Mada Pinacoteca

Um texto que mistura Mada e Pinacoteca

brechadas
Compartilhe:

Esse texto é para saber o que está acontecendo e por onde anda o Mada. A jornalista Cínthia Lopes, do Típico Local, me respondeu este mistério. Não podemos esquecer que a Pinacoteca, mais precisamente o seu jardim virou não só exemplo de museu, como também de ocupação de eventos. Primeiramente, nesta sexta-feira, o Festival Mada vai celebrar o retorno presencial com o 1º baile da aMada. Sim, escrito deste jeito para fazer o trocadilho. Se você está lendo este texto agora na sexta a noite, vou te dar os argumentos para você sair agora.

Para a reportagem não ficar cansativa e velha. Confira o menu:

O evento apresenta a  dupla paulistana de MC’s Tasha & Tracie (@tashaokereke e @tracieokereke) destaques da nova geração do rap. A noite ainda conta com DJ Lívea ( @djlivea__ ), DJ  DK ( danilokauan ) e DJ Dandarona (@dandarona). Os ingressos estão disponíveis na plataforma da Sympla https://www.sympla.com.br/evento/baile-da-amada/1504544

Se você não quer saber disso, clique aqui e saiba o porquê de Mada na Pinacoteca.

Tasha e Tracie

E o melhor de tudo: eles ainda estão disponíveis! Não conhece as gêmeas? Não tem problema, veja a história delas a seguir.

As gêmeas Tasha & Tracie são duas paulistanas de 26 anos, cantoras, Mc ‘s, DJs, ativistas, diretoras de arte e designers. Filhas de mãe brasileira e pai nigeriano, elas chamaram atenção na internet e no mundo da moda por criarem um movimento que valoriza a cultura negra. Atuam na cena hip hop (trap) sobretudo como criadoras do movimento Expensive Shit, que eleva o sentimento de auto-estima negra e sua ascensão social por meio da arte, moda e da informação. 

O nome é homônimo ao blog que a dupla mantém nas redes sociais. Atualmente com dois EP’s lançados ROUFF e Diretoria, elas possuem um repertório forte e sua música tem ganhado cada vez mais espaço no mundo virtual, nos palcos, e em grandes veículos de comunicação, inclusive internacionais.

Baile da aMada, união do Mada e Pinacoteca

O nome do baile nasceu de uma brincadeira nas redes sociais do festival. “AMada” ou “aMadinha” é como os seguidores chamam carinhosamente o perfil do festival, principalmente no Twitter, que possui 12,3 mil seguidores interagindo em postagens divertidas. 

O Festival MADA ainda prepara diversas ações com foco na formação musical e educação por meio da música. Ainda este ano estão programadas ações do MADA Faz Escola, onde artistas locais se apresentam nas escolas do Município e Estado. E o Sons Descolados, documentário que registra o empoderamento de jovens através da música. 

O MADA conta com o patrocínio da Coca-Cola, Unimed Natal, Governo do RN por meio da Lei Câmara Cascudo, Fundação José Augusto. O Baile da aMada ainda conta com apoio da Festa Piloto e do programa Visite o Rio Grande do Norte.

Mada vai rolar em setembro, para quem perdeu na Pinacoteca!

Mada Pinacoteca

A ação também marca a data de nascimento do festival, realizado pela primeira vez na Ribeira em 1998. Já a edição dos 24 anos do MADA está marcada para os dias 23 e 24 de setembro, no Arena das Dunas. Das atrações já anunciadas pela produção estão Emicida, Djonga, Gloria Groove, Luísa e Os Alquimistas e Letrux na sexta-feira (23). Além do BaianaSystem, Marina Sena, Linn da Quebrada e Afrocidade no sábado. Nos próximos meses serão anunciadas outras atrações.

O produtor Jomardo Jomas fala sobre o retorno das atividades presenciais: “O Mada é feito por muitas mãos, produtores, técnicos e artistas. É esta equipe que mais vibra em poder voltar a trabalhar e fazer o que sabem, entregar música num recorte super atual do que temos hoje de produção musical  no Brasil”.

Serviço

Baile da Mada, dia 6 de maio, 20h, na Pìnacoteca

do Palácio Potengi, Centro Histórico de Natal-RN. 

Ingressos à venda na plataforma Sympla. 

Onde comprar: https://www.sympla.com.br/evento/baile-da-amada/1504544

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.