Covid-19 em 9 meses

12 fatos que sabemos sobre Covid-19 em 9 meses

Poderia ser um diário de gravidez ou relatando algum parto. Mas, foram 270 dias que boa parte das pessoas deste país estão em casa, fazendo todos os seus trabalhos e encontros à distância por conta de um inimigo invisível. Este inimigo invisível, no entanto, tem nome e sobrenome: Sars-Cov-2. Entretanto, vocês a conhecem como Covid-19 ou pelo nome de Coronavírus.

Sim, nós estamos acompanhado a Covid-19 em 9 meses.

Mas, afinal, o que sabemos desta doença tão perigosa? Utilizando o jornalismo de dados e usando base os dados da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) vamos divulgar estas informações. Ainda mais vamos divulgar dados do Ministério da Saúde.

Além disso, serão 12 informações sobre a doença que está começando a piorar novamente. E, o mais importante, mais do que nunca temos que manter a higiene e evitar aglomerações.

1) A Gripe Aviária pertence a mesma família do Covid-19

Sim, elas pertencem o mesmo grupo de vírus. Primeiramente, a MERS-CoV foi identificado em 2012 como a causa da síndrome respiratória do Oriente Médio (MERS). O SARS-CoV foi identificado em 2003 como a causa de um surto de síndrome respiratória aguda grave, que começou na China cerca de no fim de 2002.

Mas, as três são síndromes respiratórias bastante agudas e precisam de cuidados.

2) Não é uma gripezinha, pois pode trazer sequelas para sobreviventes em casos mais graves

Muitos tratam a gripe como uma doença simples ou fácil de curar, embora nós sabemos que um simples descuido pode levar a morte, uma vez que mexe com o nosso sistema respiratório. Já o Covid-19 pode mexer com outras funções do corpo.

Além de problemas com o trato respiratório, como tosse, dispneia, coriza, e dor de garganta, outros sintomas consistentes incluindo, mialgias, distúrbios gastrointestinais (diarreia/náuseas/vômitos), perda ou diminuição do olfato (anosmia) ou perda ou diminuição do paladar (ageusia).

Em casos mais graves, o paciente pode perder a oxigenação e precisar ser entubado para que mantenha o oxigênio do seu corpo, gás importante para nos manter vivo.

3) Afinal, quem foi o paciente zero no Rio Grande do Norte?

O paciente zero do Covid-19 foi constatado em 12 de março de 2020, quando um casal retornou de uma viagem à Europa e assim registrou o primeiro caso no Rio Grande do Norte.

4) Estes são os dados do RN com Covid-19 em 9 meses

Meses Casos Confirmados Morte
Março 469 5
Abril 2629 62
Maio 14.589 363
Junho 22.189 830
Julho 16.473 719
Agosto 9952 311
Setembro 7194 140
Outubro 8236 90
Novembro 14.806 468
Dezembro (Até 14/12) 2132 69

5) Não existe imunidade para quem contraiu a doença

O primeiro caso de reinfecção foi confirmado no Rio Grande do Norte. É uma paciente que reside em Natal. A mulher, de 37 anos, é profissional de saúde e atua nos estados do Rio Grande do Norte e da Paraíba. Além disso, o caso é considerado o primeiro de reinfecção por ser o único até o momento a constatar a presença de linhagens distintas do vírus SARS-CoV2 nas amostras coletadas e analisadas por todos os protocolos definidos pelo Ministério da Saúde.

6) Os piores estados de Covid-19 no Brasil ainda está em São Paulo

Os estados de São Paulo, Minas Gerais e Bahia são os maiores casos da doença em dezembro deste ano. O valor de infectados em SP no 12º mês de ano é 90% a mais que no Rio Grande do Norte em nove meses. Ou seja, quanto mais gente, mais rápido o vírus prolifera.

7) As piores cidades do Rio Grande do Norte com casos são Natal e Mossoró

As duas maiores cidades são também as maiores com números de pessoas doentes, sendo que em Natal tem 31.119 casos confirmados e 9780 em Mossoró.

8) Todas as 167 cidades potiguares já tiveram contato com o Covid-19 em 9 meses

Não existe alguma cidade que escapou do Coronavírus, todas as cidades já registraram a doença em maior ou menor grau.

9) 3% dos potiguares já foram infectados pelo novo coronavírus

O estado tem mais de três milhões de habitantes, mas apenas 3% já pegou o novo coronavírus, embora todas as cidades tenham registros da doença.

10)Ao todo, o Rio Grande do Norte em 100 mil casos confirmados

Em nove meses, o RN tem 100 mil caos confirmados, quase o equivalente ao número de mortos neste período durante todo o Brasil. No entanto, o número de mortes, até o momento é quase 3 mil pessoas. O equivalente à 0,1% da população potiguar.

11) Duas cidades do RN só apresentam 13 casos de Covid-19 em 9 meses

São dois municípios que registram apenas 13 casos, respectivamente, que são Jardim de Angicos e Pedra Preta. Além disso, a cidade de Venha-Ver está na colocação com a menor quantidade de doentes, uma vez que apenas 21 pessoas tiveram.

