Entrevistamos Titina Medeiros e o seu amor pela sua terra transformada na peça “Meu Seridó”

De acordo com o Wikipedia:

O Seridó é uma parte do sertão nordestino, que liga os estados da Paraíba e do Rio Grande do Norte, pertencendo a antiga “Ribeira do Seridó”. É composto por 28 cidades potiguares e 26 paraibanas, segundo o Ministério da Integração. Muitas vezes é lembrado por conta da seca e o clima quente.

Afinal, a região é resumida à essas informações?

Por isso, a atriz Titina Medeiros, juntamente com César Ferrário (direção) e Filipe Miguez (roteiro), resolveram construir uma peça chamada “Meu Seridó”, que estreia nesta quinta-feira (30), às 18 horas, no Tecesol, em Neópolis, zona Sul de Natal. O espetáculo é itinerante; por isso passará em outros lugares públicos nas suas duas semanas de exibição. Além de Titina, também participam os atores Nara Kelly, Igor Fortunato, Caio Padilha (também produtor da trilha sonora) e Marcílio Amorim.

Peça ‘Meu Seridó” visitará as principais praças de Natal para falar do sertão

Convidado pela organização da peça, o Brechando assistiu a pré-estreia do espetáculo. Sem dizer spoilers, garantimos que é encantador, lúdico e me ajudou a voltar ao tempo, quando passava os fins de semana em Sítio Novo (embora fique no Trairi) para visitar os meus avós paternos. É uma forma mais fácil do que lendo os livros de Câmara Cascudo, se quiser assistir a peça (Se fosse você, não perderia, ok?).

Quem nasceu no Seridó ou em um outro interior do Rio Grande do Norte se identificará bastante com os personagens retratados.

Natural de Acari, Titina queria mostrar o seu amor pela região em forma de espetáculo. “Quando completei 40 anos, eu queria falar sobre o Seridó, uma forma simbólica de voltar para casa. No início, a apresentação seria um solo e tive várias ideias de como retratar sobre o assunto. De repente, comecei a ouvir sugestões, a ideia cresceu e de repente surgiu uma equipe completa de 25 pessoas”.

A parceria com Filipe Miguez (autor de “Cheia de Charme” e “Geração Brasil”, nas quais ela participou) é antiga e a vontade de fazer uma peça juntos já existia desde que a atriz fez a Socorro, empregada da Chayene, na famosa novela das 7.

“Como viemos do teatro, ele sempre dizia: ‘Que tal a gente montar alguma coisa?’. Sempre dizia que sim. Cinco anos depois de ter feito Cheias de Charme veio esse encontro. Fui convidá-lo, ele topou na hora e queria conhecer novos lugares e diferentes. No início de maio, ele veio ao RN e visitou a região, ficou bastante admirado. Depois, ele retornou. A partir daí foi estudo e leitura para montasse o ‘Meu Seridó’. A sorte que tivemos a ajuda da pesquisadora Leusa Araújo (autora de “O Livro do Cabelo”), que também tem família no Seridó.”, continua.

Titina comentou que Filipe Miguez ainda não teve a oportunidade de assistir a peça, apesar de ter presenciado alguns ensaios durante as suas visitas ao estado. “Ele já sabe uma boa parte do espetáculo, pelo menos”.

A narrativa é constituída por uma linguagem lúdica e cheia de metáforas, não necessariamente está em ordem cronológica. “Bem teatral”, como já dizia Medeiros. Transita pela história do Seridó em seus espelhamentos terrenos, desde a chegada do homem andino até a vinda do vaqueiro e do português. “O espetáculo foi feito para ser exibido na rua e contar esta história tão rica precisa ser contada de uma forma mais simples. Apesar de tratar temas como a dizimação dos índios e a chegada da pecuária, a gente queria que falasse de uma forma mais popular e com fácil acesso”, explicou a atriz.

A força do texto está nos personagens, personagens como José de Azevedo Dantas, Pajé Cuó, o português Rodrigo de Medeiros, a Maria Paraibana e Josefa Menina são as personificações da história que transpassa o imaginário da região.

Personagens da peça contam a história da região de forma bastante teatral

São essas questões, forças e vidas que estão bordadas num figurino, cenografia e caracterização assinados por João Marcelino, parceiro de longa data de Titina com quem trabalhou no grupo “Tambor” ainda na década de 90. A iluminação é feita por Ronaldo Costa, deixando a apresentação com um clima de festa de padroeira. “Desde que tive a ideia era apenas um monólogo, queria que tivesse um cenário fácil de montar. Sempre quis apresentar em alpendres, uma vez que quando era criança e passava férias com meus avós, na zona Rural, eu ouvia histórias, apresentações, lia livros e escutava música, como se lá fosse meu primeiro lugar artístico. Assim, queria que a peça tivesse a sua própria estrutura para que seja montada em qualquer lugar. As luzes, além de parecer uma festa de interior,  lembra o céu estrelado.”.

