Que sucesso Letrux fez lá na minha casa, em Natal

Letrux está na minha lista de cantoras favoritas da nova safra de MPB e recentemente esteve em Natal. Desde 2018, eu a escuto e amo a sua voz grave, além de letras que traz acontecimentos dramáticos e um pouco de alívio cômico. De lá para 2022 veio se mostra gigante tanto no tamanho pessoal (eu sentada batia no cotovelo dela) quanto também em seu talento. 

Letícia, Letrux ou Letuce, nome de sua antiga banda. Não importa. Ela está causando de todos os jeitos e em entrevista exclusiva ao Brechando durante o Mada 22 a gente conversou de tudo, desde stand-up até sobre a expectativa para as Eleições 2022. 

“O meu show é muito falado hoje. Não sei como será, porque é um show mais de festival, mais curto. O sentimento de tempo entre as músicas e falar uma história com a plateia. Tento trazer isso ocasionalmente, sai uma historinha engraçada, mas no show depende se a plateia tiver quente ou conto babado”, contou.

Eleição

Claro que não podíamos falar de uma coisa que assumidamente compartilha nas redes sociais, o seu apoio ao presidente Luís Inácio da Silva. Além disso, o próximo domingo, 2 de outubro, ocorrerá a votação do primeiro turno e perguntei sobre as suas expectativas para este momento, que muda sempre a história do país. 

“Acredito que vou explodir, acabei de ver um meme hoje aqui e percebi hoje não estou preparada. Meu corpo explodirá,  virarei uma estrela vermelha”, comentou a cantora, que admitiu que votou sempre no PT.

Perguntei se pensaria que o bolsonarismo iria virar caso não ganha o primeiro turno, ela prontamente tranquilizou e enfatizou o porquê de vencer logo no dia 02 de outubro. “Se a gente não passar no primeiro turno, não vamos esmorecer. Lutaremos, vamos manifestar. Estou confiante. Mas se não rolar a gente não pode esmorecer”, pediu. 

Nova turnê de Letrux começou no Mada 2022 em Natal

A edição do Mada 22 marcou a volta de Letrux aos palcos com a turnê de seu mais novo disco, “Letrux aos prantos”, que teve ser adiada por conta da pandemia do novo coronavírus. Entretanto, a apresentação se destacou pelas performances de teatro (a mulher é expressiva demais)  e o equilíbrio de colocar na set-list os sucessos dos dois discos. 

Além disso, esta é a primeira vez da cantora ao Mada, visto que as outras vezes na capital potiguar foi através do Dosol. “A gente tem uma lembrança de Natal, gosto da praia, pôr do sol, astral, axé e a gente fica muito feliz e animado. O nosso show é cheio de ideias, com bastante fogo e a gente não entra para brincar”, finalizou a cantora. 

Mada 2022

Mada 22 fecha com política e capacitismo de equipe de Linn da Quebrada

Assim como o Lolapalooza e o Rock In Rio, o Mada 22 terminou neste sábado (24) seguindo o mesmo modus operandi: criticar a atual gestão de Jair Bolsonaro. Nomes como Baianasystem, Marina Sena e Linn da Quebrada fizeram questão de criticar o presidente. A parte ruim foi a reportagem presenciar uma situação desnecessária de capacitismo da equipe da cantora Linn da Quebrada, explicaremos no final da matéria.

Primeiramente, eu me atrasei e para jantar na padaria que fecha às 20 horas parecia estar jogando Sonic. Além disso, eu estava louca para ver o Boogarins, em que admiro bastante a psicodelia deles. A gente acreditava que iria perder uns 20 minutos de show, mas quando chegamos na Arena das Dunas, eles tocavam a última música. Isso fez perder o brilho? Não!

Entrevistei a banda e falei um pouco sobre como eles produziram o “Lá vem a Morte”, considerado um dos discos mais caros de artistas brasileiros. Matéria sai em breve.

Depois, veio a banda Afrocidade que, confesso, nunca escutara, mas gostei bastante de sua sonoridade, apesar de ter visto pouco show por missões jornalísticas.

Coletiva de imprensa de Marina Sena

A Marina Sena é uma cantora que está despontando no mercado. O single “Por Supuesto” virou um hit e hoje está na boca do povo, mesmo para falar do seu estilo, da sua voz diferenciada e discordei completamente dos professores de canto do Youtube que a mesma canta péssimo. Sem contar que tocou os sucessos de sua carreira solo como também de Rosa Neon, sua antiga banda. Mas, antes do show fez uma coletiva de imprensa com veículos nacionais e internacionais.

Agora vou transcrever o bate-papo:

Coletiva de Marina Sena no Mada 22

1) (minha pergunta para imprensa, cada repórter tinha direito a uma): Marina, você veio para Natal há seis meses e muita gente ficou apreensiva no show por conta de que a venda de ingresso para seu show virou trending na cidade. Mesmo assim, a apresentação lotou. O que espera agora?

