árvore de Natal

Não fui à abertura da árvore de Ponta Negra, mas fiz a minha árvore de Natal

Na sexta-feira, 18 de novembro, a Prefeitura do Natal acendeu a primeira árvore de Natal da cidade, que fica no bairro de Ponta Negra, na marginal da avenida Engenheiro Roberto Freire, próximo aos restaurantes Rachid’s e Curió. Além disso, será acesa outra a árvore, em Mirassol, que onde vai ter eventos e a famosa feira com a presença de Food Truck.

Sem contar que a iluminação da cidade já está começando, algumas luzes já estão nos postes da cidade, mostrando o clima natalino. Além disso, as árvores de Natal estão a venda em todo vapor e os acessórios. Foi isso que aconteceu comigo.

Como o fato de não cobrir o evento na zona Sul de Natal, resolvi mostrar os bastidores de como foi a montagem da minha árvore na minha casa, pois há mais semelhanças no Município aqui em casa do que se parece.

Natal na minha família é festa todo dia, começando pela árvore de Natal

Para quem já viu meu Instagram pessoal, as festas de Natal são feitas com muito vigor e o mês de novembro era de muita preparação, com muitas decorações e nesta sexta foi o dia de montar a árvore. Afinal, Jesus Cristo, minha mãe e a cidade fazem aniversário no mesmo dia.

Todo o processo gravei em vídeo e o resultado está no ar. Dê o play, portanto, a seguir.

Capitania das Artes

Uma foto da Capitania das Artes quando ainda era Capitania dos Portos

Nas fotos antigas raramente mostram como era a Capitania das Artes antigamente, somente como era ela apenas com a fachada em pé e um terreno abandonado. Mas, tudo mudou graças aos outros amantes da história da capital potiguar.

Vocês podem perceber que todo o prédio mais a fachada ainda estava intacta. A foto em questão achei no perfil do Instagram “Fatos e Fotos Natal das Antigas”, do jornalista Adriano Medeiros. Na mesma publicação, ele conta um pouco da história do prédio. Além disso, teve outras funções além de ser sede da Capitania dos Portos, sendo uma delas a sede do governo provincial até 1862.

É uma edificação em estilo neoclássico, tendo como elemento mais forte a fachada, que se caracteriza pela simetria, ritmo dos cheios e vazios e pelos frontões que a compõem.

No dia 12 de agosto de 1873, foi instalada a Companhia de Aprendizes de Marinheiros, em prédio próprio na margem direita do Potengi. Ao que tudo indica, foi ampliado o velho palácio presidencial. No local, a Companhia funcionou de 1873 a 1885 e, novamente, de 1890 a 1898.

Demolido o velho casarão, no mesmo local foi edificado um novo prédio que serviu de sede à Capitania dos Portos até o ano de 1972 (nota do editor: onde construiu o prédio da foto acima). O prédio abandonado ficou fadado à destruição, pela ação do tempo e do abandono. Somente em 1972, a sede foi transferida para a Rua Chile, 232, Ribeira, onde funciona até hoje. A transferência ocorreu devido à necessidade do ao acesso ao mar, coisa que não existia na antiga sede.

Adriano Medeiros sobre a Capitania das Artes

O prédio, teve o tombamento pela Fundação José Augusto (FJA) no dia 11 de agosto de 1988, foi revitalizado pela Prefeitura do Natal, através do projeto de restauração elaborado pelo arquiteto João Maurício de Miranda, que recuperou os elementos que compõem a fachada principal do edifício.

A capitania ficou pronta em 1992 e faz parte do chamado Centro Histórico ou Corredor Cultural. Além disso, a fachada do prédio foi a única peça que permaneceu de pé, resistindo e desafiando o tempo.

Natal Proclamação da República

Quando Natal comemorou os 50 anos da Proclamação da República

O dia 15 de novembro de 1939 a cidade do Natal comemorava os 50 anos da Proclamação da República. Por isso, a cidade parou para a realização de algumas festas, principalmente na Praça Pedro Velho (foto acima), que, na época, eram comuns de acontecer, misturando religião, música, esporte e dentre outras atividades. Achamos uma reportagem do jornal “A Ordem“, sob a organização da Igreja Católica, que fala um pouco dos eventos.