Meu Seridó marca a estreia da produtora “Casa de Zoé”, uma idealização de Titina e César, com o propósito de realizar ações culturais nas áreas das artes cênicas, música e audiovisual. A Casa de Zoé já tem novos projetos encaminhados para 2018, além da circulação do “Meu Seridó”. Ocupar os espaços das cidades e das zonas rurais com espetáculos, cinema, música, teatro é o que busca abarcar a produtora de cultura.  Confira a seguir os dias e locais onde a peça circulará por Natal:

30/11 – Estreia TECESOL – Neópolis
01/12 – Casa do Mestre Manoel Marinheiro – Felipe Camarão
02/12 – Praça da Igreja – Cidade Esperança
03/12 – Praça André de Albuquerque – Cidade Alta
14/12 – Espaço Cultural Jesiel Figueiredo – Gramoré
15/12 – Área de lazer do Panatis – Panatis
16/12 – Praça Henrique Carloni (Disco Voador) – Ponta Negra
17/12 – Praça Cívica – Petrópolis

Horário: 18h00
Mais informações: www.casadezoe.com.br

Em homenagem ao 1 ano de curso de fotografia, estudantes da UnP expõe seus trabalhos na Pinacoteca

Os estudantes do curso de fotografia da Universidade Potiguar (UnP) reuniram os seus trabalhos e resultou na exposição Multiverso, no qual o lançamento acontecerá nesta quinta-feira (30), a partir das 19 horas, na Pinacoteca Potiguar, palácio que por muito tempo funcionou a sede do Governo do RN localizado no bairro de Cidade Alta. A intenção da exposição e mostrar os universos particulares das pessoas.

Nesse trabalho, os novos fotógrafos expuseram o seu modo de ver o mundo e os saberes adquiridos ao longo da formação acadêmica. Na oportunidade, serão mais de 200 fotos inéditas expostas aos visitantes com temas de viés social e cultural de nossa cidade.

O coletivo contará com trabalhos das alunas Meysa Medeiros, que traz como tema o jovem periférico potiguar, o chamado “Pinta Natalense” (virou até personagem na internet), Anne Queiroz com o ensaio “Eu Continuo Mulher”, com a temática sobre sensualidade de mulheres com necessidades especiais. Já Mariana Carolina, traz uma abordagem sobre a indústria da carne.

Foto do Pinta Natalense estará em exposição na Pinacoteca

De acordo com a instituição de ensino, o curso de Fotografia é o pioneiro no estado, foi lançado em 2015 e já conquistou o Conceito 4 do Ministério da Educação (MEC), através do Enade, representando a qualidade da graduação, tendo como requisitos bem avaliados a Didática-Pedagógica, Corpo Docente e a Infraestrutura. Com mais de 35 anos de atividades, integra a Laureate International Universities, rede global líder em Ensino Superior. Possui mais de 34 mil alunos entre os campi em Natal e Mossoró, oferecendo cursos de Graduação, Pós-Graduação e Educação a Distância, com polos em diversas cidades do país, além de cursos técnicos.

Revista de moda masculina é lançada nesta quarta em Natal

A revista Cartola já falamos em outras postagens no blog. Após uma campanha do Catarse para tentar fazer uma edição impresso, que só conseguiu através de um edital de Economia Criativa do Sebrae, eles finalmente conseguiram lançar a primeira edição imprensa, no qual o lançamento acontecerá nesta quarta-feira (29) na Toque de Mídias, em Lagoa Nova. A distribuição da revista é gratuita e objetiva difundir diálogos sobre moda e os profissionais que movimentam criativamente o mercado

Intitulada de ‘Ócio & Negócio’, a publicação estimula o pensamento crítico a respeito de assuntos como empreendedorismo e jornada de trabalho, ao passo que divulga o trabalho de profissionais consagrados e abre espaço para novos artistas, fotógrafos e designes. Na capa está o modelo internacional Marcos Patriota, brasileiro que fixou residência em Milão por 11 anos e já protagonizou campanhas e desfiles de marcas como Diesel, Armani e foi fotografado por ícones de moda.

Modelo Marcos Patriota, capa da Cartola Mag

Para a primeira produção, a revista contou com um time de 10 artistas de diferentes localidades, como o potiguar Thiago Varela, o paulista Bruno Fiorentino e o renomado fotógrafo bélgico Antoine Rose, por exemplo.

