São João

Quatro coisas que fazemos no dia de São João

O 24 de junho é marcado pelo São João. Primeiramente é o período que tem as festas juninas, quadrilhas, brincadeiras e entre outras coisas divertidas. Além disso, existe a larica pelas comidas tradicionais, como bolo de milho, pamonha, canjica entre outras coisas. Para comemorar esta data, eu listei coisas comuns que fazemos no São João. Embora Natal não seja tão tradicional a sua comemoração, a cidade ainda em Natal acende fogueira nas calçadas, compra milho e é nesse período que as crianças brincam mesmo.

1) Soltar bombas de São João

Com a fogueira nas calçadas, a galera aproveitava o momento para brincar e jogar vários tipos de bombinha. Algumas são famosas, como o traque, que só faz o estralo e dá o susto naquela pessoa. Tem o peido de velha, que o barulho parece de uma pessoa que está soltando o tradicional pum. Além disso, tem os fogos de artifício bem aqueles de ano novo.

O mais fofinho, que as crianças adoram, é a estrelinha, que era um bastão de pólvora que acendia e transformava em um mini-fogos. Ainda mais tem o tradicional chumbinho que as pessoas jogavam um papel com pólvora no chão e ele estoura.

2) Sair para assistir o Festival de Quadrilhas

A quadrilha é um evento como se fosse uma escola de samba em Natal e outras cidades do Nordeste. Então, as pessoas se reúnem pra assistir em um local específico. E, a galera realmente preparou o ano inteiro pra dançar a quadrilha. Tem preparo o ano todo, criação de roupa, ensaios e entre outras coisas.

3) Visitar uma cidade com SJ tradicional

Uma das coisas que as pessoas mais fazem é viajar para as cidades tradicionais de São João. Uma delas é a Campina Grande, que fica no estado vizinho da Paraíba. Mas, a gente prefere mesmo é ir para Mossoró, que é mais perto. A galera realmente pega o carro e vai até a segunda maior cidade do RN. Pode ser indo ao bloco “Pingo do Mei Dia” ou no palco assistindo as principais bandas e artistas. O anúncio da line-up é bem esperado.

4) Fazer apresentações de São João nas escolas

Uma atividade obrigatória em quase todas as escolas são ver crianças dançando São João. A ideia é fazer coreografias de São João e, por conseguinte, realizar uma apresentação para que todo assistam com a família. É quando a galera se reúne meses antes para ensaiar a coreografia em um intervalo das aulas. Além disso, a gente se veste de matuto, maquiagem para dançar São João.

Se tem alguma coisa que eu esqueci de adicionar, deixe, portanto, o seu comentário.

Ahayá de Rua: E o São João voltou para Potilândia

Quando penso em junho no conjunto Potilândia, em Lagoa Nova, penso rapidamente nas festas juninas da minha infância. Quando passava férias na casa dos meus avós em Natal era o período do então famoso Arraía da Esmeralda, que inicialmente era para ser uma festa pequena na rua da Esmeralda, mas tomou o conjunto inteiro, chegando a ter bandas grandes tocando. Ideal para aquele bate-coxa com o boy. Tinha forró, fogueira, comidas típicas e inclusive um mini-parque de diversão, no qual andei pela primeira vez de roda gigante.  Para a minha eu criança, era o momento ideal para tocar o terror. Quer dizer, soltar bombinha e ficar vestida de matuta como se fosse uma fantasia de carnaval.

Chegou os anos 2000 e as festas foram ficando cada vez mais fracas, até desaparecer por completo, no qual falamos a história da festa no Brechando e você pode conferir neste link.

Bem… O silêncio do baile junino acabou nesta década.

Há três anos, a produtora cultural Haylene Dantas criou o Ahayá de Rua, no qual ela fecha as principais ruas do conjunto Potilândia e coloca forró, comida típica e muita diversão para celebrar este período junino. Neste ano, a festa teve que ser adiada por uma semana por conta das chuvas do período, no qual estimulou que mais pessoas se preparassem para a festa. Claro que fui toda caipira, blusa xadrez, bota e maquiagem de São João para apreciar esta celebração, pronta para arranjar meu par de quadrilha.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Super caipira #sj #saojoao #arraia

Uma publicação compartilhada por Lara Paiva (@unicornioariano) em

O boca a boca foi tão grande que a praça que fica as principais vias estavam lotadas de tanta gente que tinha. Podia ver gente desde o Tá Fluindo até o Show Bar, os bares principais da região, que estavam abrigando os órfãos da cerveja, visto que a galera veio em peso que acabou a gela não só da organização, mas também dos ambulantes. A sorte que você tinha aquele amigo que morava em uma kitnet da região que corria para casa e pegava o que tinha para beber.

Ao mesmo tempo tava lindo de ver toda a rua enfeitada por bandeirolas e famílias sentadas nas calçadas para curtir o São João, igual como era a Esmeralda na minha infância.

Mas quem não gosta de beber e queria soltar aquela bombinha de São João. Havia uma fogueira bem grande para soltar estrelinhas, traques (ótimo para soltar perto daquele amigo distraído), peido de véia, rojão e todos aqueles brinquedinhos felizes da festa junina.

Você podia ficar no meio da galera dançando um forró pé de serra do Trio Trecelim ou ficar com os amigos discutindo todos os assuntos possíveis sobre a vida cotidiana. Se estivesse entediado, podia rodar todas as ruas, pois vai encontrar algum conhecido naquela festa.  Não arranjou o par? Eu também não! Não tem problema, dance agarrado com uma garrafa de Ypióca que é melhor do que dançar com um cabo de vassoura. Ou com o cachorrinho do amigo, que aproveitou que mora perto e levou os cachorrinhos para passear e curtir a festa.

