Septo e Prêmio Hangar de Música estão contemplados na Lei Câmara Cascudo

Nesta semana foi divulgado o resultado do edital da Lei Câmara Cascudo no Diário Oficial do Estado (Doe).  Dentre os aprovados está a série potiguar Septo e o Prêmio Hangar de Música. Ao todo, 13 projetos culturais foram contemplados pela Fundação José Augusto (FJA), órgão responsável pelas atividades culturais no estado, sendo a maioria estão em Natal e Região Metropolitana. Com  a lei, os empresários terão um desconto de 2% do ICMS.

No mês passado a websérie potiguar Septo ganhou cinco prêmios no Rio Webfestival que aconteceu neste fim de semana. Dentre os prêmios está na categoria técnica de melhor elenco de drama. Além disso, o projeto será exibido nos festivais internacionais em Austrália, Alemanha e dois para Los Angeles.

O trabalho conta com uma equipe de 25 pessoas, alguns com excelentes experiências no audiovisual da cidade, trabalhou para que o projeto conseguisse ser realizado. Toda a verba da primeira temporada foi angariada através de uma campanha em um site de financiamento coletivo. Esta é a primeira série produzida no Rio Grande do Norte de forma independente e foi idealizada pela Marmota Filmes em coprodução com o Coletivo Caboré Audiovisual.

Já o Prêmio Hangar de Música vai para a sua 16ª edição e é organizado pelo produtor musical Marcelo Veni. Além de homenagear um artista nacional, ele premia os músicos potiguares que foram destaque no ano.

Confira os 15 projetos a seguir:

1) Festival Tropical de Touros “Cultura, Arte e Gastronomia
2) Entre Nós: Coletivo de Criação
3) IX-Festival Internacional de Cinema de Baia Formosa
4) Forró no Potengi
5) Mãos Manos (Interferências e Experiências no Artesanato Potiguar)
6) Arte de Nascer – Para Mães e Bebes
7) Carrossel da Leitura
8) Cine Seridó
9) Websérie SEPTO -2ª Temporada
10) Prêmio Hangar de Música – 16º Edição
11) 3ºPrêmio Dosinho de Carnaval e 3ª Edição de Machinhas Carnavalescas
12) Festival Goiamum Audiovisual – Nona edição
13) IX MPBECO – Festival de Música do Beco da Lama

Este professor na foto é o novo membro da Academia Brasileira de Ciências

O professor da foto acima do título é o José Renan de Medeiros e há duas semanas foi eleito novo membro da Academia Brasileira de Ciências (ABC). A posse do professor está prevista para 2018. Podem se tornar titulares os cientistas radicados no Brasil há mais de 10 anos e que apresentem destacada atuação científica.

Docente da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), desde 1977, José Renan de Medeiros desenvolve atividades em astronomia e astrofísica estelar. Atualmente é membro titular do Conselho Científico do Instituto Internacional de Física de Natal e coordenador geral do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia de Estudos do Espaço (INEspaço).

Foi presidente da Sociedade Astronômica Brasileira (1997-2000), presidente da Comissão Brasileira de Astronomia (2002-2005) e membro do Comitê Assessor Física-Astronomia do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (2005-2009). Ele será o único representante da UFRN que está na Academia.

A Academia Brasileira de Ciências (ABC) é uma academia de ciências que divulga e fomenta a produção científica no Brasil desde 3 de maio de 1916, tendo sido fundada por 27 cientistas e ainda sediada no Rio de Janeiro, com o nome Sociedade Brasileira de Sciencias, alterado em 1921 para sua atual denominação. Dentre os membros famosos está o Carlos Chagas Filho, filho do do renomado médico sanitarista Carlos Chagas, homem que descobriu a Doença de Chagas.

Atualmente, a Academia reúne seus membros em dez áreas especializadas: Ciências Matemáticas, Ciências Físicas, Ciências Químicas, Ciências da Terra, Ciências Biológicas, Ciências Biomédicas, Ciências da Saúde, Ciências Agrárias, Ciências da Engenharia e Ciências Humanas.

O presidente de hoje é o físico Luiz Davidovich, que deixará o cargo até o ano de 2019.