12) 26 cidades não tem número de mortes

As cidades foram, por sua vez, São José do Seridó, Galinhos, Vila FLor, Frutuoso Gomes, Pilões, Martins, São Vicente, Rafael Godeiro, Francisco Dantas, Lucrécia, Serrinha dos Pintos, Viçosa, Almino Afonso, Timbaúba dos Batistas, Tenente Laurentino Cruz, Senador Elói de Souza, Riacho de Santana, Passagem, São Bento do Norte, João Dias, Santana do Seridó, Equador, Ipueira, Bodó, Jardim de Angicos e Pedra Preta.

E, aí, como você está se cuidando? Deixe aqui, portanto, o seu comentário e não deixe de acessar o Brechando.com.

Camarones

Camarones lança um EP coletânea em 2020

Em meio a quarentena, alguns artistas estão tentando manter a criatividade para não pirar. O Camarones, tradicional banda de instrumental de Natal, lançará o EP “Barulho”, cujo objetivo é homenagear as principais influências e apresentar trechos ou versões de músicas que a banda já lançou.

“Vira e mexe nos convidam para gravar faixas pra tributos e isso vem acontecendo desde que começamos nossas atividades. Resolvemos reunir esses takes num ep como forma de agradecimento por essas bandas existirem”, disse Anderson Foca.

Foca é guitarrista do grupo e um dos desenvolvedores do Dosol, selo e produtora cultural. Além disso, também organiza o festival Dosol.

No EP sairão, por conseguinte, versões de B-52s, a nacional Autoramas, Ramones, Link Wray, Dead Kennedys e Ray Parker Jr, conhecido por ser o intérprete da música-tema do filme “Os Caças-Fantasmas“.

“O mais legal desta coletânea é que ela pega todos os períodos da banda e também reflete um pouco do que nos ajudou a formatar o Camarones. Tem trilha de filme, surf music, punk rock. Juntando esse caldeirão chegamos no nosso som“. diz Ana Morena, baixista, uma das líderes do Dosol.

No mês passado entretanto eles já lançaram o “Holiday In Cambodia”, uma das músicas do Dead Kennedys, do álbum “Fresh Fruit for Rotting Vegetables”, que completa 40 anos em 2020. Confira portanto a seguir:

Sobre o Camarones

O Camarones Orquestra Guitarrística é uma banda de rock instrumental criada no final de 2007. Tem seis discos lançados e conta com uma extensa videografia com clipes, shows ao vivo e documentários de turnês. Com mais de 10 anos de carreira a banda segue intensa atividade com inúmeras turnês pelo Brasil, Sul-América e Europa.

Dentre os principais festivais que participaram foi: Primavera Sound (ESP), Liverpool Sound City (UK) e Rock in Rio (RJ), Bananada (GO), Se Rasgun (PE). Em setembro de 2018, se apresentou no projeto Sansung Best of Blues com Tom Morello (Rage Against the Machine) e John5 em São Paulo e Porto Alegre.

A banda é formada por Ana Morena (baixo), Anderson Foca (guitarra), Yves Fernandes (Bateria) e Alexandre Capilé (guitarra).

O último álbum foi “Surfers”, em 2019, no qual passeiam entre várias vertentes do rock e ritmos dançantes, como: cumbia, rock steady e surfmusic.

Cabelo roxo

Oi, resolvi pintar meu cabelo sozinha na quarentena

Pintei o cabelo sozinha na quarentena. Já falei que sempre gostei de cabelos coloridos, mesmo que eu tenha 80 anos, se o Coronavírus não me matar, pintarei os cabelos coloridos. Sempre gostei fugir um pouco do meu castanho escuro, apesar de adorar pintar de preto.

Desde adolescente, eu me aventurava em pintar com papel crepom, depois veio as tinturas e, por fim, eu evitei colocar cores fantasia por algum tempo. Até chegar 2017 e precisei por passar algumas mudanças consideradas bem bruscas. E foi assim que voltei a ter meu cabelo colorido. E gosto dele assim, pois mostra minha personalidade. No início do ano, contudo, fiz algumas luzes e depois do carnaval entrei na quarentena.

Além disso, estava numa fase que nem podia ir ao salão de beleza e tinha medo de arriscar. Então, como não falhei em pintar sozinha o cabelo de azul no ano passado, resolvi descolorir em casa.

É uma aventura bem arriscada e foi a primeira vez que usei a química toda no cabelo, depois de anos fazendo relaxamento que tirei no ano de 2014. Com muita cautela e cuidado, consegui destruir o cabelo numa menor intensidade e meus cachos foram intactos.

