2 02America/Bahia fevereiro 02America/Bahia 2016 – Brechando

Quem é o Cabrito? Cantor mais desbocado de Natal

Escute este clássico:

Como eu conheci o Cabrito? Graças ao meu amigo Daniel, que fez faculdade de jornalismo comigo. O jovem, que tem um gosto super eclético,  ficava falando no intervalo das aulas sobre o cantor e que iria para os cabarés da vida para assistir. Ele é conhecido pela polêmica música sobre carnaval, que por sinal está chegando, que pode ser conferida a seguir:

Afinal, quem é o Cabrito?

Como vocês perceberam, as músicas são diretas ao ponte. O Cabrito é um dos personagens criado pelo cantor Tertuliano Aires, que é compositor de longa data e já teve músicas interpretadas por diversos artistas, incluindo a famosa cantora do estado Khrystal.

O Cabrito é pornográfico e podemos, considerá-lo, sim, machista em algumas de suas músicas. O personagem se tornou sucesso na internet no início de 2010 e quando faz shows nos cabarés é prejuízo para as prostitutas, pois todo mundo quer ouvir o seu brega pornô.

O personagem surgiu no final dos anos 80, durante o veraneio em Pititinga, litoral Norte do estado. O Tertuliano ficava parodiando as músicas de famosos com letras escrachadas, debochadas e obscenas. Os amigos começaram a incentivar em gravar e foi assim que o personagem apareceu. Inicialmente, as primeiras composições foram feitas em 1997 e as gravações distribuídas em fitas cassetes.

Em 2012, ele lançou o DVD “Os Nominhos Que Ela Tem”, que é uma frase de uma de suas músicas que fala sobre a perseguida (sim, a vagina).

Apesar da fama de Cabrito, Tertuliano é mais antigo. Nasceu em Mossoró e veio para capital do Rio Grande do Norte aos 12 anos, em 1968, pois sua família estava procurando um emprego. Começou a sua carreira musical na década de 70, quando ingressou na banda Alcateia Maldita. Todos integrantes tocavam rock n’roll e faziam músicas próprias. Com o fim da banda, ele começou a escrever as suas canções.

Apesar de estarem no corpo de uma só pessoa, o Cabrito e Tertuliano têm características diferentes. Cabrito ou Tertuliano disse que queria fazer essas canções para obter um diferencial e que faltavam músicas que fossem direto ao ponto. Os ritmos das canções são do estilo brega. Apesar de estarem no corpo de uma só pessoa, o Cabrito e Tertuliano têm características diferentes, visto que a segunda pessoa citada possui um trabalho mais social.

O nome Cabrito surgiu visto que é um dos nomes do demônio que para ele é nada mais que o copo, as vontades e o prazer. Sobre a censura, ele afirma que já sofreu sim e que os movimentos sociais implicam muito com ele.

Há quatro anos fiz uma entrevista com ele para o Portal Nominuto, que pode ser conferida a seguir.

Natalenses comentam o aumento da passagem de ônibus

Segunda-feira houve um protesto contra o aumento da passagem (Fotos: Lara Paiva)
Segunda-feira houve um protesto contra o aumento da passagem (Fotos: Lara Paiva)

Fevereiro começou com a notícia de que a Prefeitura do Natal aumentou a passagem de ônibus de R$ 2,65 para R$ 2,90, após uma reunião com o Comitê de Mobilidade Urbana realizada na última quinta (28). Algumas pessoas, chateadas obviamente com a situação, se reuniram em um ato nesta segunda-feira (1) para impedir o aumento e mostrar que estão insatisfeitos com o sistema de transporte público oferecido para uma cidade com quase um milhão de habitantes.

Brechando acompanhou o protesto e entrevistou manifestantes e pessoas que estavam circulando nas redondezas. Nós realizamos a seguinte pergunta: O aumento da passagem é equivalente ao transporte público? Por quê?

Independente se você é contra ou a favor da manifestação, uma coisa é certa: as pessoas estão insatisfeitas com a relação inversamente proporcional de qualidade e preço oferecido pelas empresas.

