Filme produzido por Cacá Diegues, que retrata o LGBT na periferia, é exibido em Natal de graça

Sem categoria
Compartilhe:

No dia 21 de setembro, quinta-feira (21), o Laboratório de Comunicação da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (Labcom/UFRN) exibirá gratuitamente o filme “Favela Gay”, a partir das 18h30. A ação faz parte do Núcleo Interdisciplinar Tirésias de Estudos em Gênero, Diversidade Sexual e Direitos Humanos da UFRN realiza mais uma edição do “Cine Tirésias”.

Dirigido por Rodrigo Felha e produzido por Cacá Diegues e Renata Magalhães, o filme, lançado em 2014, aborda o preconceito, homofobia e aceitação familiar pela perspectiva de gays, lésbicas, transexuais e travestis das favela cariocas. O trabalho chegou a ser exibido no Festival de Cinema do Rio no mesmo ano de lançamento, quando o cineasta disse, em entrevista ao G1, que o filme foi feito com escassez de recursos porque investidores não tiveram coragem de injetar dinheiro em uma produção com este tema. Segundo Diegues, os temas favela e homossexualismo ainda são “discriminados”.

Na mesma entrevista, o cineasta definiu ainda “Favela Gay” como um filme de amor. Ele afirmou gostar de trabalhar com o diretor Rodrigo Felha e ficou contente com o convite para produzir o novo filme. Para quem não sabe, Cacá Diegues é natural de Maceió e um dos pioneiros do Cinema Novo, suas primeiras produções começaram na década de 60, com Cinco Vezes Favela, no qual apresenta cinco histórias separadas, cada uma delas com diferentes diretores. Diegues dirigiu a terceira história de um jovem sambista assume a direção da Escola de Samba poucos meses antes do Carnaval, enfrentando problemas de dívidas, rixa com uma escola rival e discussões com a esposa, a cobiçada mulata Dalva.

Em 1969, após a promulgação do AI-5, Diegues deixa o Brasil, vivendo primeiro na Itália e depois na França, com sua esposa, a cantora Nara Leão. De volta ao Brasil, Diegues realiza mais dois filmes – Quando o Carnaval Chegar (1972) e Joanna Francesa (1973). Em 1976, dirige Xica da Silva. No início da redemocratização do país e de renovação do cinema brasileiro, realiza Chuvas de Verão (1978) e Bye Bye Brasil (1979), dois de seus maiores sucessos.

Voltando ao Favela Gay narra a homossexualidade dentro das favelas cariocas. Temas como homofobia, preconceito, trabalho e aceitação da familia, a partir da perspectiva de gays e lésbicas, que contam seus cotidianos dentro da comunidade. Um retrato de como, apesar das adversidades, essas pessoas constroem suas próprias histórias através da educação, da arte e da política. O trailer pode ser conferido a seguir:

Após a exibição do filme, será feito um debate com a presença do professor Paulo Lopes (Tirésias/UFRN) e a ativista potiguar Rebecka de França (Atransparência/RN). As inscrições serão via Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas (Sigaa). Todos os presentes receberão certificados de participação.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.