Tempo de leitura: 2 minutos

Cecília Pacheco já tinha assumido os seus cachos quando resolveu raspar todos os seus cabelos, o que seria apenas uma experiência virou um estilo. A sua cabeleira ou a falta dela chama atenção quando passa nos eventos culturais da Ribeira, Cidade Alta ou até mesmo em São José de Mipibu, cidade que fica distante à 31 quilometros de Natal. “Uma vez eu fui numa barbearia em Mipibu e eu pedi para que passasse à 2 na minha cabeça, o barbeiro e os homens ficaram impressionados porque sabia os pentes da máquina de cortar o cabelo, parecia uma atração da barbearia (risos). Tem gente que fica perguntando se raspei porque estou doente. Existe muitos tabus que são quebrados, quando uma mulher raspa o cabelo”, alegou a jovem,que é fotógrafa e também faz alguns trabalhos com bordados.

Resolver ser totalmente carequinha foi uma decisão feita em menos de um ano, na verdade foi uma lista das cosias que queria fazer para o ano de 2018 e era uma forma de mostrar a sua verdadeira face. “Antes, eu tinha um cabelo bem cacheado e volumoso, todo mundo gostava dos cachos, mas nunca falava do meu rosto. Ficava pensando: ‘As pessoas gostam como sou ou apenas o meu cabelo!’. Queria saber como é o meu rosto exposto, estava com problema na autoestima”, relatou, que também já deixou os cachos coloridos e também fez algumas tranças.

Veja algumas fotografias de Cecília antes de raspar:

Após muita coragem, ela resolveu tirar a cabeleira, no qual a fotógrafa alega ter sido “um dia muito bonito e emocionante”. “Cada pessoa que morava comigo tirou uma mechinha (vive com os familiares em Mipibu) , minha mãe que no início achou uma ideia maluca também retirou. Quando me vi careca, eu comecei a chorar e vi realmente como era o rosto, escondido pelo cabelo e maquiagens. Então, eu comecei a me tocar e ver como realmente sou.”.

Você pode ler também:  Como me descobri feminista?

A primeira foto careca foi postada no dia 02 de janeiro, veja a seguir:

Olá querida

Uma publicação compartilhada por Cecília Pacheco (@estrelapacata) em

Os comentários foram ruins? Pelo contrário, a seguir coloco alguns comentários que foram dados pela decisão “radical” de Cecília.

Hoje, Cecília disse que a careca a ajudou a desapegar de maquiagens e outros truques de beleza. “Estou desfilando a minha própria identidade e isso é muito importante.”.

O poeta e escritor Victor H. Azevedo namora Cecília e é um dos maiores apoiadores da sua careca. “Ela está muito mais linda assim, adoro ficar abraçado com ela e ficar alisando a sua carequinha. Isso é muito bom. As pessoas deveriam parar de ficar dizendo que mulher careca é feia. Elas podem fazer o que quiser.”.

Se Cecília pensa em ficar careca por mais tempo? Claro que sim! “Eu estou amando ficar assim, posso deixar o cabelo crescer no futuro. Mas por enquanto quero é ficar careca mesmo.”.


Post Anterior | Próximo post

Deixe uma resposta

Você ainda não leu a revista do Brechando? Clique no link a seguir e leia um conteúdo exclusivo.

Ei, você sabia que a Revista Brechando nº 2 está disponível na Amazon? Independente se você mora em Natal ou não, você vai ter acesso a sua revista.

 

Sobre a autora

Jornalista formada pela UFRN, criou o blog em 2015 e não esperava que fosse fazer altas brechadas sobre Natal-RN e outras cidades que visitou. Gosta de trabalhar com a internet, mídias sociais, fotografar e escrever. Clique aqui para saber mais sobre mim.

Desenho: @umsamurai

Brechando Vlog

Arquivos

Calendário

junho 2018
S T Q Q S S D
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930  

Categorias