Circular da UFRN

Circular tem 1 ônibus e incerto o retorno da aula presencial da UFRN

Cidades
Compartilhe:

O Circular voltou a ficar gratuitamente aos estudantes da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), após uma decisão judicial. Mas, com algumas ressalvas. Somente uma linha está funcionado, da empresa Santa Maria, e funciona nesses seguintes horários:

Além disso, a linha vai seguir os protocolos de segurança contra a Covid-19 estabelecido pela a Prefeitura do Natal. Dessa forma, a Linha 588 (circular) inicia o trajeto pela parada localizada ao lado do Shopping Via Direta, seguindo pela Escola de Música (EMUFRN), Reitoria e Escola de Saúde (ESUFRN). Nas segundas e quintas, o itinerário começa às 6h30 e termina às 22h10, nos demais dias inicia às 6h30 e finaliza às 18h40.

O estudante de publicidade Dickson Half é morador da Residência Universitária. O jovem comentou que mesmo o Circular de volta, ele não está conseguindo atender as necessidades dos residentes.

“Não uso o Circular, por conta da rota ser muito pequena. Vai do Via Direta até a Reitoria e retorna. Somente peguei uma vez, então tive que descer da Reitoria até a Residência Universiária. Aí tenho que pegar o 304, descer até a Avenida Salgado Filho para pegar outro ônibus para o meu estágio. Se não consigo, vai a pé mesmo”, lamentou.

Mas, como será este itinerário com o retorno das aulas? O Brechando foi atrás para saber a resposta se já existe algum planejamento. 

No dia 13 de janeiro, a UFRN aprovou o calendário do período letivo de 2022, que teve sua ratificação no Conselho de Administração (Consad) e de Ensino, Pesquisa e Extensão (Consepe). As aulas de 2022.1 acontecerão de forma presencial, entre os dias 28 de março a 30 de julho.

Passaporte da vacina para entrar nos setores de aula e prédios

Em entrevista para Agecom, o pró-reitor adjunto de Gestão de Pessoas (Progesp) e relator da proposta no Consad, Joade Cortez, contextualizou que o retorno presencial gradual acadêmico e administrativo vem ocorrendo nos últimos meses. Nesse sentido, a Universidade aprovou, no final de dezembro, o atestado de esquema vacinal contra a covid-19, para acesso às dependências físicas da instituição de ensino.

O gestor explicou ainda que a Universidade está finalizando normas complementares sobre o tema, com regras específicas para estudantes, docentes e técnicos. Outra iniciativa que está em fase de finalização é a atualização do Protocolo de Biossegurança, conforme a situação atual da pandemia da covid-19.

Entretanto, as regras do Circular não foram específicas se vai ser de acordo com as normas da UFRN ou Prefeitura do Natal. 

Circular desde dezembro estava sendo cobrado

Os estudantes ficaram surpresos quando no dia 1° de dezembro receberam a notícia de que a linha seria cobrada como uma tarifa comum. Tudo começou com um anúncio da vereadora Brisa Bracchi (PT), que anunciou o retorno da linha, uma vez que estava parada desde o início da pandemia. Com a volta muitas pessoas pensaram que seria gratuito. Mas não é bem assim.

Após várias reuniões entre entidades estudantis, Prefeitura do Natal, Seturn e da UFRN, o Circular conseguiu ter a sua gratuidade de volta. 

A origem da linha

Antes de agosto de 1995, o acesso de qualquer parte da cidade ao campus só poderia se
dar através das linhas que entravam no campus, constituindo-se elas: : 02, 04, 08, 18, 60, 72, 79, 30, 31, 63, 45, 26, 77, 73, 33, 29, 03, 53 e 66. Quem era estudante, ninguém pagava pelo busão.

Os números são resultado da pesquisa do Seturn, o Sindicato da Empresa de Transporte, que foi base de pesquisa do João Vinícius Forte de Lima, estudante de Engenharia Civil em sua monografia em 2018.

A gratuidade só foi garantida, portanto, graças a existência da Câmara de compensações tarifárias do município de Natal. As empresas Cidades do Sol e Guanabara, maiores receitas por quilômetros, compensavam as empresas menores.

Entretanto, a Cidade do Sol, que operava a linha 33 e trafegava do campus ao bairro Pitimbu e possuía dois ônibus, propôs a mudança de trajeto da linha 33. Assim, surgiu a linha circular ligando os diversos fragmentos do campus a BR-101, com apenas um ônibus. Tudo isto, com a empresa Cidade do Sol custeando tarifa zero no com recursos utilizados na câmara de compensação de tarifária.

Falamos com a Prefeitura do Natal e a Reitoria

Procuramos a Prefeitura do Natal para saber como vai ser o acordo quando as aulas retornarem presencial em relação ao circular. Mas, não obtivemos a resposta. Já a Reitoria comentou que “a volta das aulas consequentemente aumentará as frotas do Circular”, porém não comentou a quantidade de ônibus e disse que esta resposta só a STTU poderia responder. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.