Transformando uma delegacia abandonada em arte

Em Neópolis, mais precisamente no conjunto Pirangi, próximo da avenida das Alagoas, a principal do bairro, havia um prédio da Secretaria do Estado de Justiça e Cidadania (SEJUC), onde funcionou a Delegacia de Plantão zona Sul e o Centro de Detenção Provisória (CDP), onde as pessoas presas são encaminhadas enquanto não vão aos presídios existentes no Rio Grande do Norte. Recentemente, o prédio se encontrava abandonado e ninguém utilizava o prédio para realização de atividades para Sejuc ou outro órgão do Governo do Estado. Atualmente, as duas repartições citadas inicialmente neste parágrafo está na Avenida Prudente de Morais.

Tudo isso começou no ano de 2017, quando a Sejuc começou a desativar as CDPs devido a falta de estrutura de funcionamento sob a justificativa como déficit de pessoal e insegurança, além de problemas na estrutura física e falta de instalações sanitárias adequadas. Em setembro de 2018, o CDP do bairro, que mantinha 89 presos, foi desativado e o prédio que já estava caindo aos pedaços, o abandono fez com que o local fosse depredado, a sujeira piorasse e ficasse com aquele aspecto de cemitério de concreto.

Onde está abandonado, a arte urbana se apossa rapidamente. Em dezembro do ano passado, alguns grafiteiros da cidade resolveram deixar o prédio abandonado, mostrando a sua identidade e também deixando mensagens de cunho político, como pedir que utilizem este prédio para fazer moradias populares para aqueles que não tem condição de comprar casa, uma vez que o espaço se tornou “lar” para aqueles que moram nas ruas. Até um carro que foi abandonado no estacionamento da delegacia também virou graffiti.

 

 

No entanto, alguns confundem a arte urbana com vandalismo. Como essa página com temática policialesca a seguir:

Atualmente, os Centros de Detenção Provisória existem em Apodi, Ceará-Mirim, Jucurutu, Macaíba, dois em Parnamirim (Feminino e Masculino) e Zona Sul. Na Zona Norte, só funciona uma delegacia de plantão.

Um frango de ouro é vendido em Natal ?

As pessoas gostam de mostrar peculiaridades e em Natal não seria diferente, principalmente na parte gastronômica. Um dos exemplos é o frango de ouro, que é simplesmente aquela carne pintada de ouro, feito com uma tinta cosmetível.  Veja o vídeo a seguir:

 

Visualizar esta foto no Instagram.

 

Uma publicação compartilhada por Restaurante Sadoche. Natal/RN (@restaurantesadoche) em

O nome do rapaz que aparece no vídeo é Henrique Barbalho e ele nada mais e nada menos que o dono do restaurante Sadoche, que abriu inicialmente em 2010, no Centro, próximo a unidade da Facex, onde funcionava o antigo Colégio Imaculada da Conceição (CIC).

Além disso, eles possuem um restaurante no bairro de Lagoa Seca, próximo ao Midway Mall, onde também é focado para o almoço e seu público-alvo são aquelas pessoas que trabalham nas redondezas, mas não podem almoçar em casa. O objetivo do frango de ouro é mostrar as diversas opções da casa e cativar o cliente de todo o jeito, além do estabelecimento ser conhecido pelos assados de carne e peixe.

O bufê oferece cerca de 50 opções de pratos

Ele lembra que essa relação “corpo a corpo” com o cliente vem desde o primeiro Sadoche – inaugurado em 2010 e ainda mantido no centro de Natal. O próprio Henrique percorria as ruas de Cidade Alta para apresentar o Sadoche e, em 2015, fez o mesmo em Lagoa Seca.

A casa acomoda mais de 150 clientes em boas instalações

De acordo com Henrique, para a revista Deguste, ele construiu “do zero” a unidade, do jeito que desejou. O resultado foi um lugar aconchegante e espaçoso – pode receber até 160 clientes por vez -, uma cozinha completa e estruturada, que hoje serve de apoio para o restaurante do centro e estacionamento privativo.