Fui ao Lulapalooza: Lula veio à Natal-RN

“E o Lula em Natal-RN, hein?”

“Ei, você vai para o Lula na Arena das Dunas?”

“Tu vai para Lula?”

Essa era a frase que mais escutava dos meus amigos de esquerda para me chamar e brechar a vinda de Lula para a capital do Rio Grande do Norte, onde milhares de pessoas poderiam passar a quinta em Pipa, mas resolveram saber o que o pré-candidato a presidente queria dizer. Mesmo que não tem filiação ao PT foi para saber como seria o xafurdo. Sei que dias antes as pessoas já estavam loucas para comprar camisetas vermelhas, usar aquela toalhinha com o rosto do Lula ou qualquer objeto que se associasse à ele. As pessoas realmente queriam saber o que ele queria dizer ou convencer as pessoas o porquê de votarem nele para seu terceiro mandato.

Fotos: Lara Paiva

Detalhe que ele e Jair Bolsonaro, o atual presidente, são os favoritos e ambos resolveram visitar Natal para garantir os votos. Bolsonaro sabe que Lula é uma figura forte na região nordestina, principalmente pelo fato de que nos anos de 2003-2011, o Luís Inácio Lula da Silva realizou várias melhorias na região, além de expandir o ensino universitário para as cidades mais interioranas, evitando o êxodo rural. 

Sem contar que o Jair sabe que não será fácil garantir uma releição, quando mais de 1 milhão de pessoas morreram com Covid, estudantes das universidades federais indignados com o sucateamento, programas de economia liberal fracassados e inflação atingindo o bolso dos brasileiros.

E as pessoas foram à Arena das Dunas, entupida de gente, para ver não só Lula, mas todo um grupo de políticos que estiveram no palco para falar.

Quem foi

Outros membros do partido compareceram, como a presidenta Nacional do PT, Gleisi Hoffmann, os ex-ministros Gilberto Carvalho e Aloizio Mercadante, o pré-candidato a vice-presidente da República Geraldo Alckmin (PSB) acompanham a comitiva de Lula no Rio Grande do Norte.

Também participam do ato, além da governadora Fátima Bezerra, que vai se candidatar a releição. A equipe compõem a aliança “Vamos Juntos pelo Brasil”, movimentos sociais e sociedade civil, além de ter o objetivo de acabar com o discurso de políticos fascistas.

Clima de Lolapalooza com o Lula em Natal-RN

E não é com deboche que falo isso, as pessoas que vieram ao evento estavam prontas para ir ao festival de música. Ao invés de artistas, as pessoas estavam querendo ouvir o que Lula queria dizer para melhorar o Nordeste e as situações que atingem todos os estados brasileiros, como a fome e a falta de emprego para as pessoas recém-formadas.

Muitos pegaram a sua melhor roupa e melhor maquiagem para ficar uma tarde na Arena das Dunas em nome de um propósito. Sabe aquele meme do “O Voto é Secreto” e no final utilizar alguma imagem ou filtro que represente o seu voto? As pessoas estavam deste jeito, sendo que fora do Instagram e Twitter.

A cada minuto as pessoas gritavam: “Olê, olê, olá! Lula! Lula!” ou mandavam o atual presidente para aquele canto, repetindo os mesmos feitos nos últimos festivais de música locais e nacionais. 

O que Lula falou 

O relógio batia 7 da noite enquanto anunciavam: “Com vocês, Luis Inácio Lula da Silva”. A galera ficou polvorosa com esse anúncio, após duas horas esperando a vinda do homem enquanto cantarolavam os jingles famosos.

O Lula agradeceu a presença das pessoas que foram ao feriado no evento e fez duras críticas ao atual presidente da República, Jair Bolsonaro, e o acusou de utilizar obras que eram do PT como se fosse dele.

“Ele viaja ao Nordeste dizendo que trouxe as águas do Rio São Francisco, divulga na TV pública. Entretanto, ele esqueceu de mencionar os 80% das obras foram feitas na gestão do PT”, disse o presidente sob aplausos.

Além disso, criou a medida de criar um teto ao ICMS. “O erro do governo foi usar a canetada para comprar petróleo em dólar ao invés de real e entregar os nossos recursos aos estrangeiros e não ao povo”.

Ainda mais mencionou sob a fome e a volta dos brasileiros a entrar nesta estatística, garantindo que quer evitar que pessoas façam o Êxodo rural para que tenha melhores condições. “Tive que ir para São Paulo por conta das melhores oportunidades e não ter mais fome. Não quero que o Brasil tenha o mesmo destino”, disse.

O discurso durou cerca de 1 hora e saiu do palco rapidamente, cumprimentou fãs e foi ao Aeroporto de São Gonçalo do Amarante.

Como tava a galera ao ver Lula

As pessoas não paravam de usar “L” com os dedos para apoiar, cantavam o jingle e alguns até se emocionavam, principalmente com o discurso de que as coisas iriam melhorar após a vitória do pré-candidato.

Muitos estavam com as toalhinhas do Lula como uma capa, como se fosse um super-herói. Além disso, muitos utilizaram a toalhinha para criar bandeiras e outros vestiam de vermelho, representando as cores do PT ou uma camiseta referenciando Lula e algum cantor que tenha simpatia com o partido. 

