Cinco trans brasileiras que ajudaram na militância LGBT

Ser transgênero em um dos país que mais mata pessoas apresentando característica já é difícil, mas no século XX os problemas eram elevados a quinta potência. Mas, teve mulheres que não desistiram e lutaram de frente contra o preconceito, inclusive chegaram a morrer por essa causa.

Recentemente, o Buzz Feed colocou uma lista de trans gringas que ajudaram na militância LGBT, mas também lembrei que tinha algumas trans.

Algumas vivas e outras não, que foram pioneiras na luta e no combate ao preconceito, aonde na televisão eram consideradas figuras “estranhas” e estavam desde cedo lutando pela igualdade, mais facilidades para mudança de documentos, cirurgias de designação sexual e também direito para algum trabalho, visto que eram só vistas como artistas de teatro, música e performance ou entrava na prostituição.

Infelizmente, não temos muitas biografias de trans pioneiras na militância, mas é bastante valorizada principalmente em reportagens de jornalismo gonzo.

Confira a lista a seguir:

Haverá um encontro de instrumentistas de oboé e fagote em Natal

Natal será palco do III Encontro Nordestino de Palhetas Duplas, que vai trazer à capital potiguar, renomados oboístas e fagotistas. O evento realizado pela Associação Brasileira de Palhetas Duplas (ABPD) junto da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) acontecerá na Escola de Música da UFRN (Universidade Federal do Rio Grande do Norte). O evento acontecerá entre os dias 25 a 27 de maio.

As palhetas são elementos utilizados em instrumentos de sopro, são lâminas feitas de metal, plástico ou Cana-do-reino, que vibram com a passagem do ar para produzir o som do instrumento.

Instrumentos como oboé, o fagote e a gaita-de-fole são considerados de palheta dupla. Feita de duas lâminas de bambu ou material sintético são amarradas uma contra a outra através de um tubo de metal e cortiça, que é acoplado ao instrumento Não é necessário uma boquilha, uma vez que uma palheta está em contato com a outra. O músico pressiona as palhetas entre os lábios enquanto sopra para produzir o som. O som é produzido através da vibração das lâminas com o ar que passa entre elas.

A programação inclui a realização de masterclasses, e oficinas de palhetas e regulagem para oboé e fagote. O acesso aos recitais e concertos, oferecidos durante o encontro, será gratuito e aberto a toda comunidade.

Veja o cartaz completo do evento a seguir:

Mais informações do festival, acesse o site: https://enpd2018.blogspot.com.br

SERVIÇO:

III Encontro Nordestino de Palhetas Duplas

Data: de 25 a 27 de maio

Local: Escola de Música da UFRN (EMUFRN)

Atividades: Masterclasses, oficinas de palhetas e regulagem para oboé e fagote, palestras e concertos

Realização: ABPD e EMUFRN.

Foto utilizada pelo Brechando para ilustração: G1.