Patrício Júnior Mestre Nilo

Tempo de leitura: 3 minutos

Patrício Júnior e umas das figuras importantes do selo Jovens Escribas. Agora, saindo um poucos das letras para dirigir audiovisual. Nesta quarta-feira (30), para fechar julho, acontece o lançamento de seu trabalho inédito, “Minha Nação – Um filme sobre Mestre Nilo”, dirigido e roteirizado pelos estreantes Patrício Júnior e Raquel Medeiros, com realização da Mangaba Coletiva.

De acordo com Patrício, que reside atualmente em Recife, tudo começou quando começou a estudar produção de roteiro para o cinema e ao juntar com Raquel Medeiros resolveram dar o primeiro passo nesta aventura: se aventurando no edital Aldir Blanc.

A lei Aldir Blanc é uma lei que repassou recursos para trabalhos culturais durante a pandemia, no qual é repassado pelos estados e municípios. Além disso, esse dinheiro repassou para os agentes culturais através de editais e municipais. No caso de Patrício, através do Governo de Pernambuco.

“A gente já sabia que ia documentar algum mestre de cultura do estado (Pernambuco), mediante a sua proposta artística e a Secretaria de Cultura selecionava quem a gente falaria de acordo com o perfil de cada proposta do produtor audiovisual”, comentou Patrício em entrevista ao Brechando.

Patrício e sua equipe optaram em participar, no entanto, da parte do edital do Prêmio de Salvaguarda e Registro Audiovisual de Saberes Tradicionais e da Cultura Popular é apenas um dos editais que o Governo de Pernambuco realizou para distribuição dos recursos da lei Aldir Blanc.

Neste edital, a Secretaria de Cultura selecionou Mestre Nilo, um dos mais jovens nesta área cultural. Mas, isto, de nenhuma maneira, acabou a empolgação dos entusiastas da produção do audiovisual. “Por mais que ele seja um dos mais novos, ele tem uma grande bagagem. Participou várias vezes na Rede Globo, forte participação nas redes sociais e mostrou o Maracatu para Europa”, afirmou.

Você pode ler também:  Ateliê Cambará: bordados e pinturas com toques subversivos

Um pouco da história do Mestre Nilo

Mestre Nilo Oliveira é fundador, zelador e mestre do maracatu Nação Maracambuco, fundado em 1993 no bairro de Peixinhos, na periferia de Olinda. Apesar de ser um dos mais jovens mestres de Pernambuco, Nilo tem bastante experiência com o carnaval e ainda mais ajudou mais de três mil jovens da marginalidade. 

Nasceu em Jaboatão dos Guararapes, no bairro de Porta Larga, Nilo conta que se mudou para Olinda devido a uma enchente. Morou numa casa de plástico, batalhou, e hoje se esforça para que outros jovens não passem pelas mesmas experiências. “Eu passei fome, eu sei como é”, conta ele durante o filme, que mostra ser uma pessoa brincalhona e risonha apesar das dificuldades. 

O nome Maracambuco não é a toa, uma vez que é um maracatu de  baque virado, com tradição nagô, consagrado como um importante projeto social no Estado. 

Primeiramente, o curta contará como Mestre Nilo lidou com o primeiro ano sem carnaval

O filme, com duração de 5 minutos, foi contemplado no Edital do Prêmio de Salvaguarda e Registro Audiovisual de Saberes Tradicionais e da Cultura Popular, através da Lei Aldir Blanc, e gravou no Carnaval 2021, conhecido como “o Carnaval que nunca aconteceu”.

“Nós tínhamos uma imensa curiosidade em saber como alguém que vive em função do Carnaval, que trabalha o ano todo pelo Carnaval, estava lidando com as pressões de ver a festa cancelada pela primeira vez em décadas”, afirmou Patrício. 

“Marcamos a entrevista principal propositadamente para a semana do Carnaval”, afirma Raquel Medeiros, que também é diretora da produção.

Os diretores, portanto, conseguiram captar o Mestre Nilo com sentimento misto de melancolia, medo e, por fim, de resistência.

Você pode ler também:  Ateliê Cambará: bordados e pinturas com toques subversivos

Ainda vai ter continuação

Embora vai mostrar apenas a parte do ano que não teve carnaval, a intenção de Patrício Júnior é fazer uma biografia cinematográfica completa. Além disso, Mestre Nilo repassou os principais pontos da sua carreira.

“Mestre Nilo nos surpreendeu com sua capacidade de encarar sua trajetória como algo que tinha de ser”, conta Patrício, “Em dado momento da entrevista, quando nos contou sobre sua relação com Iemanjá e as religiões de matriz africana, ficou nítido que sua fé é o que lhe traz força para defender sua nação”, disse Patrício Júnior.

Mas a principal pergunta é: como alguém que vive em função do Carnaval lidou com o cancelamento da festa. “O vírus quebrou nossa presença”, desabafou o Mestre Nilo. E assim, de uma frase poética a outra, ele vai revelando durante o filme que nem a pandemia conseguiu brecar seu destino. A frase que abre o trailer do filme dá uma amostra: “Como é que vai explicar o amor?”, ele pergunta.

Onde assistir

Para assistir, o curta será liberado no canal do Youtube a partir das 19 horas nesta quarta (30). Primeiramente, você precisa clicar deste link. Com o objetivo de dar gostinho de saber como será o curta, confira o trailer, portanto, a seguir:

Facebook Notice for EU! You need to login to view and post FB Comments!

Post Anterior | Próximo post

Deixe uma resposta

Você ainda não leu a revista do Brechando? Clique no link a seguir e leia um conteúdo exclusivo.

Ei, você sabia que a Revista Brechando nº 2 está disponível na Amazon? Independente se você mora em Natal ou não, você vai ter acesso a sua revista.

 

Sobre a autora

Jornalista formada pela UFRN, criou o blog em 2015 e não esperava que fosse fazer altas brechadas sobre Natal-RN e outras cidades que visitou. Gosta de trabalhar com a internet, mídias sociais, fotografar e escrever. Clique aqui para saber mais sobre mim.

Desenho: @umsamurai

Brechando Vlog

Arquivos

Calendário

junho 2021
S T Q Q S S D
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
282930  

Categorias