O forró tava animado, a galera conseguiu cantar a letra inteira de “Saga de um Vaqueiro” e também conseguia unir o melhor do pop e arrocha.

O Ahayá foi bom demais da conta e obrigada por mostrar que Potilândia ainda tem São João.

Atenciosamente,

A mocinha da foto seguir:

Vestida de matuta em em 199x em um dos arraía da Esmeralda

Ônibus de Natal em clima de festa junina

O São João está por aí, nas ruas, festas e também nos ônibus. Por que não? Esta foto acima foi feita pela jornalista Sheyla Azevedo que mostra um dos veículos do transporte público de Natal todo enfeitado para a festa junina, com direito à bandeirolas e balões sobre o teto, bancos e vidros do carro.

A linha 51 da Via Sul está toda enfeitada para receber uma das festividades mais animadas no Brasil.

A linha fotografada por Sheyla não é a única que está no clima de quadrilha junina. Um Tweet registrou que a linha 63 também está todo enfeitado:

A linha 41 está toda junina:

Só elogio ao ônibus junino:

https://twitter.com/van_zin_/status/1136649810642112512?s=21

E alguns ficaram bastante felizes:

https://twitter.com/gilvaneteduarte/status/1138066620734169088?s=21

Outros sonham em pegar o busão desse jeito assim:

A empresa Guanabara também foi outra empresa que aderiu à moda:

https://www.instagram.com/p/ByTc2P_poH3

E, aí? Você subiria no ônibus desse ?

Vai ter Arraía Outro Par esse ano

O Arraía Outro Par é o São João do grupo Dusouto e chega a sua 5ª edição levando muito forró rabecado e sons variados para a Capitania das Artes, novo local da festa que desde 2015 ocupa o bairro da Ribeira, resgata a cultura dos festejos a céu aberto e retoma a tradição nordestina, um pouco esquecida na cidade. A ideia do Arraía foram dos produtores Luci Braga e Bruno Vanderlei , no qual dentre os objetivos, resgatar a cultura dos Arraiás de Rua, da tradição junina e oferecer ao público um São João Alternativo, apresentando um projeto de uma das bandas mais antigas e queridas da cidade, o DuSouto, com o ForróSouto” arretado!

Para quem quer saber como foi a edição passada, breche esta matéria do Brechando aqui. O nome é uma referência à música “Aonde Está Meu Outro Par da Sandália Havaiana”, um clássico do Dusouto.

As atrações desse ano são:

DuSouto

O projeto ‘forró’ da banda potiguar DuSouto, foi criado em 2015 pelos integrantes da banda, com o intuito de fortalecer as tradições Nordestinas, e brincar com os ritmos juninos, presente nas composições do grupo. Transformando o repertório em forró, xote e baião, Paulo Souto, Gustavo Lamartine e Gabriel Souto, fazem uma viagem sonora e em 2019 convidam Dinei Teixeira, Kleber Moreira e Lucas Dan (PB) para compor o palco.

Forró na Caixa

O Grupo Forró na Caixa surgiu em 2012 na cidade de Olinda (PE). Fortemente influenciada pela sonoridade da rabeca no âmbito do movimento cultural manguebeat, tem como referência as extintas bandas Mestre Ambrósio, Chão e Chinelo, Quarteto Olinda.
Thiago Martins, discípulo do mestre Luiz Paixão e Cláudio Rabeca é rabequeiro, cantor e compositor premiado em festivais e mostras de música em Pernambuco. Integrando a banda também estão: Yuri Rabid (Academia da Berlinda), Ju Valença, Rodrigo Felix e Frans Sósthenes. O grupo convida o público às danças e os ritmos xote, baião, arrasta-pé, coco e cavalo marinho.

Boi Calemba Pintadinho (São Gonçalo do Amarante)

O Boi Calemba Pintadinho é uma das mais importantes manifestações folclóricas do Rio Grande do Norte, com mais de 100 anos de existência. Em 1929, foi pesquisado pelo escritor e pesquisador Mário de Andrade, juntamente com o folclorista Câmara Cascudo, que o acompanhou nessa aventura. Na ocasião da posse do presidente da República João Figueiredo, o Boi Calemba se apresentou na Praça dos Três Poderes a convite do Ministério da Cultura.

Será o Binidito? (São Gonçalo do Amarante)

O Quarteto Musical “SERÁ O BINIDITO” tem como finalidade executar e expandir a singularidade característica dessa linha musical que hoje chamamos de “forró de pé-de-serra”, trazendo aos amantes dessa arte, agradáveis momentos de entretenimento e
lazer cultural, tudo ao som da sanfona choradeira e da marcante presença do zabumba, tendo como pano de fundo, acordes de violão e trinados de triângulo.

Os Djs: Opa Bruno e Jaiara Fontes

Os mais ixtourados de Natal, produtores e agitadores culturais de algumas bandas e festas que já fazem parte do calendário noturno da cidade.

SERVIÇO:

Arraiá do Outro Par 2019
Data: 8 de junho
Hora: 20h as 05h
Local: CAPITANIA DAS ARTES
ATRAÇÕES: ForróSouto (DuSouto) // DJ Bruno Alexandre // Forró na Caixa // Boi Calemba Pintadinho // Será o Binidito? // Dj Jaiara Fontes

Vendas físicas: Parêa Calçados e La Luna Bar e Petiscaria
Vendas online: Sympla – https://bit.ly/2Itg0bw

INGRESSOS
R$ 30,00 (inteira)
R$ 15,00 (meia entrada)
R$ 20,00 (social)