Pine

Um bunker cheio de Pine foi encontrado no RN

Quando você vai numa balada, todo fumante já encontrou o velho conhecido Pine (se pronúncia como se fosse ler em português. Nada de “Páine”), que queima o peito que só a beleza, mas está lá tragando por ser beeem mais barato que aquela carteira velha de Marlboro. Desculpa, leitores, antes da quarentena eu fumava sim e já falei disso quando experimentei o vape pela primeira vez. Porém, minha vida maior que o fumo. Não quero pegar corona, obrigada. 

Estima-se que de quatro em cada 10 fumantes consomem cigarro de contrabando no Brasil

Mas, o assunto não é esse, quero falar de uma ocorrência policial que aconteceu em Nova Parnamirim, bairro de Parnamirim, região Metropolitana de Natal. Vou contar a história a seguir.

A Polícia Civil, através da Delegacia de Crime Organizado, prendeu na última quinta-feira (14) o vereador Pato Choco, de Serrinha dos Pintos, no qual traficava Pine e outros cigarros do Paraguai, que são considerados ilegais no Brasil por não pagarem os impostos de importação. Ele escondeu em um bunker feito pelo próprio Choco, cujo seu nome de batismo é Macio Ferreira de Aquino. 

Como a polícia descobriu esse bunker?

Os policiais civis estavam inicialmente investigando um galpão dentro com a finalidade de prender suspeitos em roubo de banco. Ao chegar no local, eles viram um grande movimento de pessoas dentro da fazenda. Para quem não sabe, Nova Parnamirim mais próximo do Jiqui é cheio de fazendas, granjas e sítios. 

O galpão ficava dentro da fazenda e não era um local visível, uma vez que era um bunker que ficava embaixo da terra, tipo aqueles esconderijos de guerra mesmo ou compartimentos que os americanos usam para esperar o fim do munto. 

Ao brechar o bunker, eles viram diversas caixas de Pine e armas de grosso calibre, no qual suspeita-se que era usado para ações criminosas do novo cangaço. 

De acordo com as investigações, o Pato Choco era um dos maiores fornecedores de cigarros paraguaios do Estado.

O bunker tinha 60 metros quadrados e ficava escondido em um campo de futebol de areia. 

Existe um vídeo mostrando como foi a descoberta. Confira:

Quantos Pines foram encontrados?

Ao todo foram encontrados 20 caixas do cigarro, que juntas custam mais de 40 mil reais e armas de calibre 40. 

Em seguida, foram realizadas diligências com o objetivo de prender “Pato Choco”, o qual foi encontrado em um condomínio de luxo, em Nova Parnamirim. Com “Pato”, foram apreendidos dois veículos, sendo um deles avaliado em R$ 180 mil reais, e outro supostamente utilizado para transportar cigarros contrabandeados.

O suspeito, que confessou a prática do contrabando, foi conduzido à DEICOR, onde foi autuado em flagrante pelos crimes de contrabando e posse ilegal de munição de uso restrito.

Macio Ferreira será encaminhado ao sistema prisional, onde ficará à disposição da Justiça.

Quem for pego contrabandeando cigarro pode pegar de dois a cinco anos de prisão, enquanto quem pratica o tráfico internacional de armas pode ficar de quatro a oito anos preso ou de 5 a 15 anos, no caso de tráfico de drogas.

Por que o Pine é um cigarro ilegal?

Pine Blue (Made in Korea?) | elmina | Flickr

Como falado anteriormente, o Pine e outros cigarros do Paraguai não pagam impostos. Por isso, eles ficam mais baratos e, portanto, mais acessíveis a crianças e adolescentes. Além disso, ele não recebe aquele selo da Agência Nacional de Vigilância, a Anvisa. 

Como eles não tem a inspeção da Anvisa, os cigarros podem ter substâncias mais perigosas que o cigarro “legal”, podendo ser mais perigoso ao sistema respiratório. 

O preço mais alto dos itens regularizados se deve a uma ação adotada pelos países-membros da Organização Mundial da Saúde (OMS) para a redução do tabagismo. Portanto, o Brasil obriga os fabricantes a pagarem impostos consideravelmente pesados, que torna o cigarro caro.

Dessa forma, ao vender produtos ilegais, os comerciantes sabotam os efeitos dessa política.

Artista de Macaíba faz mural de grafith aos enfermeiros

Os enfermeiros estão na linha de frente do combate ao novo coronavírus. Sabendo disso, o artista residente de Macaíba, o Marcos Grafith, escolheu uma das ruas do município da Grande Natal para fazer essa homenagem.

Primeiramente, ele fez um esboço de uma mulher usando as roupas de proteção segurando o mapa do estado do Rio Grande do Norte.