A ideia da revista vem do produtor cultural Paulo Anjos, no qual queria “divulgar artistas visuais e levar um conteúdo de moda masculina conceitual, com um viés crítico. A proposta de unir artistas de diferentes localidades contribui para a divulgação dos trabalhos”.

Além da impressa, a revista estará disponível em nosso site, visando assegurar a responsabilidade ambiental e garantir que os leitores, independente de sua localidade, tenham acesso ao material.

Serviço:

O que: Lançamento da Cartola “Ócio e negócio”

Quando: Quarta-feira, 29 de novembro, às 18h

Onde: Toque de Mídias – Av. Salgado Filho, 1653, loja 2 (ao lado da Clarim, na altura do Supermercado Nordestão)

Estudantes da UFRN vencem projeto de revitalização da Ribeira em concurso promovido pelo BID

Estudantes da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) tiveram o seu projeto como o vencedor do prêmio que ajudará na revitalização do tradicional bairro da Ribeira, em Natal. A atividade foi resultado da edição deste ano do Urbanlab, projeto do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), que ajuda a revitalizar bairros históricos de vários cantos do país.  O projeto “Olhos da Ribeira” recebeu a quantia de cinco mil dólares, vencendo estudantes da Universidade de São Paulo (USP) e de Brasília (UnB), considerada as melhores instituições de ensino do país.

O resultado do vencedor teve a presença do prefeito de Natal, Carlos Eduardo Alves, e da primeira-dama, Andrea Ramalho. A titular da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Urbanismo (Semurb), Virginia Lopes.

UrbanLab é um concurso universitário destinado a buscar soluções criativas e ideias inovadoras para os problemas urbanos da América Latina e do Caribe (ALC), em parceria com estudantes, professores universitários e jovens profissionais. No caso, os estudantes da UFRN resolveram criar um projeto urbanístico, social e patrimonial de caráter integral, multissetorial, inovador e sustentável, para um polígono de intervenção no histórico bairro da Ribeira.

O vencedor do #BIDUrbanLabBrasil é o “Olhos da Ribeira” dos alunos da UFRN. O projeto dos alunos da UFRN, Marcela Lorena Farkat Scheer, Dmetryus Targino Marques de Souza, Nicholas Saraiva Martino e Mariah Oliveira Holder da Silva, venceu os finalistas da USP (2° lugar) e da UnB (3° lugar). O projeto vencedor, coordenado pela professora Ruth Maria da Costa Ataíde, apresentou soluções criativas e ideias inovadoras para os problemas urbanos da Ribeira, que é um dos bairros mais charmosos de Natal! O UrbanLab é promovido pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e conta com a parceria da Prefeitura de Natal. O prefeito Carlos Eduardo ena titular da Semurb Virgínia Ferreira acompanharam a premiação do #BIDUrbanLabBrasil. Ambos foram convidados e com despesas custeadas pelo BID. O concurso BID UrbanLab acontece desde 2015 e Natal é a primeira cidade brasileira a fazer parte do projeto. Parabéns aos nossos vencedores!!

A post shared by Prefeitura do Natal (@natalprefeitura) on

Agora, eles trabalharão, entre fevereiro e março de 2018, com técnicos locais, Prefeitura do Natal, especialistas do BID, do Ministério das Cidades e da Caixa Econômica Federal na aplicação do projeto na prática. Trabalho foi desenvolvido pelos estudantes Marcela Lorena Farkat Scheer, Dmetryus Targino Marques de Souza, Nicholas Saraiva Martino e Mariah Oliveira Holder da Silva, sob a orientação da professora Ruth Maria da Costa Ataíde.

Projeto da Ribeira que venceu o Banco Interamericano do Desenvolvimento

Ao todo, o concurso recebeu na primeira fase 40 propostas de 31 universidades do país para ajudar na revitalização do bairro da zona Leste de Natal, sendo que sete foram de estudantes da capital potiguar.

O concurso ainda quer atuar como incubadora de talentos jovens em questões urbanas, a partir de uma rede de trabalho com universidades; fechar a lacuna entre os jovens e o mercado de trabalho; e promover um espaço participativo para a discussão dos paradigmas da disciplina. Após o sucesso das duas primeiras edições internacionais do concurso – em 2015, no bairro de Curundú, Panamá e em 2016 na cidade de Santa Marta, Colômbia– uma terceira edição, em parceria com a Província de Mendoza, Argentina, está em curso em 2017.

Todos os projetos finalistas apresentados no concurso receberão certificados de reconhecimento, ficando em exposição temporária na sede do BID.