Marina Sena: Olha eu já estou esperando muita coisa, porque daqui (aponta para janela do camarim) vejo que também tem muita gente e o pessoal super animado. Antes, fiz a passagem de som no palco e já amei a energia do festival (primeira vez dela no evento, pois só havia tocado no Dosol), achei lindo. Toda vez que venho para Natal eu fico muito feliz com o movimento das apresentações.

2) Repórter do Yahoo: Durante os festivais você até ficou brincando que as pessoas tiraram foto de sua virilha e isto virou notícia. Como você se sente quando vira notícia, assim como 2018 a Sabrina Sato bombou com a virilha sarada?

Marina Sena: Sério? Chocada? Não sabia que minha virilha seria pauta de alguma coisa. Mas legal, né? Achei tão bom ser pauta.

3) Repórter do Ceará que não entendi seu veículo: No ano passado, você fez show no Ceará e conversou com a nossa equipe alegando que não tinha como mensurar o sucesso do “De Primeira”, pois os shows presenciais estavam voltando aos poucos. Mas chega 2022 e veio o resultado. Qual a importância do retorno dos presenciais?

MS: Acho que está junto com o público é a melhor coisa de mensurar como está a repercussão do meu trabalho. Ver na internet é legal, mas pessoalmente é melhor. Viver a coisa, sentir o pulsar e acho importantíssimo eventos como esse aqui.

4) Repórter do UOL pediu para Marina Sena gravar um quadro no Instagram sobre quem vai bombar no verão e ela prontamente respondeu:

Eu acho que a pessoa já está bombando, mas vai bombar muito no verão. E não é pouco. Será a cantora Rachel Reis.

Pulou Don L foi? Vai falar dele não?

Não, após a coletiva de Marina Sena apreciei o show que fez todo mundo do Mada parar e ver que o rap nordestino cresce. Além disso, ele foi um dos políticos que puxou o coro de “Fora Bolsonaro” e ressaltou a importância de vencer logo no primeiro turno, alegando ser “acabar com o mal pela raiz”.

O rapper não quis dá entrevista para imprensa. Entretanto, o jornalista Gustavo Guedes, do portal “Por Dentro do RN”, registrou uma imagem dele no meio da galera.

https://twitter.com/gstvgds/status/1573915091149496321?s=46&t=m88Q62LXcHTTKNVJPKq2gA

Mayra Andrade me impressionou muito neste Mada 22

Falei no dossiê que uma das apostas do festival deste ano foi a cantora de Cabo Verde, a Mayra Andrade. Entretanto, a sua voz e seu estilo me surpreendeu positivamente, com uma banda afinada, cantora que equilibra bem o sampler e seu canto, além de ter um lindo conhecimento da música brasileira. Achei um dos covers mais bonitos de “Lamento Sertanejo”, de Gilberto Gil.

Além disso, ela tem um som eclético que é gostoso de usar, tanto que já comecei a seguir e escutar mais esta jovem.

E vamos falar de Baianasystem

O Baianasystem novamente no Mada e mais uma vez trabalhando a importância de debater as causas políticas durante shows, para o desespero das pessoas que não gostam de falar desses assuntos. No Mada de 2019, o cantor Russo Passapusso enfatizou que todo ato é político e principalmente durante o show precisa ser dito isso.

O show misturou com músicas do último disco, mas também ressaltou os direitos humanos, moradia digna, melhorias na América Latina e, claro, falar das eleições que acontece no próximo domingo (2). “Quem gostou faz o L”, disse.


Quer saber como foi o evento? Confira as fotos de João Pedro Rebouças a seguir.

Mada 2022

Dossiê Mada 22: O que você vai ter

Após dois anos em inatividade, o Mada está de volta em 2022. O próximo fim de semana, a Arena das Dunas vai receber dois palcos lado a lado com os mais diversos nomes da MPB. Claro que o Brechando vai fazer uma nova cobertura. Para começar o dossiê, vamos falar dos artistas que estão participando.

Onde comprar o ingresso

Os ingressos estão nos finalmente e para comprar só acessar o seu link do Sympla.

Aposta Mada 2022: Mayra Andrade

A cantora Mayra Andrade

O festival tem a fama de revelar novos artistas, como Duda Beat, Detonautas, Jade Baraldo, Tulipa Ruiz e outros nomes firmaram a fama participando do evento. Agora, a bola da vez é a cantora de Cabo Verde, Mayra Andrade, que está em turnê inédita pelo Brasil com o disco “Manga”. A artista radicada em Portugal já cantou com nomes célebres como Cesária Évora, Charles Aznavour, Gilberto Gil e Criolo. Sua música mescla suas raízes com as batidas do afrobeat, reggae, dancehall com letras em português e crioulo cabo-verdiano. Além disso, ela passou por diferentes cidades no país e encerra sua primeira turnê brasileira por Natal.

Este não é o primeiro show internacional do Mada, visto que eles receberam o Franz Ferdinand.