Atualmente, o RN tem mais de 2,5 mil casos e somente em Macaíba apresenta mais de 20 casos

Confira a arte a seguir:

Em duas semanas de maio, os números de Covid-19 é o triplo de todo o mês de abril

A medida que diminui isolamento social, maiores são os casos. As pessoas, por conseguinte, estão desesperadamente apelando, através do Twitter, a realização do Lockdown, cuja medida para trancar todas as vias da cidade e fazer o isolamento forçado. O resultado do fechamento total é a permissão apenas de poucas pessoas, porque alguns vão trabalhar com serviço essencial ou procurar um atendimento médico.

Não é por menos, já que os noticiários estão falando dos corpos na região de Manaus, Rio de Janeiro e Fortaleza. Nesse meio tempo, o jornalista Rafael Duarte, do Portal Saiba Mais, noticiou que nesta quarta-feira (13) para quinta-feira (14) houve, como resultado, 11 mortes em 24 horas.

Até o dia 12 de maio foram registrados 1041 suspeitos (lembra que março era apenas 680), no qual desses 325 casos estão confirmados.

Inicialmente era de quase 60% o isolamento. Em razão da desobediência, todavia, a quarentena está agora em torno dos 40%.

Isso quer dizer, portanto, que dos 1041 exames realizados, 31,21% são de pessoas com a doença pandêmica.

Isso é o resultado de uma reportagem realizada para mostrar os avanços do Coronavírus em 60 dias, veja a seguir.

Covid

60 dias de Covid-19: Aumento de 1000 vezes de casos no RN

A noite do dia 15 de março, após voltar da casa do Burburinho Festival de Artes, foi a vez que nunca mais tive vida social, por conta da Covid-19. Além disso, nesses dois meses de isolamento social, o aumento da doença no Rio Grande do Norte está crescendo e não é só os telefonemas de amigos, conhecidos ou familiares que comprovam o crescimento de pessoas infectadas, como também o número de dados. Foi o aumento de mais de 1000 vezes.

De antemão, vou apresentar os dados do LAIS, sigla para Laboratório de Inovação Tecnológica em Saúde, órgão da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, com a finalidade de monitorar os casos durante 24 horas por dia.

Dá uma tristeza só de lembrar que no dia 12 de março aconteceu a primeira confirmação no estado e ainda assim, 60 dias depois, a curva de contaminação não para de subir.

De 26 de fevereiro a 12 de maio, saímos de 2 casos para 2524 casos, crescemos 1000 vezes e se refere à uma porcentagem de 100 mil por cento.

Até o dia 12 de maio, ou seja, há exato dois meses após a confirmação do primeiro caso, o número de doentes com o novo Coronavírus é de 1178 casos.

Esse número pode parecer besta para você, afinal não representa 1 por cento da população potiguar, todavia houve um acréscimo de 1000% dos casos, infectando mais pessoas em contraste com outras doenças endêmicas comuns na região, como a dengue, por exemplo, e apresentarei os dados a seguir.

Março tinha apenas 442 casos confirmados

A primeira confirmação só aconteceu em 12 de março, devido ao fato do exame demorar mais de 1 semana para ficar pronto e era feito em um laboratório do Pará, a divulgação aconteceu no dia 12 de março. Todavia, os dois primeiros pacientes foram registrados no dia 26 de fevereiro.  Cinco dias depois, no dia primeiro de março, o resultado chegou a 12 confirmados.

Ou seja, já havia gente infectada antes dos primeiro caso ser oficializado para imprensa. 

No final do mês, finalmente o Laboratório Central de Saúde Pública junto com a UFRN começou a fazer os próprios exames.

A medida que foram realizados os exames, mais casos começaram a crescer, principalmente no final do mês. Ao todo foram examinados 680 pessoas.

Veja a tabela dos casos de março a seguir:

Evolução dos casos de Março de 2020
De 26/02/ a 29/02  7 casos confirmados
Casos Confirmados de 26/02 a 01/03
26 de fevereiro a 1º de março 12
Casos somente em março de 2020
 Data Total
1º de março a 31 de março 442
De 26 de fevereiro a 31 de março
Total 449

De 1º a 31 de março foram 442 infectados.

Em abril confirma o aumento de infectados em quatro vezes

Mesmo que apenas a metade do Rio Grande do Norte estivesse em quarentena, os números de confirmados não paravam de crescer. No quarto mês do ano, o número de exames realizados pela Saúde Pública saltou de 680 para 3180. Ou seja, quintuplicou a quantidade de pessoas que apresentavam alguma infecção respiratória ou não.

Já o números confirmados de Covid-19 praticamente quadruplicou, uma vez que março para abril cresceu de 442 para 1624.

Os dados apresentados pelo Lais mostram que a princípio o crescimento de casos confirmados é diretamente proporcional ao número de suspeitos.

Traduzindo, quanto mais suspeitos, mais chances de encontrar infectados pelo Corona.

Abril de 2020

Data Casos Confirmados somente em abril Casos confirmados desde 26 de fevereiro
1º a 30 de abril 1642 2091

Para continuar lendo a reportagem, clique na segunda página que está no final da página (após o Leia Mais)