Ribeira e Cidade Alta

Tempo de leitura: 2 minutos

O fotógrafo João Oliveira lançará seu primeiro livro fotográfico. Eventualmente é o resultado de uma pesquisa de quatro anos sobre a Ribeira e Cidade Alta. Durante p estudo, ele percebeu o abandono da memória, além da deterioração de prédios antigos.  Ele definiu estes espaços como: “Um espaço de ruínas vivas, onde o tempo insiste em caminhar lentamente”. Assim surgiu o livro, “Onde se esqueceu de lembrar”, no qual será distribuído em formato de e-book. Entretanto, haverá uma edição física que lançará em breve.

Urbanismo desenfreado foi o motivo para pesquisa

De acordo com João Oliveira, Natal é uma cidade em que a urbanização predatória avança, sem piedade, sobre a memória. A pesquisa documenta uma Natal que ainda se conecta com outro tempo, outro ritmo. Nas fotos, as ruínas acabam contrastando com a vida que nunca abandonou esses bairros. Enquanto o tempo engole o patrimônio material, a vida insiste em ocupar esses territórios quase como um aviso de que nem tudo deve se esquecer.

Sejam os pescadores que, desde a fundação da cidade, ainda usam o rio Potengi como espaço de sobrevivência, seja a boemia dos bares que ali sempre estiveram, e que nem tão cedo dali sairão. Existe um interesse evidente do autor em denunciar o processo de abandono desses lugares, mas também se conectar com a história que ali resiste, e com seus personagens.

Confira algumas fotos que estão, portanto, no livro a seguir.

Como foi a pesquisa

“A pesquisa aconteceu nos bairros históricos de Natal entre 2017 e 2020, uma vez que a finalidade era revistar locais que marcaram o início do desenvolvimento da cidade. Além disso, entender a relação da urbanização e o esquecimento, que se confunde com a resistência do local em permanecer existindo. Um lugar no qual o tempo caminha lentamente”,  explica Oliveira na apresentação do livro.

Você pode ler também:  Sobre Cidade da Esperança: primeiro conjunto habitacional da cidade

“Onde se esqueceu de lembrar” acaba mostrando também o estopim o fim do patrimônio e a indiferença do poder público e natalenses.  As fotos, de maneira despretensiosa, portanto, ativam questionamentos sobre o quanto conhecemos da nossa própria história. E, inclusive, de importamos em preservar essa parte do nosso passado.

Publicado pelo Margem Editorial, em parceria com a editora Caule de Papiro, o livro e e-book contam ainda com patrocínio da Lei Aldir Blanc, através da Prefeitura do Natal e Governo Federal.

Brechando já falou sobre a origem de Cidade Alta

Para quem estudou um pouco a história da capital do Rio Grande do Norte, os primeiros bairros de Natal foram a Ribeira e a Cidade Alta. O nome Ribeira é meio óbvio, porque surgiu as margens do rio Potengi.  É um local sempre lembrado pelo comércio e nos anos 90 pelos eventos culturais da cidade. Conhecido como Centro de Natal. Área é cheia de prédios históricos e áreas comerciais. Mas, como surgiu com esse nome? Foi por causa das ladeiras da Av. Rio Branco?

Por isso, eu fiz um vídeo para explicar um pouco sobre o assunto e você pode assistir a seguir:


Post Anterior | Próximo post

Deixe uma resposta

Clique na imagem abaixo para comprar o nosso livro

Você ainda não leu a revista do Brechando? Clique no link a seguir e leia um conteúdo exclusivo.

Sobre a autora

Jornalista formada pela UFRN, criou o blog em 2015 e não esperava que fosse fazer altas brechadas sobre Natal-RN e outras cidades que visitou. Gosta de trabalhar com a internet, mídias sociais, fotografar e escrever. Clique aqui para saber mais sobre mim.

Desenho: @umsamurai

Brechando Vlog

Arquivos

Calendário

abril 2021
S T Q Q S S D
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930  

Categorias