Confira o trecho que fala sobre o que Natal faria para comemorar a Proclamação da República:

Nesta capital, várias solenidades serão levadas a efeito em comemoração ao cinquentenário da República. Para comemorar a data foi organizada o seguinte programa:

7 horas- Missa campal na Praça Pedro Velho, celebrada pelo bispo Diocesano.

8 horas – Hasteamento da Bandeira Nacional no coreto da Praça Pedro Velho. Continência por um guarda de honra de um companhia constituída pelo 1º Pelotão da Escola de Aprendizes de Marinheiro, 1º Pelotão do Batalhão de Caçadores e 1º Pelotão da Polícia Militar.

8h30 – Juramento da Bandeira pelos alunos da Cia. Quadros do 31º Batalhão de Caçadores.

10 horas – Visitas aos túmulos dos propagandistas da República do Rio Grande do Norte.

14 horas – Reunião solene do Centro Estudantil Potiguar no Atheneu Norte Rio-grandense.

16h30 – Concentração na Praça Pedro Velho das Escolas. Forças, Escoteiros e povo. a ) Hino Nacional; b) Oração ao dr. Paulo Viveiros; c) Arriamento da Bandeira ao som do Hino da República.

A Ordem, publicado em 14 de novembro de 1939.

Além disso, também houve uma corrida de regatas com a organização do Sport Club de Natal, onde os atletas do Centro Naútico Potengi e a Escola Aprendizes de Marinheiro disputaram sob as águas do Rio Potengi.

A manchete do jornal da época era essa daqui:

Natal Proclamação da República

Assim como Natal, Getúlio, que era presidente e no Estado Novo, comemorou os 50 anos da Proclamação da República

As comemorações dos 50 anos da Proclamação da República aconteceram no âmbito nacional, embora estivesse no período do Estado Novo. Apesar disso, a Ordem publicou que Getúlio Vargas fez um discurso favorável ao dia, como mostra a manchete abaixo.

Natal Proclamação da República

E o que vocês acharam desta curiosidade? Deixe aqui, portanto, o seu comentário.

Significa Caicó

O que significa o nome Caicó

Pouca gente sabe o que significa o nome Caicó, que é uma das maiores cidades do Rio Grande do Norte e tem quase 70 mil habitantes. Além disso, tem o 5º melhor Índice de Desenvolvimento Humano, a famosa sigla IDH. Mas, você sobe o seu nome?

Por isso, o Brechando foi atrás para saber um pouco mais do batismo deste nome, cuja escrita original é Queicó.  

A cidade surgiu em torno de uma base militar e também de pessoas para a criação de gado. Em 1700, surgiu o Arraial de Queiquó. E, após 30 anos, elevou-se para povoado. Mas, por um tempo, recebeu o nome de Vila Nova do Príncipe, em homenagem ao Dom João VI. Em 1868, surgiu a Cidade do Príncipe e posteriormente para Cidade do Seridó. Mas, em 7 de julho de 1890, voltou para Caicó, com objetivo de eliminar as marcas do Império pelos republicanos.

Agora, vamos falar a origem do seu nome.

Uma de suas teorias

Não se sabe ao certo a origem do nome de Caicó, somente sabe que tem ligação com os primeiros habitantes da região. A tribo Caicó vinha da família indígena dos Cariris, que alguns especialistas apontam que o significado é “macaco esfolado”, nome que eles davam aos inimigos. Outros dizem ser mato ralo, por conta da geografia da região.

Ainda tem outras teorias sobre o que significa Caicó

As teorias não param por aí, uma vez que o pesquisador Olavo de Medeiros Filho traz relação com uma ave comum da região que comia as serpentes próximo da casa-forte de cuó (base militar dos colonizadores que falamos acima) e do rio Acauã. Como resultado, as palavras “acauã” e “cuó” seriam sinônimos, a primeira forma em tupi e a segunda em tarairiu e ambas as formas designavam o pássaro que dava nome ao rio e à região. Considerando a partícula “quei” como sendo “rio”, rio Acauã seria o mesmo que “Queicuó”, posteriormente Caicó.

Outra versão é defendida por Câmara Cascudo, que refere sua gênese a partir dos termos “Acauã” e “Cuó”, que servem à designação de acidentes geográficos (rio e serra, respectivamente). “Acauã” pertence à língua Tupi e “Cuó”, ao dialeto dos tapuias e tarairius. Tais tribos ainda identificavam o rio pelo termo “quei”, o que sugere que Caicó seja uma corruptela de “Queicuó”, o mesmo que rio do Cuó.