Procedimento todo feito em vídeo

Caso minha loucura desse certo, eu registrei em vídeo todo o procedimento capilar até chegar nos tons de roxo e rosa que estão até hoje, após dois meses de ter feito essa aventura. Ainda estou na dúvida se vou retocar. Eu pintei porque estava entediada na quarentena, fim de semana não tem balada por motivos óbvios, tinha feitos as obrigações do lar e assim, a gente resolve fazer loucuras para se sentir viva, enquanto o mundo está acabando.

“Afinal, se vou morrer, que eu morra coloridinha”, dizia.

Depois, eu vi que muita gente na rede social deixou de se depilar, raspou a cabeça, pintou o cabelo e se arriscou nesta vida de cabeleireira.

Só vou postar esse vídeo, porque o resultado deu certo para mim e você precisa conhecer o seu tipo de cabelo para não fazer alguma besteira. Meu cabelo tava pintado, mas para atingir o roxo, eu precisava descolorir muito, então tive todo cuidado. Na primeira descolorida, eu coloquei água oxigenada 40 volumes, porque queria ficasse bastante loiro. No entanto, o resultado ficou parecendo que estava ruiva, precisava que ficasse bem loiro.

Esperei um pouco, sequei o cabelo e coloquei água oxigenada de 30 volumes, que não é tão forte que a primeira citada e não demoraria muito para chegar ao loiro que precisasse para absorver a tinta. Todo esse procedimento está em vídeo e você, confere, portanto a seguir:

Algumas fotos do meu cabelo pintados de roxo

Apesar de não está tirando muitas fotos, eu fiz algumas selfies de como ficou o resultado do cabelo. Veja a seguir:

Nightbird

Nightbird estimula escutar artistas do RN na quarentena

O selo Nightbird Record, liderado pelo artista potiguar, Luan Bates, lançou uma coletânea de artistas potiguares para escutar na quarentena e mostrar que os artistas ainda estão trabalhando, embora as coisas estejam mais difíceis. O nome do álbum se chama “Canções de Isolamento” e foi lançado no mês passado.

“Pensando nas limitações causadas pela pandemia do COVID-19, o álbum foi organizado primeiramente em prol de um direcionamento às bandas e artistas com materiais disponíveis para divulgação, mas com recursos e articulações restritas devido a conjuntura atual. Ressaltando a importância da coletividade para encontrar soluções viáveis de produção e difusão de novos trabalhos, músicos e membros da Nightbird uniram-se para concretizar a ideia do disco”, disse Luan para a imprensa potiguar.

Confira os artistas da coletânea do Nightbird para escutar nesta quarentena

Foram selecionados três artistas para escutar neste período para escutar enquanto os nossos corações apertados. Confira a seguir:

Lizia

Apesar do estilo Tumblr e as letras potiguares, Lizia Santos é uma garota natalense. Se lançou como artista inicialmente em 2017 com seu álbum “Unfocused”, lembrando artistas como Lorde e Birdy. Na coletânea, ela colocou a música extra, chamada de “Mother Hearth”.

De Lima

Delima é rapper e tem suas faixas fincadas nas batidas e rimas. ele escreve quando está entediado ou triste, esperando que alguém do outro lado se identifique com seus sons. No final de 2019, resolveu tirar algumas coisas do papel e buscou beats com a finalidade de fazer música; o resultado de uma delas é “Só Mais um Dia Ruim

Marinheiro Porre

O Marinho Porre surgiu em 2016 e é natural de Parnamirim, formada por Marcos Mar, Matheus Dilma, Kevin Arend e Marcelo Maroja. Suas influências são a psicodelia dos anos 60 e 70, como The Who, Zé Ramalho, Pink Floyd, Mutantes, Ave Sangria e dentre outros.

Ano passado, eles lançaram um EP, intitulado de “Jornada”.

Outros artistas

Juntamente com nomes do casting da gravadora, “Canções de Isolamento” reúne 13 faixas de 11 artistas/bandas de diferentes gêneros. O registro passeia pela melancolia instrumental de Danillo Veloso, o “rock triste” de Rommel e das bandas Jxvxns e Vulgo Montreux, o sopro acústico de Marcos Mar e Marinheiro Porre, o new metal da Devilink, e não podia faltar Boats e Luan Bates, com novas composições gravadas na produtora Fu.ga.

Capa do disco

A capa do álbum foi elaborada pelo artista visual Filipe Marcus, também possui como nome artístico Filipe Anjo, conhecido por fazer capas de livros, cartazes de festivais alternativos e é uma figura carimbada nos eventos de Natal. Além disso, ele é conhecido por ser um dos vocalistas da banda Joseph Little Drop, conhecida por Natal pelo seu punk José.

Outras atividades do Nightbird

Mesmo com a quarentena, o selo de Luan Bates e companhia não vai parar, mesmo não podendo fazer eventos físicos. Esta era marca o início de um período prolífico da Nightbird Records em termos de produções, com uma série de lançamentos dentre podcasts, webséries, discos e singles previstos para o segundo semestre de 2020.

Onde escutar o disco

Para escutar o álbum, portanto, é só acessar o link a seguir: smarturl.it/nbrdisolamento