver mais estável.

Mas, como ajudar a Sofia? Um site de financiamento coletivo foi criado e você pode clicar por aqui.

potiguares

Um remédio contra obesidade feita por potiguares com amazonenses

Um remédio produzido no Rio Grande do Norte combate à obesidade. De acordo com os  potiguares o remédio é anti-inflamatório, acaba com os micróbios, são antioxidantes e, por fim, antiaterosclerótica, que evita a esclerose. O composto desenvolvido é um complemento natural obtida a partir do Breu branco, planta da região Amazônica.

Para quem não sabe, esta planta é natural do Pará e Amazonas. Tem 10 a 20 metros e tronco de 40 a 60 cm.  Além disso, a árvore apresenta um líquido viscoso. É uma resina que protege dos fungos e bactérias junto ao seu tronco e casca. Além disso, tem uma fruta oval, uma casca fina, polpa branca e adocicada e vermelho quando maduro.  Além da medicina, Breu Branco é matéria-prima para  o verniz.

É muito utilizado como um esfoliantes. Sem contar que é anti-séptico para peles, mostrando assim como a planta tem muitas vantagens.

Como foi a elaboração do produto dos potiguares?

A resina virou em pó com o objetivo para testes na pesquisa. Concluindo, o produto garante a inibição da lipase em torno de 90%, responsável pelos lípidios. Este é um dos componentes para formar gordura. O remédio é uma pesquisa da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), mais precisamente no Departamento de Farmácia. Além disso, a patente do medicamento já está em processo de patente.

O motivo de ser em pó, ele é ideal para usar em vários produtos no futuro.

O projeto da UFRN conta com Luana Carvalho de Oliveira, assim como Valdir Florêncio da Veiga Junior e Emerson Silva Lima.  O trabalho dos potiguares em questão é uma parceria da UFRN e a Federal do Amazonas (UFAM). Os potiguares ainda indicam a utilização para terapia, cosméticos e suplementos alimentares.

Agora o próximo passo é testar o produto em pessoas. O objetivo é aumentar a ação antiobesidade.

A intenção dos pesquisadores potiguares é colocar no mercado, portanto, um novo medicamento que melhore aqueles que têm sobrepeso e comorbidades associadas.  Essas comorbidades, no entanto, são aqueles que são cardíacos e hipertensos.