câncer de próstata Natal

84% dos cânceres nos homens em Natal são de próstata

Curiosidades
Compartilhe:

Acaba Outubro e chega Novembro Azul. A cor, por coincidência, está relacionada à saúde masculina, visto que boa parte das mortes dos homens está voltada ao câncer de próstata.  Apesar da campanha de prevenção está constantemente repetida em comerciais, centenas de homens no estado potiguar ainda morreram. b. 

Isto quer dizer, no entanto, que houve eventualmente 1570 novos casos no RN e 380 apenas em Natal apenas no ano de 2020. É a maior causa de câncer entre os homens nas terras potiguares. 

O câncer de próstata é cancro o que mais mata os homens de câncer. De acordo com dados do Instituto Nacional do Câncer (INCA), no Rio Grande do Norte, são 89,22 óbitos para 100 mil habitantes dos casos do estado. 

Se o RN tem em torno de três milhões de habitantes, fazendo uma regra de três, este número é 283 mortos. A maioria aconteceu na Região Metropolitana de Natal.

Dessa quantia, 88 mortos eram pessoas entre 70 a 70 anos. Já a maior parte são de pessoas acima de 80 anos, uma vez que houve registro de 136 idosos. 

Fizemos a apuração dos dados, portanto, da mesma forma que o Outubro Rosa, com a diferença para os homens. 

 

Casos de câncer de próstata em Natal e outras capitais brasileiras

1

São Paulo

3060

2

Rio de Janeiro 

2760

3

Belo Horizonte

1270

4

Salvador

1090

5

Fortaleza 

980

6

Brasília

840

7

Recife 410

8

Natal

380

9

Goiânia 370

10

São Luís350

11

Manaus340

12

João Pessoa320

13

Florianópolis310

14

Maceió300

15

Curitiba220

16

Campo Grande200

17

Porto Alegre200

18

Cuiabá190

19

Teresina180

20

Aracaju 180

21

Belém140

22

Porto Velho80

23

Macapá80

24

Vitória 70

25

Rio Branco  60

26

Boa Vista50

27

Palmas50

No mundo, o câncer de próstata é o câncer de maior incidência entre os homens, afinal são os únicos que tem a glândula. No Brasil, 29,2% dos casos de câncer em homem são localizados na próstata, perdendo apenas para o de cólon e reto Nesse contexto, a detecção precoce dessa patologia por meio do exame de próstata permitem aumentar as chances de cura da paciente, possibilitando um tratamento não mutilador.

No RN, a maioria dos portadores de câncer de próstata corresponde a 27,11% dos casos de pessoas de pessoas que registraram doenças cancerígenas. em Natal, isso corresponde há mais de 84% dos casos de mulheres doentes, de acordo com o INCA. 

 

Mas, como tirar o preconceito e cuidar da saúde masculina? Diagnóstico precoce.

Os exames mais indicados para avaliar a saúde da próstata são o toque retal e a análise sanguínea do PSA, que devem ser realizados todos os anos por todos os homens com mais de 50 anos de idade. Além disso, quando são encontradas alterações em algum destes dois exames, o médico pode solicitar outros, como o cálculo da densidade do PSA, exame de urina PCA3, ressonância da próstata e a biópsia, que são solicitados de acordo com a necessidade de cada homem.

Os dois principais exames serão explicados a seguir. 

O que é o PCA

É feito a partir de um exame de sangue comum que avalia o marcador tumoral PSA, que tem como resultados normais valores menores do que 2,5 ng/ml em pacientes até 65 anos e até 4 ng/ml, após 65 anos. Assim, quando esse valor está aumentado, pode indicar problemas como inflamação, infecção da próstata ou câncer.

Toque retal, motivo de piadinha machista e homofóbica

 
Outro exame essencial para avaliar a próstata é o toque retal, numa consulta com o urologista. Este exame é muito rápido, demorando cerca de 10 a 20 segundos e não dói, embora possa ser desconfortável. Então, vem a piada ao exame. 
 
Neste exame o médico pode avaliar se existe algum caroço, se a próstata parece maior ou mais dura do que deveria. Assim, o médico realiza um toque na região retal, no qual muitas vezes está associado ao sexo homoafetivo, no qual já falamos por aqui. 
 
E, o mais importante, não se precisa fazer qualquer tipo de preparo para realizar este exame.
 
O exame de toque retal é rápido, realizado em consultório médico, não interfere na sexualidade e nem causa dor, no entanto pode causar algum desconforto caso a pessoa tenha fissuras anais ou uma infecção retal, como hemorroidas.
 

 

Teve gente que nunca fez o exame preventivo

 
O câncer de próstata é o segundo tipo de câncer que mais afeta os homens com idade acima de 40 anos. De acordo com o Inca, estima-se que 1 a cada 6 homens desenvolverá a doença.
 
Por isso, a Sociedade Brasileira de Urologia em parceria com o Grupo Abril sobre a saúde do homem, no qual apenas 59% admitiram que nunca procuram um urologista. 
 
Mais de um terço dos homens estudados relata não ir ao médico pelo menos uma vez ao ano. Nesse cenário, 37% dos entrevistados com até 39 anos e 20% daqueles com
40 ou mais admitem só procurar o profissional quando se sentem mal. Essa ilusão ou negligência preocupam ainda mais se levarmos em conta que 23% dos respondentes dizem substituir uma consulta por uma pesquisa na internet com certa frequência.
 
Segundo a pesquisa, 89% já fizeram o PSA e somente 65% fizeram o exame de toque. 
 
Cabe refletir sobre a necessidade de ampliar a realização dos exames no sistema público, uma vez que entre os atendidos pelo SUS, 45% dos homens nunca foram submetidos ao toque retal e 16% não fizeram o exame de PSA.
 
O mais preocupante que 65% dos homens afirmaram que não intensificaram as consultas médicas com a campanha do Novembro Azul.  
 

Em 2020, homens afirmaram que deixaram de fazer o exame por conta da Covid-19

Um estudo da Sociedade Brasileira de Urologia apontou que 55% dos homens acima de 40 anos deixaram de fazer alguma consulta ou tratamento médico em função do surto da Covid-19. Além disso,  57% desse grupo acima dos 40 anos afirmaram ter percebido um impacto negativo na saúde, incluindo 9% que consideravam que a sua saúde estaria pior do que antes.

Dos pacientes masculinos (de todas as idades), 33% relataram ir regularmente ao urologista e 3% afirmaram que nunca consultariam esse especialista, demonstrando que ainda existe resistência em relação aos cuidados com a saúde urogenital. Para 92% de todos os entrevistados, portanto, consideram que a campanha Novembro Azul é útil ou importante.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.