Emicida, Letrux, Marina Sena, Baiana System e Glória Groove de volta as terras potiguares

A cantora Marina Sena

O Emicida (SP) traz o elogiado show “AmarElo”, que tem a música de mesmo título e utiliza sampler uma das músicas mais famosas de Belchior. Também bastante festejada, a cantora Gloria Groove (SP) desembarca com o show Lady Leste. A última vez de Glória foi, no entanto, no Carnaval de 2020, sob a organização da Prefeitura do Natal.

Após participação no Festival Dosol, a Letrux (RJ) mostrará canções de “Letrux aos Prantos”. Diferente do álbum de estreia, “Letrux em Noite de Climão” (2017), o novo trabalho reduz a velocidade para mergulhar nos sentimentos.

Após o sucesso em abril, a Marina Sena (MG) volta as terras potiguares chega com seu elogiado “De Primeira”, no qual a música “Por Supuesto” tornou-se um sucesso e, por conseguinte, ganhou repercussão em redes sociais e plataformas digitais.

A Bahia chega em revoada: BaianaSystem (BA), nome queridinho do MADA, volta com seu navio pirata misturando guitarras baianas, dub, samba do Recôncavo e soundsystem da Jamaica. Músicas dos discos “Oxe Axé Exu”, “Duas Cidades” e “O Futuro Não Demora” estarão no show.

Em 2019, o Brechando entrevistou o BaianaSystem, clique aqui para ler.

Djonga na área novamente

O rapper Djonga (MG) aponta sua lírica afiada para falar de sentimentos e críticas sociais no disco ‘NU’, lançado em 2021, além das faixas que viraram sucessos das produções ‘Heresia’, ‘O Menino Que Queria Ser Deus’, ‘Ladrão’ e ‘Histórias da Minha Área’. Da nova geração das rimas chega Don L (CE), cujo álbum “Roteiro Para Ainouz” lhe rendeu duas indicações e ainda mais contou com uma vitória no APCA e uma estatueta do Prêmio Arcanjo de Cultura. 

Saindo do BBB, Linn da Quebrada chega ao Mada

Mada 2022
Mada acontecerá novamente no Arena das Dunas

Na mesma mistura de sonoridades dançantes, a artista multimídia Linn da Quebrada (SP) traz no repertório músicas do álbum Pajubá e o mais recente “Trava Línguas”. Além disso, a artista ficou conhecida pelo público por sua participação no BBB 22.

O Boogarins (GO) explora a neo psicodelia do rock brasileiro, uma vez que passea por sonoridades tropicalistas e o indie rock. O show é centrado nos discos “Manchaca Vol. 1” e “Vol.2”. e os  sucessos dos álbuns anteriores. Na mesma pegada, porém influenciado pelo pop, a Terno Rei (SP) traz o álbum “Gêmeos”. 

Atrações potiguares

Luisa e os Alquimistas (RN) volta à sua terra para lançar o inédito álbum “Elixir” e ocupar o posto de primeira potiguar headliner na história do festival. A banda ganhou estrada após o aclamado “Jaguatirica Print”, lançado em 2020, via Natura Musical. Além disso, a potiguar Potyguara Bardo leva ao palco do Festival MADA a atemporalidade do disco “Simulacre”.

Mais natalenses marcam presença no festival

A banda Uma Senhora Limonada faz seu passeio pelo pop, rock, folk e elementos regionais. Assim como o Projeto Retrovisor, formado por grandes cantores e compositores locais que se juntaram há mais de dez anos para criar de forma coletiva. O rapper Cazasuja recebe Amen Ore e ainda mais haverá o grupo Fortunato e Os Jovens de Ontem convida a orquestra Frevo do Xico.

É para morgar pós Mada 2022? Não, tem After

Na programação paralela estão de volta a Feira Mix e o After MADA, que na sexta-feira (23) embala a turma inimiga do fim com discotecagens das clubbers Janvita b2b, Elisa Bacche e Pajux b2b Iguia T. E no sábado (24), com Danilo Kauan e convidados.

Confira a programação completa do Mada 2022

SEXTA 23/09

Apoio | Prefeitura do Natal e InterTV

Realização | MADA Produções 

LINE UP

SEXTA 23/09

18h30 – V Motta FEat A.V.S. e Fernanda Azevedo

19h – Cazasuja feat Amen Ore

19h30 – Projeto Retrovisor

20h – Josyara

20h40 – Terno Rei

21h20 – Potyguara Bardô

22h10 – Letrux

23h – Emicida 

00h30 – Glória Groove

01h30 – Djonga

02h30 – Janvita B2B Elisa Bacche (after)

03h – Pajux B2B Iguia T (after)

SÁBADO 24/09

18h20 – Fabiano Nasi

18h50 – Uma Senhora Limonada

19h20 – Fortunato e os Jovens de Ontem convida Frevo do Xico 

20h – Boogarins

20h50 – Afrocidade

21h40 – Don L

22h30 – Marina Sena

23h30 – Mayra Andrade 

00h30 – BaianaSystem

01h50 – Luísa e Os Alquimistas 

02h50 – Linn da Quebrada

03h40 – Baile do DK