Airya

Já ouviu falar de Airya? É a artista comentada da revelação do ano

brechadas Cidades Curiosidades
Compartilhe:

Quem escuta música potiguar do Spotify ou foi alguns dos festivais locais, pode ter ouvido Airya, que lançou seu segundo álbum neste ano. Além disso, o sucesso não é à toa, dado que foi apadrinhada pelo Dosol, através do projeto Incubadora e as suas apresentações estão trazendo novos admiradores.

É comum ouvir burburinhos:“Gostei desta menina, a Airya”

“Já ouviu falar de Airya?”

A bicha está estourada

Apesar das pessoas começarem a ouvir agora, ela, todavia, tem experiência. Entretanto, ela já está na estrada há algum tempo, visto que é percussionista, compositora, intérprete, pesquisadora e professora de percussão.  Já  participou de grupos como Flor de Macambira, Banda DuGiba, Choro na Lua, Catita Choro e Gafieira, Elegia e seus Afluentes, Rastafeeling, Igapó de Almas, dentre outros. Além da música popular, Aiyra também possui atuação ligada à música erudita. Durante quatro anos ela integrou a Orquestra Sinfônica da UFRN e por dois anos fez parte da Orquestra Sinfônica do RN.

Além disso, uma de suas apresentações de destaque está o que ela abriu para Marina Sena, em abril de 2022. Para o seu segundo álbum, ela contou com a  produção musical do beatmaker paraibano Guirraiz. Além disso, tem a direção artística de Anderson Foca e participou da produção de Aiyra juntamente com Yves Fernandes.

Para a banda contou com Ana Morena no contrabaixo e guitarras de Yuri Matias e Tal Pessoa, que também colaborou na composição de algumas canções ao lado da cantora.  

Novo pop brasileiro

O resultado deste processo é um álbum certeiro em sua estrutura musical pop e brasileira, composto entre arranjos dançantes que convidam a transcendência por meio dos ritmos e letras que estimulam a consciência do ouvinte, ao  pautar assuntos necessários de maneira fluida.

Ao longo das sete músicas do disco, outras vozes potentes surgem ao lado de Aiyra, ampliando, por conseguinte, os diferentes sotaques e misturas. Da Paraíba temos a presença da cantora Bixarte na faixa ”Ela vai triunfar” e do rapper Fontes na faixa ”O que eu quero”. Bixxatriz, cantora do Piauí mais conhecida pelo projeto Bia e os Becks, participa da música ”Sem pedir desculpa”.

Outra presença que se destaca em ”Leve” é a da flautista Mari Santana, que toca seu instrumento na faixa ”Rezo à mãe da rua”.

As composições do álbum transitam entre canções que propõem reflexões sobre opressão, com ênfase no ser mulher (cis ou trans) no Brasil, mas também músicas que expressam muito da intimidade de Aiyra, desde suas crenças, visões de mundo sobre sexualidade feminina, autoestima e eventuais relacionamentos amorosos.

Onde escutar

Com cerca de 25 minutos de duração, ”Leve” representa mais um passo importante na carreira de Aiyra, entregando. portanto, uma música da conhecida esquina do continente, através dos caminhos sutis que unem leveza poética e, portanto, consistência musical.

 


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *