Tempo de leitura: 2 minutos

Alguns lhe chamam de Neguinho do Zé Ferreira, mas seu nome verdadeiro era Genildo Ferreira de França, um serial killer famoso no Rio Grande do Norte em que assustou todo mundo no distrito de Santo Antônio dos Barreiros, onde fica o bairro de Santo Antônio do Potengi, na cidade de São Gonçalo do Amarante (SGA). A chacina vai completar 20 anos em maio, no qual 20 pessoas foram assassinadas.

Antes de abrir um bar em um dos cômodos de sua casa em SGA, serviu o exército em 1990, onde se destacou pela habilidade como atirador e desenvolveu idolatria por armas de fogo. Entretanto, um de seus filhos foi vítima de um atropelamento, no qual veio à óbito. Por causa disso, os amigos falam que ele ficou muito abalado e apresentando um comportamento estranho.

Genildo foi membro do Exército

Depois, ele se separou e casou com Mônica Carlos de França. As testemunhas relataram que ele agredia a segunda mulher e, esta, teria espalhado que ele era homossexual, atiçando a fúria de Genildo.

Genildo culpava os parentes de sua mulher, que estariam espalhando a acusação que ele era homossexual e assim apressar a separação do casal. Logo a boataria correu solta na pequena comunidade e o rapaz era apontado na rua e alvo de zoações.

Então, ele resolveu descontar a sua raiva e queria matar 20 pessoas. Ele tinha duas armas, uma taurus de calibre 7,65 e uma calibre 38. A escolha de suas vítimas eram escolhidas criteriosamente. A primeira foi a sua ex-esposa, Monica, depois foram os seus ex-sogros. Ele saiu às ruas da cidade em busca dos inimigos.

Chamou o taxista Francisco Marques Carneiro com a desculpa de realizar um trajeto até Natal. Em um local afastado matou o motorista e passou a utilizar o veículo para praticar várias mortes. Ao matar o trabalhador rural Edilson Nascimento, disse aos gritos que o fazia para mostrar que não era homossexual.

Você pode ler também:  Sabia que existe um projeto que ensina como funciona o Samu nas escolas?

Também chegou a matar um soldado da Polícia Militar, no qual existem várias versões de como ele matou este rapaz.

A medida que os acontecimentos desenrolavam, a tragédia se transformou em um grande espetáculo da mídia e diferentes razões para a ação de Genildo foram levantadas pelos jornalistas e especialistas. Das 20 pessoas que ele tentou matar, apenas conseguiu 14.

O fim desta história foi trágico, quando ele sequestrou uma de suas filhas para Cerâmica Potiguar, levando duas pessoas como refém, uma delas a filha de cinco anos, o assassino perseguiu as vítimas e não recuou diante da presença da polícia.

Genildo ainda no exército

Depois de matar 14 pessoas, ele foi encurralado pela polícia e encerrou a jornada. Liberou as duas reféns e se matou.

O caso de Genildo se transformou em um filme chamado “Sangue de Barro”. O documentário completo pode ser visto a seguir:

https://www.youtube.com/watch?v=h8IJbvUapY


Post Anterior | Próximo post

One thought on “Há 20 anos: RN descobriu um caso de Serial Killer







  1. Ele não é um serial killer e sim um Mass Murderer (Assassino em Massa).

    Mass murderer, no português “assassino em massa”, é o criminoso que perpetua o chamado assassinato em massa. O assassinato em massa é caracterizado pela morte de várias pessoas num mesmo local. As vítimas são mortas aleatoriamente pelo assassino, mas podem também ser mortas por uma razão específica, retaliação por exemplo. Um assassinato em massa ocorre geralmente quando o autor do crime está profundamente perturbado. Ele normalmente sofre um surto psicótico que distorçe a sua realidade. Na maioria das vezes, o mass murderer ou assassino em massa é morto no local do ataque, normalmente ele é morto por suas próprias mãos, ou seja, após matar várias pessoas ele comete suicídio.

    Do ponto de vista psicológico, o assassinato em massa é um ato premeditado de vingança de um indivíduo desesperado contra a sociedade. Um bom exemplo de assassinato em massa, e que ainda refresca a memória de todos nós, foi o massacre cometido por James Holmes (clique AQUI para saber mais sobre ele) durante a estréia do filme Batman – O Cavaleiro das Trevas Ressurge, em um cinema do estado norte-americano do Colorado. Os assassinatos cometidos por James Holmes é um excelente exemplo da assinatura de um assassino em massa em termos de concepção e execução.

    Os assassinatos foram cometidos num mesmo local, neste caso, dentro de uma sala de cinema;
    As 12 pessoas que morreram durante o ataque foram mortas aleatoriamente;
    James Holmes claramente efetuou o ataque durante um surto psicótico. “Eu sou o Coringa!”, disse ele ao ser preso;

    Na maioria das vezes, mas não sempre, os assassinos em massa são mortos na cena do crime, seja pela polícia seja por suas próprias mãos. Neste caso específico James Holmes difere de outros assassinos em massa, pois ele não foi morto e não cometeu suicídio.

    Portanto, as principais características que identificam um Mass Murderer são:
    Os assassinatos são cometidos em um só local;
    As vítimas são mortas aleatoreamente, sem distinção de raça, gênero ou idade;
    O assassino claramente sofre de problemas mentais e efetua o massacre durante um surto psicótico;
    O motivo do ataque costuma ser uma espécie de vingança do assassino contra a sociedade que (em sua mente) o desprezou;
    Na maioria das vezes são mortos pela polícia ou cometem suicídio após o ataque.

    Outros casos famosos que podemos citar de Mass Murderers são:
    Adam Lanza, autor do massacre na escola primária de Sandy Hook
    Seung-Hui Cho, autor do massacre de Blacksburg

    Serial Killers
    O serial killer é, sem dúvida, o assassino mais profundo dos três, o mais difícil de pegar e o mais difícil de entender. Apesar de (comumente) ser um indivíduo que sofre de distúrbios mentais, assim como os mass murderers e spree killers, os serial killers costumam se camuflar na sociedade. Eles se escondem atrás de uma máscara. Existem dezenas de famosos casos envolvendo serial killers os quais eram homens acima de qualquer suspeita, pessoas bem sucedidas, com inteligência acima da média; casados, pais de família, empresários bem sucedidos. Isso, entretanto, era o que a sociedade via, por debaixo de sua máscara existia um psicopata sádico que matava sem nenhum pingo de remorso.

    Mas bom, o que é um serial killer? No que ele difere dos mass murderers e spree killers?

    Serial killers são assassinos que, como o próprio nome diz, matam em série, de forma serial. Bom! Mas o mass murderer e o spree killer também matam de forma serial, não? E é aqui que entram duas características importantes para se distinguir um serial killer dos demais: eles matam uma pessoa por vez e o intervalo entre o assassinato de uma e outra vítima é longo, podendo durar dias, semanas, meses e até anos.

    Além disso, a vítima para o serial killer é tão importante quanto sua própria vida, pois ela representa uma fantasia dentro da sua mente. O serial killer tem imenso prazer no ato de matar e vive aquele momento (do assassinato) de forma bastante intensa, por isso, serial killers costumam matar uma pessoa por vez e quase nunca duas ou mais no mesmo ataque. É como se cada uma de suas vítimas representasse o seu mundo, eles podem passar horas torturando ou horas picando um corpo. Após o assassinato eles voltam para suas vidas normais em sociedade como se nada tivesse acontecido e, posteriormente, quando o desejo de matar torna-se irresistível, eles atacam novamente. Por isso o intervalo do assassinato entre uma vítima e outra é grande, podendo levar vários dias, semanas, meses e até anos.

    Aqui definimos então dois fatores importantes que caracterizam um serial killer:
    Eles costumam matar 1 pessoa por vez;
    O tempo entre um assassinato e outro é longo;
    Costumam matar pessoas com um mesmo perfil (branco ou negro, mulher ou homem, somente prostitutas, somente homossexuais, somente travestis…);
    As vítimas representam objetos de fantasia para o assassino.

    Além disso, o perfil das vítimas é um fator importante para caracterizar um serial killer. Diferentemente do mass murderer e do spree killer, que matam aleatoriamente, serial killers matam sempre o mesmo tipo de pessoa, ou pessoas que possuem pelos menos algumas características em comum. A explicação para isso é que determinado tipo de pessoa (branco ou negro, mulher ou homem, criança ou velho, loira ou morena, travesti ou prostituta…) representa uma fantasia na mente do serial killer.

    Casos famosos de Serial Killers
    Ted Bundy – um dos mais inteligentes em bem sucedidos serial killers dos EUA, sua onda de crimes se estendeu de 1974 a 1978. Ele matou cerca de 35 mulheres
    Edmund Emil Kemper – assassino norte americano que autor de cerca de 10 mortes na década de 70
    John Wayne Gacy – conhecido como “O palhaço assassino”, foi sentenciado pela morte de cerca de 33 pessoas.

Deixe uma resposta

Você ainda não leu a revista do Brechando? Clique no link a seguir e leia um conteúdo exclusivo.

Sobre a autora

Jornalista formada pela UFRN, criou o blog em 2015 e não esperava que fosse fazer altas brechadas sobre Natal-RN e outras cidades que visitou. Gosta de trabalhar com a internet, mídias sociais, fotografar e escrever. Clique aqui para saber mais sobre mim.

Desenho: @umsamurai

Brechando Vlog

Arquivos

Calendário

fevereiro 2017
S T Q Q S S D
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728  

Categorias