Mercado de Natal

Tempo de leitura: 2 minutos

Calmo, embora revelando uma fisionomia marcada pela exaustão, consequência das emoções vividas na noite da tragédia, o sr. Valdir Furtado, contou a sua versão do sinistro.

Diz o Diário de Natal, no dia 31 de janeiro de 1967.

Na madrugada de sábado para domingo aconteceu  um grande incêndio destruiu o Mercado Público Municipal, localizado na Avenida Rio Branco, no bairro Cidade Alta, zona Leste de Natal. Na época, Natal não havia supermercado e os mantimentos eram comprados neste mercado público. Por isso, lá vendia todos os produtos possíveis e impossíveis de se imaginar.

Além disso, os vizinhos ficaram assustados que o fogo atingisse as suas casas e as lojas vizinhas.  No Diário de Natal, o Valdir Furtado pediu para o proprietário das Casas Cardoso, o Sebastião, que morava perto, para ligar para o Corpo de Bombeiros, uma vez que tinha telefone na sua casa. Ao mesmo tempo, ligava para a Polícia Militar, pois eles não sabiam controlar o fogo.

O incêndio também atingiu a Casa das Aves, a avicultura que ficara atrás do Mercado de Natal, no qual também realizou perda total.  Além disso, para evitar mais desastres a Casa Porcino conseguiu há tempo tirar pólvora, uma vez que vendiam armas de fogo na época.

Alguns comerciantes alegaram que teve prejuízo de 270 milhões de cruzeiros. O Geraldo Etelvino de Medeiros, que futuramente criaria o Nordestão, tinha uma mercearia e sapataria no Mercado, havia perdido tudo. Como resultado, os comerciantes acreditaram numa sabotagem e incêndio criminoso, apesar do Valdir Furtado ter alegado que viu pane elétrica na rua antes de ocorrer o fogo.

Na época, a Polícia Militar disse que não havia como fazer a perícia. A seguir, portanto, o retrato do Diário de Natal um dia após a ocorrência do incêndio.  Clique na imagem para ver ampliado e melhor.

 

 


Você pode ler também:  12 anúncios de carros e variados em Natal nos anos 40

Post Anterior | Próximo post

Deixe uma resposta

Clique na imagem abaixo para comprar o nosso livro

Você ainda não leu a revista do Brechando? Clique no link a seguir e leia um conteúdo exclusivo.

Sobre a autora

Jornalista formada pela UFRN, criou o blog em 2015 e não esperava que fosse fazer altas brechadas sobre Natal-RN e outras cidades que visitou. Gosta de trabalhar com a internet, mídias sociais, fotografar e escrever. Clique aqui para saber mais sobre mim.

Desenho: @umsamurai

Brechando Vlog

Arquivos

Calendário

abril 2021
S T Q Q S S D
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930  

Categorias