O estudante de jornalismo, Abner Moabe, mora em Felipe Camarão e critica a falta de melhorias.  “O aumento já é injusto. Natal é uma cidade pequena, os ônibus não atendem à população. Toda vida que a gente sabe de um aumento, o pessoal sempre diz: ‘Vai ter melhorias no transporte’. Isto nunca aconteceu. Por que primeiro aumenta e não melhora? Deveria ser o contrário” .

Rudson Nascimento também é estudante e para angariar as suas contas trabalha em um supermercado em Neópolis. Todos os dias viaja da zona Norte para a zona Sul, pegando dois a três ônibus para ir e voltar. Ou seja, paga até seis vezes para andar pela cidade.  É um dos revoltados com a tarifa reajustada. “A gente depende do transporte público e o aumento é prejudicial. Eu gasto mais de 100 reais de ônibus por mês, pois moro na zona Norte e meu trabalho fica em Neópolis. Tenho que pegar dois a três ônibus por dia. O aumento da passagem vai pesar bastante no meu bolso”, lamentou.

Alguns chegam a pegar dois a três ônibus por dia. Agora a passagem custa quase três reais
Alguns chegam a pegar dois a três ônibus por dia. Agora a passagem custa quase três reais

Já Marcela Marques lembrou que o aumento não deveria acontecer, uma vez que não foi finalizado o projeto de licitação dos ônibus.  “Aumento da passagem não é legal devido ao projeto de licitação dos transportes públicos não ter sido efetivado. Nesta lei aponta que só haveria reajuste se este projeto fosse aprovado e implementado. Isto não ocorreu e muito menos houve melhoria no transporte público. As paradas e as frotas de ônibus são sucateadas e antigas, sem nenhum tipo de conforto para população, muito menos acessibilidade. Considerando o tamanho da cidade, não justifica o aumento da passagem para quase três reais.”,  argumento.

Sua amiga, a jovem Aretha Melo, complementou a fala e criticou a atitude dos empresários.  “Mesmo esse processo de licitação, as empresas estão ignorando o projeto e a passagem foi aumentada em menos de seis meses. A gente sabe que estes reajustes são arbitrários e é reflexo do sistema que está sucateado, com linhas reduzidas, falta de paradas, sem acessibilidade…Tem trabalhador que demora três horas para chegar em seu destino”, disse Aretha Melo.

Marquidones Silva é a favor da diminuição do preço da passagem
Marquidones Silva é a favor da diminuição do preço da passagem

O estudante Marquidones Silva, por sua vez, é a favor que a passagem tenha um custo menor ou seja de graça. “É um direito nosso de transitar dentro da cidade e deveria ser gratuito. Infelizmente o transporte público é mantido pelos empresários. A população paga por um transporte caro e que não condiz com as necessidades existentes de Natal. Muitos vão pagar 20% de seu salário apenas com ônibus”.

Durante o anúncio do aumento de passagem, a Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana (STTU) disse que as frotas deveriam ter algumas melhorias, como a instalação de rede wi-fi em 5% da frota, a restauração de 56 abrigos em bairros da Zona Leste da capital, a renovação de 70 ônibus, a criação de um aplicativo sobre o transporte público (atualmente, a consulta dos ônibus pode ser feita pelo Google Maps) e a mudança de itinerário de algumas linhas de ônibus da cidade.

“Se for trazer melhoria para o ônibus, beleza. Se continuar do jeito que está não é justo, pois todo ano existe um aumento e não consigo ver alguma melhoria”, disse a universitária Darlene Alves, que mora no conjunto Cidade Satélite, no bairro de Pitimbu.

O comerciante Alexandre Penha, apesar de utilizar carro, reconhece as dificuldades de quem pega ônibus diariamente.  “O salário mal subiu e já elevou os preços de tudo. Então, não adianta ter feito isso, pois ficou pior que estava. Não temos opção de ônibus e muito menos comprar carro, pois a gasolina está mais cara”,  avaliou.

O protesto aconteceu entre o final da tarde e início da noite desta segunda-feira, inicialmente houve uma plenária para decidir o que aconteceria. O ato terminou com uma caminhada na BR-101.

Confira as fotos a seguir: