15 15America/Bahia setembro 15America/Bahia 2020 – Brechando

Esses idosos frequentavam o Café São Luiz

Café São Luiz

Achei este registro fotográfico no grupo Fatos e Fotos de Natal Antiga, um grande do parceiro do Brechando. Além disso, me ajuda bastante na apuração de matérias. Essa foto em questão mostrou um encontro de aposentados no Café São Luiz, uma vez que era a tradicional cafeteria da rua Princesa Isabel. Entretanto, fechou as portas em 2017.

O local ficava próximo ao Grande Ponto e era um ponto de encontro de poetas, escritores, jornalistas, advogados e toda a elite intelectual da cidade. Lá, eles falavam dos mais assuntos, quase um debate a céu aberto.

O registro mostra o encontro de figurinhas carimbadas do Centro de Natal, pois um dos hábitos mais comuns na região é a presença de idosos. Muitos eram aposentados e outros tinham lojas nas redondezas do bairro de Cidade Alta. Os encontros eram repletos de alegria e, claro, de registros. Veja a imagem a seguir:

Sobre o Café São Luiz

O Café São Luiz existia na cidade desde 1953. Uma das coisas mais interessantes do café é o público fiel, que além de degustar os quitutes e o delicioso café, é um ponto de encontro de velhos e grandes amigos. O lugar também se firmou no tempo como ponto de encontro para intelectuais, artistas, políticos e jornalistas.

Foi fundado para servir de ponto de degustação ao café da marca São Luiz, que não existe mais. Inicialmente ficava na esquina entre a Rua João Pessoa com a Princesa Isabel, porém fincou na Princesa Isabel desde o fim da década de 1960.

Após passar por diversas mudanças, a última administração do Café foi 2014, sob a nova administração dos sócios e cunhados Paulo Roberto de França e João Antônio da Cruz Neto. Paulo Roberto faz questão de atender todos os clientes da cidade e começa a bater um papo sobre os mais diversos assuntos.

Brechando conseguiu visitar o Café São Luiz, que pode ser lida aqui.

E a arborização de Natal? Como está?

arborização de Natal

A questão da arborização de Natal é um assunto bastante discutido entre os ambientalistas. Eventualmente são poucas ruas da capital do Rio Grande do Norte com árvores. Mas, o que aconteceu com a vegetação da cidade?  Achamos uma dissertação de mestrado da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) que conta mais sobre um assunto.

No ano de 2003, um levantamento no bairro de Petrópolis, bairro nobre da cidade, encontraram 769 árvores, de 45 espécies diferentes. As espécies de árvores naturais do RN eram, no entanto, apenas três. Oito anos depois, em 2012, na mesma região, identificaram 206 árvores, sendo que 79,1% foram de espécies exóticas e o restante era de árvores nativas.

Entre os anos de 1991 a 2011, um estudo utilizou imagens de satélite Landstat 5. Observaram portanto que em 1991 a arborização na região central da cidade (os bairros de Alecrim + Cidade Alta) era bastante abundante. Mas, 20 anos depois reduziu quase totalmente devido ao crescimento de prédios nos dois bairros.

Em 2013, os pesquisadores analisaram a vegetação em um outro satélite, WorldView-2.  O objetivo era portanto calcular a taxa de vegetação dos 36 bairros existentes, mais o Parque das Dunas. As imagens mostraram surpreendentemente que as maiores taxas de cobertura vegetal estavam no Parque das Dunas, Ponta Negra, Guarapes e Redinha. Em compensação, todavia, os lugares menos arborizados estavam Ribeira, Lagoa Seca e Cidade Alta.

Em 2017, a geógrafa Jocilene Dantas Barros avaliou que Natal possui 4626 hectares de cobertura vegetal, cujo seu índice é de 27,5%. Ao se calcular o índice para os 36 bairros da cidade, descobriram que Natal tem 45,5 metros quadrados de vegetação pro habitante. Além disso, somente o Parque das Dunas corresponde a 4,4% da cobertura vegetal da cidade.

Mapa da vegetação natural de Natal

A seguir tem um mapa que mostra como está a vegetação da cidade.

arborização de Natal

Para finalizar, portanto, confira a tabela com o índice de vegetação na cidade por área.