E esta foi aventura de brechar a vinda do Lula em Natal, compartilhe este texto para mais pessoas. 

Claro que tiramos fotos de Lula em Natal-RN

Confira as fotos do evento no álbum que montamos. Clique, portanto, para ampliar. 

Nevaldo Rocha acionista da Tribuna do Norte

Sabia que Nevaldo Rocha era acionista da Tribuna do Norte?

Nevaldo Rocha faleceu neste ano em Natal, aos 91 anos de idade. Ele ficou conhecido por criar a Guararapes, a Richuelo e o shopping Midway. Mas, você sabia que Nevaldo era acionista da Tribuna do Norte? Pouca gente sabe deste assunto, mas isso não era segredo e já foi relatado no jornal, no qual reproduziremos essa história a seguir.

Tudo começou na década de 70, quando Aluízio Alves teve seu mandato de governador cassado e Agnelo Alves, seu irmão, perdeu seu cargo como prefeito, visto que os dois eram opositores do Regime Militar. Além disso, o editor-chefe Cassiano Arruda Câmara foi preso. O jornal da família, a Tribuna do Norte, estava numa crise econômica horrível e estava na iminência de fechar, sem contar as perseguições políticas e outras polêmicas na época. Por isso, Nevaldo resolveu investir no jornal.

De acordo com o jornalista Wooden Madruga, que era editor substituto, encontrou Nevaldo numa festa em comemoração ao começo da obra da fábrica Guararapes que hoje é o Midway. Lá, o empresário perguntou ao Wooden como estava a Tribuna e percebendo o interesse de Rocha sobre o assunto, comentou sobre o papo que teve com Rocha ao José Gobat Alves, irmão de Aluízio e diretor financeiro do jornal.

Então, começaram as negociações e o contrato social foi assinado em outubro de 1975. O resultado desta negociação foi estampada na capa da Tribuna do Norte com uma foto de Aluízio, José Gobat e Agnelo Alves junto com Nevaldo Rocha e Eider Furtado, advogado que intermediou as negociações.

Existe uma carta que Aluízio Alves escreveu para Nevaldo agradecendo a ação:

Nevaldo Rocha acionista da Tribuna do Norte
Foto tirada por Alex Régis, nos arquivos da Tribuna do Norte, divulgada no jornal

Nevaldo Rocha ra o homem mais rico do Rio Grande do Norte

Nevaldo Rocha era considerado o homem mais rico do RN, segundo a revista Forbes. Ele era o proprietário da fábrica de roupas Guararapes, da loja Riachuelo e do shopping Midway. Sem contar do Teatro Riachuelo, que tem uma unidade em Natal e outra no Rio de Janeiro.

Nevaldo nasceu em Caraúbas e após abandonar os estudos, ele se mudou para Natal. Começou, lá, a trabalhar em uma famosa relojoaria da cidade. Naquela época, a cidade era considerada um ponto estratégico para a aviação norte-americana. Em pouco tempo, destacou-se como vendedor e acabou, no fim das contas, comprando a loja do seu antigo patrão. No final da década de 1940, em sociedade com o irmão, Newton Rocha, Nevaldo abriu sua primeira loja de roupas, que recebeu o nome de A Capital. O empreendimento foi instalado na cidade por ele escolhida como ponto de partida para uma carreira de sucesso: Natal.

Depois de quatro anos de investimentos na empresa, os irmãos decidiram construir uma confecção em Recife. Abriram, também, mais quatro pontos de venda para distribuir e comercializar as peças da confecção própria. E tudo isso foi feito em uma época em que os investimentos na indústria têxtil no país ainda eram extremamente tímidos. Foi assim que surgiu a fábrica Guararapes.

Anos depois a fábrica mudou para Natal e foram construídas novas fábricas em Fortaleza e Mossoró.

Na década de 70, eles compraram uma loja chamada Riachuelo, que vendia apenas tecidos e se tornou uma das maiores lojas de departamento do país. A loja representa 75% do faturamento do grupo. Depois, os negócios da família expandiu para outros setores da economia, garantindo bons rendimentos com seus cartões de crédito, com sua transportadora, seus shoppings centers e suas lojas próprias.

Sobre a Tribuna do Norte

A Tribuna do Norte é o jornal mais antigo do Rio Grande do Norte, fundado em março de 1950 por Aluízio Alves e fica no bairro da Ribeira. Aluízio era advogado com Bacharelado em Ciências Jurídicas e Sociais pela Faculdade de Direito de Maceió com especialização em Serviço Social. Mas, sempre teve um pé no jornalismo. Após a faculdade, ele trabalhou nos jornais A Razão e A República, ambos em Natal.

Mudou-se para o Rio de Janeiro em 1949, onde trabalhou como redator-chefe da Tribuna da Imprensa, que pertencia a Carlos Lacerda. De volta ao seu estado natal no ano seguinte, ele queria criar um jornal parecido com que ele trabalhou no Rio. Assim, nasceu a Tribuna do Norte.

Atualmente, os herdeiros de Nevaldo, junto Flávio Azevedo (engenheiro e proprietário da Dois A) e a família Alves são proprietário da Tribuna do Norte.